Ra­fa­el Mou­ra po­de en­trar en­tre ti­tu­la­res do Co­e­lho

Metro Brazil (Belo Horizonte) - - ESPORTE -

Sem mar­gem pa­ra er­ros, o Amé­ri­ca po­de ter mu­dan­ças no se­tor ofen­si­vo pa­ra o du­e­lo contra o Pa­ra­ná, nes­te fim de se­ma­na. Pre­ci­san­do de­mais do triun­fo pa­ra ten­tar sair da zo­na de re­bai­xa­men­to, o ti­me de­ve ter en­tre os ti­tu­la­res o cen­tro­a­van­te Ra­fa­el Mou­ra.

Ele en­trou no se­gun­do tem­po do clás­si­co contra o Cru­zei­ro, mu­dou a pos­tu­ra do ti­me em cam­po e ga­nhou mo­ral com o trei­na­dor Adil­son Ba­tis­ta. O téc­ni­co, co­mo es­tra­té­gia, não con­fir­ma a pre­sen­ça do ex­pe­ri­en­te jo­ga­dor en­tre os ti­tu­la­res, mas a ten­dên­cia é que ele en­tre.

“Ter um es­pe­ci­a­lis­ta (cen­tro­a­van­te) não quer di­zer que o ti­me é mais ou me­nos ofen­si­vo. O pro­ble­ma do Amé­ri­ca é ou­tro. O ti­me es­tá er­ran­do na ho­ra de de­fi­nir. En­quan­to os ou­tros cri­am uma chan­ce e a apro­vei­tam, nós pre­ci­sa­mos ar­mar três pa­ra fa­zer um. Não po­de mais”, ava­li­ou o téc­ni­co americano.

Qu­es­ti­o­na­do so­bre o du­e­lo contra o já re­bai­xa­do Pa­ra­ná, Adil­son ado­tou o dis­cur­so de res­pei­to ao ad­ver­sá­rio. “Pre­ci­sa­mos res­pei­tar o Pa­ra­ná. Só por­que não tem mais chan­ces de per­ma­ne­cer na Sé­rie A, não quer di­zer que es­tá mor­to. Só res­pei­tan­do po­de­re­mos al­can­çar nos­so ob­je­ti­vo, que é a vi­tó­ria. En­tão, te­mos de jo­gar, vi­ven­ci­ar os 90 mi­nu­tos e bus­car, com de­ter­mi­na­ção, nos­so ob­je­ti­vo”, fi­na­li­zou o trei­na­dor.

| MOU­RÃO PANDA/AMÉ­RI­CA

Ra­fa­el Mou­ra, Do­ni­ze­te e Zé Ri­car­do de­vem co­me­çar jo­gan­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.