Te­mer deixa em aber­to ve­to ao re­a­jus­te do STF

Pre­si­den­te diz, em en­tre­vis­ta à rá­dio Ban­dei­ran­tes, que tem 15 di­as pa­ra ana­li­sar pro­je­to que ele­va salários dos mi­nis­tros do STF

Metro Brazil (Belo Horizonte) - - PRIMEIRA PÁGINA - RÁ­DIO BAN­DEI­RAN­TES Veja co­mo vo­ta­ram os se­na­do­res no me­tro­jor­nal.com.br

Em en­tre­vis­ta exclusiva à Rá­dio Ban­dei­ran­tes, pre­si­den­te afir­mou que ain­da tem 15 di­as pa­ra san­ci­o­nar o pro­je­to que concedeu au­men­to de 16,3% ao Su­pre­mo e que sua decisão de­ve­rá con­si­de­rar a com­ple­ta ex­tin­ção do au­xí­lio-mo­ra­dia pe­lo Ju­di­ciá­rio

Em en­tre­vis­ta exclusiva à rá­dio Ban­dei­ran­tes, o pre­si­den­te Mi­chel Te­mer (MDB), dei­xou aber­ta a pos­si­bi­li­da­de de san­ci­o­nar ou ve­tar o pro­je­to de lei que ele­va os salários dos mi­nis­tros do STF (Su­pre­mo Tribunal Fe­de­ral) em 16,3%.

“Eu te­nho 15 di­as pa­ra san­ci­o­nar ou ve­tar, vou exa­mi­nar”, afir­mou Te­mer.

Ele lem­brou que o au­men­to veio pre­vis­to no Or­ça­men­to do Po­der Ju­di­ciá­rio e que, por cau­sa da independência dos Po­de­res, não po­de­ria in­ter­fe­rir nos va­lo­res.

Mas deu uma pis­ta me­lhor de co­mo pre­ten­de ava­li­ar a ques­tão ao ser qu­es­ti­o­na­do se, ca­so o Ju­di­ciá­rio fir­me um com­pro­mis­so de re­ver o au­xí­lio-mo­ra­dia, ele san­ci­o­na o re­a­jus­te.

“Acho que mais o que um com­pro­mis­so, é preciso que eli­mi­nem o au­xí­lio-mo­ra­dia, e de­pois, eli­mi­na­do o au­xí­lio-mo­ra­dia eu vou exa­mi­nar no pe­río­do de 15 di­as se san­ci­o­no ou não”, dis­se o pre­si­den­te. E re­for­çou: “Mas evi­den­te­men­te é im­por­tan­tís­si­mo que se eli­mi­ne o au­xi­lio-mo­ra­dia”.

O pro­je­to apro­va­do an­te­on­tem pe­lo Se­na­do ele­va de R$ 33,7 mil pa­ra R$ 39,mil o sa­lá­rio dos mi­nis­tros. Mas ele tem po­ten­ci­al pro­vo­car um “efei­to cas­ca­ta” de au­men­tos pa­ra to­do o fun­ci­o­na­lis­mo pú­bli­co, que têm es­ses ven­ci­men­tos co­mo te­to. So­man­do a União e os es­ta­dos, o im­pac­to anu­al nas con­tas pú­bli­cas po­de che­gar a R$ 6 bi­lhões.

An­tes da vo­ta­ção, o pre- si­den­te elei­to, Jair Bol­so­na­ro ( PSL), dis­se­ra que não era um “bom mo­men­to” pa­ra con­ce­der au­men­tos sa­la­ri­ais.

So­bre a tran­si­ção, Te­mer dis­se na en­tre­vis­ta que tra­tou com Bol­so­na­ro da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia e que sa­bem que não é fá­cil, nes­se mo­men­to, apro­var uma emen­da cons­ti­tu­ci­o­nal, co­mo o pro­je­to que es­tá no Con­gres­so, que exi­ge mai­o­ria qua­li­fi­ca­da. “É pos­sí­vel exa­mi­nar even­tu­ais mo­di­fi­ca­ções que pos­sam ser feitas nes­te mo­men­to por lei or­di­ná­ria, que exi­ge quo­rum me­nor pa­ra sua apro­va­ção”, afir­mou o pre­si­den­te.

| REPRODUÇÃO/RÁ­DIO BAN­DEI­RAN­TES

O pre­si­den­te Mi­chel Te­mer du­ran­te en­tre­vis­ta à Ban­dei­ran­tes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.