Cohab tem pa­co­te de 12 obras de mo­ra­dia

Obras, em par­ce­ria com em­pre­sas pri­va­das, de­vem sair do pa­pel após apro­va­ção de lei pe­la Câ­ma­ra

Metro Brazil (Campinas) - - Front Page -

O se­cre­tá­rio de Ha­bi­ta­ção, Sa­mu­el Ros­si­lho dis­se que a Cohab ( Com­pa­nhia de Ha­bi­ta­ção) já con­ta com 12 pro­je­tos pro­to­co­la­dos de em­pre­sas in­te­res­sa­das em em­pre­en­di­men­tos ha­bi­ta­ci­o­nais de in­te­res­se so­ci­al a se­rem de­sen­vol­vi­dos em Cam­pi­nas.

Se­gun­do ele, exis­tem pro­je­tos mo­des­tos, de 100 uni­da­des, mas tam­bém de gran­de por­te. No to­tal, os 12 em­pre­en­di­men­tos de­vem pro­du­zir per­to de 7,8 mil no­vas uni­da­des. Cam­pi­nas con­ta ho­je com um de­fi­cit habitacional de 36 mil mo­ra­di­as.

Ros­si­lho ga­ran­te que os pro­je­tos es­tão ape­nas aguar­dan­do a apro­va­ção de pro­je­to de lei que vai per­mi­tir a re­a­li­za­ção de par­ce­ria da Cohab com em­pre­sas pri­va­das que es­tá na Câ­ma­ra, pa­ra que os acor­dos pos­sam ser fir­ma­dos.

Se­gun­do ele, to­dos os pro­je­tos es­tão sen­do pla­ne­ja­dos pa­ra es­ta­rem do­ta­dos de equi­pa­men­tos pú­bli­cos co­mo es­co­las, ser­vi­ços e co­mér­cio.

Os que fo­rem ins­ta­la­dos na re­gião cen­tral, se­gun­do Ros­si­lho, te­rão um di­fe­ren­ci­al. Os con­do­mí­ni­os não te­rão es­pa­ços pa­ra ga­ra­gens. “A par­te de bai­xo dos pré­di­os se­rão des­ti­na­dos pa­ra lo­jas, es­cri­tó­ri­os e to­do ti­po de ser­vi­ço”, diz ele. “As mo­ra­di­as vão ser usa­das a par­tir do se­gun­do an­dar”, avi­sa.

O se­cre­tá­rio diz que o tem­po de apro­va­ção des­ses pro­je­tos se­rá re­cor­de. Afir­ma que a mu­dan­ça na lei vai per­mi­tir que um pro­ces­so que du­ra­va 36 me­ses, de­ve­rá cair pa­ra três me­ses.

Ros­si­lho diz que três con­do­mí­ni­os da pró­pria Cohab tam­bém já es­tão de­fi­ni­dos – um no Jar­dim Mi­rim, ou­tro no San Martin e um ter­cei­ro no DIC V. Jun­tos, vão ofe­re­cer cer­ca de 4,9 mil uni­da­des.

CMDU

O se­cre­tá­rio diz que es­cla­re­ceu ao CMDU (Con­se­lho Mu­ni­ci­pal de De­sen­vol­vi­men­to Ur­ba­no) so­bre um item do pro­je­to. É que um pa­re­cer do Con­se­lho pe­diu a ex­tin­ção do ar­ti­go que pre­vê con­tra­par­ti­da de 5% nos em­pre­en­di­men­tos. Pa­ra o Con­se­lho, a me­di­da vai en­ca­re­cer os pro­je­tos e o va­lor vai ser re­pas­sa­do pa­ra o pre­ço do imó­vel. Is­so, se­gun­do o ór­gão, vai in­vi­a­bi­li­zar a ofer­ta de mo­ra­di­as pa­ra a fai­xa mais bai­xa – de 0 a 3 sa­lá­ri­os. Na lei em vi­gor, se pa­ga 3,5%

Ros­si­lho diz que a me­di­da foi uma su­ges­tão do pró­prio mer­ca­do. “Eles pre­fe­rem pa­gar 5%, pois acre­di­tam que vai fi­car mui­to mais ba­ra­to, já que an­tes eles pa­ga­vam os 3,5%, e ainda ti­nham a obri­ga­ção de cum­prir even­tu­ais con­tra­par­ti­das”. ex­pli­ca.

Ros­si­lho diz que a Cohab não vai re­ce­ber di­nhei­ro dos par­cei­ros. “Es­se 5% são pa­ra as con­tra­par­ti­das”, ga­ran­te ele.

| ARQUIVO/ME­TRO

Ca­sas po­pu­la­res em Cam­pi­nas: no­vos pro­je­tos es­pe­ram pa­ra sair do pa­pel

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.