NO­ME NO­VO NA ELEI­ÇÃO

Metro Brazil (Belo Horizonte) - - FOCO - CAR­LOS LINDENBERG LIND­BERG.BH@GMAIL.COM

Can­di­da­to ao go­ver­no do Es­ta­do, o se­na­dor Antonio Anas­ta­sia vai aos pou­cos, mas com mui­ta con­ver­sa mon­tan­do a cha­pa com a qual pre­ten­de con­cor­rer con­tra o go­ver­na­dor Fer­nan­do Pi­men­tel, que ten­ta­rá a re­e­lei­ção. Se o vi­ce, o de­pu­ta­do fe­de­ral Mar­cos Mon­tes, do PSD, anun­ci­a­do se­gun­da-fei­ra em Ube­ra­ba não sur­pre­en­deu, o mes­mo não se po­de di­zer do que pa­re­ce ser o pri­mei­ro no­me de Anas­ta­sia pa­ra con­cor­rer ao se­na­do – o ra­di­a­lis­ta Car­los Vi­a­na, que pe­la pri­mei­ra vez se apre­sen­ta pa­ra uma dis­pu­ta elei­to­ral. Vi­a­na tem uma po­si­ção bem pró­xi­ma ao que se­ria o ideá­rio ne­o­li­be­ral do se­na­dor e con­ta com um ca­bo elei­to­ral de pe­so, o pre­fei­to Ale­xan­dre Kal­lil, que, no en­tan­to, pro­me­te não en­trar na dis­pu­ta ago­ra, pre­ser­van­do-se pa­ra a re­e­lei­ção da­qui a dois anos e meio ou qu­em sa­be pa­ra a su­ces­são es­ta­du­al.

De qual­quer for­ma, em­bo­ra já bem pró­xi­mo de Anas­ta­sia, Vi­a­na ain­da pre­ci­sa do, di­ga­mos, be­ne­plá­ci­to par­ti­dá­rio. Ou se­ja, sua in­te­gra­ção à cha­pa do ex-go­ver­na­dor ain­da de­pen­de da en­tra­da do PHS na co­li­ga­ção que te­rá o PSDB co­mo guia, até por­que o can­di­da­to a ele per­ten­ce. Mas tu­do in­di­ca que as con­ver­sas vão evo­luin­do nes­se sen­ti­do, até por que é do de­se­jo de Anas­ta­sia ter um no­me no­vo, sem qual­quer his­tó­ri­co par­ti­dá­rio, na sua cha­pa. Na ver­da­de, a ex­pec­ta­ti­va mai­or de Anas­ta­sia é que o de­pu­ta­do Ro­dri­go Pa­che­co in­te­gras­se a sua cha­pa. Pa­che­co, no en­tan­to, con­ti­nua co­mo can­di­da­to ao Pa­lá­cio da Li­ber­da­de e até ago­ra não dá si­nais de que po­de­rá de­sis­tir da dis­pu­ta, em­bo­ra seu fu­tu­ro es­te­ja li­ga­do ao do de­pu­ta­do Ro­dri­go Maia, do mes­mo par­ti­do de­le, e pré-can­di­da­to à pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca. Is­so quer di­zer o se­guin­te: se Maia de­sis­tir po­de ser que Ro­dri­go Pa­che­co in­te­gre a cha­pa de Anas­ta­sia. Por fim, res­ta o ex-de­pu­ta­do Di­nis Pi­nhei­ro, que vem tra­ba­lhan­do o in­te­ri­or do Es­ta­do há três anos, e pa­ra qu­em po­de­ria es­tar re­ser­va­da a se­gun­da – ou ter­cei­ra? - va­ga ao se­na­do, a de­pen­der do que acon­te­ce­rá com Ro­dri­go Pa­che­co que, a es­sa al­tu­ra, co­me­ça a ba­lan­çar ao in­sis­tir em dis­pu­tar o Pa­lá­cio da Li­ber­da­de. De qual­quer ma­nei­ra, as con­ver­sas vão evo­luin­do, mas não cus­ta lem­brar que da­qui até agos­to tem mui­ta água pa­ra pas­sar de­bai­xo da pon­te.

C den­berg é co­lu­nis­ta do Metro Jor­nal. Es­cre­ve nes­te es­pa­ço às quin­tas.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.