COI­SAS A FA­ZER: 1. IR À LI­VRA­RIA

ACA­BA DE SER LAN­ÇA­DO ‘O LI­VRO DAS LIS­TAS’, UMA FOR­MA DI­FE­REN­TE DE CO­NHE­CER RE­NA­TO RUS­SO

Metro Brazil (Campinas) - - Front Page -

Os es­cri­to­res Tar­so de Me­lo e So­fia Ma­riut­ti ti­ve­ram o de­sa­fio de mer­gu­lhar em cer­ca de 60 ca­der­nos do vo­ca­lis­ta da Le­gião Ur­ba­na, Re­na­to Rus­so, mor­to em 1996, com 36 anos, pa­ra con­ce­ber o li­vro “Re­na­to Rus­so: O Li­vro das Lis­tas”, lan­ça­do no iní­cio des­te mês. A obra apre­sen­ta as re­fe­rên­ci­as mu­si­cais, cul­tu­rais e sen­ti­men­tais de um dos as­tros do rock bra­si­lei­ro por meio de uma de su­as ma­ni­as: as lis­tas.

A pu­bli­ca­ção traz de­ze­nas de­las cri­a­das pe­lo can­tor du­ran­te to­da a vi­da – da ado­les­cên­cia à mor­te – que vão de “10 pes­so­as fa­mo­sas que vo­cê con­vi­da­ria pa­ra jan­tar”, em que Re­na­to in­clui Je­sus Cris­to e o can­tor de punk Sid Vi­ci­ous, a “can­ções fa­vo­ri­tas de to­dos os tem­pos”. Nes­ta úl­ti­ma, o front­man do Le­gião Ur­ba­na ele­ge “In My Li­fe”, dos Be­a­tles, co­mo a sua pre­di­le­ta.

Pa­ra Tar­so de Me­lo, que te­ve a ta­re­fa de or­ga­ni­zar e dis­cor­rer so­bre al­guns pon­tos da obra, co­mo os can­to­res dos quais Re­na­to Rus­so gos­ta­va, a jor­na­da foi uma des­co­ber­ta pes­so­al. “Elas (as lis­tas) são re­ve­la­do­ras. O Re­na­to era uma pes­soa mui­to cul­ta. Dá pa­ra ver to­das as re­fe­rên­ci­as do que ele es­cu­ta­va, as­sis­tia, lia e apre­ci­a­va an­tes de com­por”, dis­se.

O es­cri­tor tam­bém co­men­tou o que mais cha­mou a aten­ção du­ran­te to­do o pro­ces­so de pro­du­ção do li­vro. “Ao ana­li­sar a lis­ta so­bre as pes­so­as que ele con­vi­da­ria pa­ra jan­tar, por exem­plo, deu pa­ra per­ce­ber que ele era uma pes­soa que ti­nha um pon­to de vis­ta éti­co e tam­bém re­bel­de”, ex­pli­cou.

Sim­ples e con­tur­ba­do

A men­te de Re­na­to Rus­so era con­tur­ba­da e di­fe­ren­te. En­tre­tan­to, ape­sar de re­gis­trar ques­tões li­ga­das à ar­te, ele tam­bém pro­du­zia lis­tas sim­ples, co­mo afa­ze­res do dia a dia. Um exem­plo é a ati­vi­da­de “ir ao sin­di­ca­to dos mú­si­cos e des­co­brir qual a si­tu­a­ção re­al”.

“A gen­te ten­ta in­ter­pre­tar um pou­co de tu­do. São coi­sas sim­ples que nos le­vam a um cha­ma­riz de cu­ri­o­si­da­des”, ava­li­ou Me­lo.

O li­vro foi ide­a­li­za­do pe­lo fi­lho de Re­na­to Rus­so, Giu­li­a­no Man­fre­di­ni, jun­to com a ex­po­si­ção so­bre a vi­da do ar­tis­ta, fei­ta com ba­se no seu acer­vo, que con­tém pe­ças de ves­tuá­rio, fo­to­gra­fi­as, ma­nus­cri­tos, en­tre ou­tros. A mos­tra po­de ser vi­si­ta­da até 28 de ja­nei­ro de 2018 no MIS (Mu­seu da Ima­gem e do Som de São Pau­lo), na ca­pi­tal pau­lis­ta.

Re­na­to Rus­so mor­reu em 1996, aos 36 anos

AL­GU­MAS DAS LIS­TAS Ar­te, ta­re­fas, cu­ri­o­si­da­des, idei­as: Re­na­to Rus­so lis­ta­va de tu­do um pou­co

“O LI­VRO DAS LIS­TAS” TAR­SO DE ME­LO E SO­FIA MA­RIUT­TI COM­PA­NHIA DAS LE­TRAS, R$ 59,90

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.