STF não au­to­ri­za o ensino do­mi­ci­li­ar

Su­pre­mo de­ci­diu on­tem que pais não po­dem ti­rar os filhos da es­co­la para edu­cá­los em ca­sa. Para os mi­nis­tros, é ne­ces­sá­rio an­tes que ha­ja uma lei que as­se­gu­re a va­li­da­de

Metro Brazil (Campinas) - - Brasil -

O STF ( Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral) ne­gou on­tem, por mai­o­ria de vo­tos, que fa­mí­li­as pos­sam edu­car os filhos em ca­sa em vez de ma­tri­cu­lá-los na es­co­la. Para a mai­o­ria dos mi­nis­tros, é pre­ci­so an­tes que ha­ja uma lei que pre­ve­ja es­se ti­po de ensino.

O jul­ga­men­to ha­via co­me­ça­do na se­ma­na pas­sa­da, e o re­la­tor, mi­nis­tro Luís Ro­ber­to Bar­ro­so, vo­tou a fa­vor do ensino do­mi­ci­li­ar.

On­tem, po­rém, ele não foi acom­pa­nha­do pe­la mai­o­ria dos pa­res. Seis mi­nis­tros – Ale­xan­dre de Mo­ra­es, Ed­son Fa­chin, Ro­sa We­ber, Gil­mar Men­des, Di­as Tof­fo­li e Cár­men Lú­cia – con­si­de­ram que o ensino em ca­sa só po­de­ria ser le­gi­ti­ma­do se hou­ves­se lei de­ter­mi­nan­do di­re­tri­zes para a prá­ti­ca. Fa­chin su­ge­riu, in­clu­si­ve, que o Con­gres­so crie es­ta re­gu­la­ção em um ano.

Para ou­tros três mi­nis­tros – Luiz Fux, Ri­car­do Lewan­dows­ki e Mar­co Au­ré­lio –, a prá­ti­ca é in­cons­ti­tu­ci­o­nal. Cel­so de Mel­lo, de­ca­no da Cor­te, não par­ti­ci­pou da ses­são por pro­ble­mas da saú­de.

A dis­pu­ta

O que o STF de­ci­diu on­tem é que o ensino do­mi­ci­li­ar não é meio le­gí­ti­mo do cum­pri­men­to do de­ver da família de pro­ver edu­ca­ção, pre­vis­to na Cons­ti­tui­ção. A ques­tão que chegou ao Su­pre­mo era sobre uma família de Ca­ne­la (RS) que bri­ga­va des­de a pri­mei­ra ins­tân­cia pe­lo di­rei­to de edu­car a família em ca­sa. Se­gun­do a Aned (As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal de Edu­ca­ção Fa­mi­li­ar), há ho­je cer­ca de 15 mil jo­vens de 4 a 17 anos sen­do edu­ca­dos em ca­sa.

| FÁ­TI­MA MEIRA/FU­TU­RA PRESS

Só o mi­nis­tro Luís Ro­ber­to Bar­ro­so vo­tou pe­la le­ga­li­da­de

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.