For­ça-ta­re­fa quer con­ter des­car­te ir­re­gu­lar de li­xo

Com 100 pon­tos de des­pe­jo de re­sí­du­os es­pa­lha­dos pe­la ci­da­de, pre­fei­tu­ra e polícia mon­tam es­que­ma pa­ra fla­grar em­pre­sas que des­cum­prem le­gis­la­ção. Mul­ta, que va­ria en­tre R$ 600 e R$ 6 mil, não é su­fi­ci­en­te pa­ra in­ti­mi­dar in­fra­to­res

Metro Brazil (Campinas) - - Front Page - CAR­LOS GIACOMELI

O des­car­te ir­re­gu­lar de li­xo e re­sí­du­os em Campinas já atin­ge 100 pon­tos da ci­da­de. Um em ca­da 9 bair­ros do mu­ni­cí­pio, em mé­dia, pos­sui ao me­nos um pon­to em que em­pre­sas e ou­tros mo­ra­do­res uti­li­zam pa­ra de­po­si­tar res­tos de ma­te­ri­ais. O pro­ble­ma crô­ni­co le­vou a pre­fei­tu­ra a pre­pa­rar ação pa­ra mul­tar in­fra­to­res.

Se­gun­do Er­nes­to Dimas Pau­lel­la, se­cre­tá­rio de Ser­vi­ços Pú­bli­cos de Campinas, a fis­ca­li­za­ção exis­te em to­da ci­da­de, po­rém, exis­te a di­fi­cul­da­de em con­se­guir fla­gran­tes, já que as em­pre­sas, que se­gun­do ele, res­pon­dem por 80% do des­car­te, o fa­zem em ho­rá­ri­os em que não há equi­pes da pre­fei­tu­ra. “Te­mos um tra­ba­lho que é fei­to pe­lo De­par­ta­men­to de Lim­pe­za Ur­ba­na, que ro­da a ci­da­de. Te­mos uma sé­rie de mul­tas, in­clu­si­ve en­vol­ven­do a polícia am­bi­en­tal”, co­men­ta.

Uma das di­fi­cul­da­des é que es­ses pon­tos são “vi- ci­a­dos”, ou se­ja, as­sim que lim­pos, vol­tam a re­ce­ber li­xo ir­re­gu­lar.

De acor­do com Pau­lel­la, a mai­o­ria dos des­car­tes acon­te­ce no pe­río­do da noi­te e da ma­dru­ga­da – fo­ra dos olha­res da fis­ca­li­za­ção. A me­di­da das em­pre­sas é pa­ra fu­gir do pa­ga­men­to de ta­xa na usi­na de re­ci­cla­gem. Pa­ra de­po­si­tar uma ca­çam­ba de cin­co me­tros na URM o cus­to é de R$ 65,00.

Se os fla­gran­tes não acon­te­cem com frequên­cia, a pre­fei­tu­ra con­se­gue re­ti­rar por mês cer­ca de 20 mil to­ne­la­das de en­tu­lho. Is­so por­que, a ca­da lim­pe­za, mais ma­te­ri­ais são de­po­si­ta­dos de for­ma ir­re­gu­lar. “In­fe­liz­men­te exis­tem maus ci­da­dãos, que além de su­jar a ci­da­de, faz com que ha­ja cri­a­dou­ros de do­en­ças, mos­qui­tos, e ani­mais pe­ço­nhen­tos, co­mo es­cor­piões, ara­nhas e ra­tos”, ex­pli­ca.

Um dos pon­tos fla­gra­dos pe­lo Me­tro fi­ca no bair- ro Jar­dim Con­cei­ção I, ao la­do da rua Jo­sé Cris­tó­vão Gon­çal­ves. Por lá, a ce­na é de um li­xão a céu aber­to. A área to­tal­men­te to­ma­da pe­lo des­car­te ir­re­gu­lar, ao la­do de uma es­tra­da de ter­ra, é tão gran­de que mais pa­re­ce um lo­cal fei­to ex­clu­si­va­men­te pa­ra is­so.

Qu­es­ti­o­na­da, a pre­fei­tu­ra in­for­mou atra­vés de no­ta que o lo­cal já es­tá na pro­gra­ma­ção do de­par­ta­men­to pa- ra a lim­pe­za, que de­ve ocor­rer até o fim da se­ma­na.

Ou­tro pon­to, es­se ain­da mais pro­ble­má­ti­co, fi­ca no bair­ro San Mar­tin, pró­xi­mo à di­vi­sa com Su­ma­ré. O al­to vo­lu­me de des­car­te ir­re­gu­lar mo­ti­vou a pre­fei­tu­ra a pla­ne­jar for­ça-ta­re­fa com aju­da da polícia am­bi­en­tal pa­ra coi­bir a ação de in­fra­to­res.

“É um pon­to crí­ti­co, que in­fe­liz­men­te tem des­car­te fei­to mui­tas ve­zes por ci­da­dãos de mu­ni­cí­pio de Su­ma­ré. São ca­mi­nhões de des­car­te no pe­río­do da noi­te. Re­cen­te­men­te re­mo­ve­mos o equi­va­len­te a 100 ca­mi­nhões de en­tu­lho des­sa área. Es­ta­mos pre­pa­ran­do uma ação com polícia, por­que is­so é cri­me am­bi­en­tal. Fa­re­mos apre­en­são des­ses veí­cu­los e mul­ta­re­mos os res­pon­sá­veis”, co­men­ta o se­cre­tá­rio. A Se­cre­ta­ria ain­da não de­fi­niu da­tas da ação.

No to­tal, Campinas tem 22 eco­pon­tos de des­car­te re­gu­lar. Um de­les bem per­to da área des­ta­ca­da na re­por­ta­gem, no Jar­dim Con­cei­ção, pró­xi­mo à ave­ni­da Car­los Gri­mal­di.

| LUCIANO CLAUDINO/CÓDIGO19

Área do Jar­dim Con­cei­ção I: des­car­te ir­re­gu­lar crô­ni­co

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.