JA­PO­NÊS QUE FA­LA A NOS­SA LÍN­GUA

Mo­de­lo é con­for­tá­vel e es­pa­ço­so, mas po­tên­cia ren­de um de­sem­pe­nho ape­nas ra­zoá­vel

Metro Brazil (Curitiba) - - MOTOR -

À pri­mei­ra vis­ta o Nis­san Kicks, ago­ra fa­bri­ca­do no Bra­sil, se des­ta­ca pe­la be­le­za. As on­du­la­ções e vo­lu­mes nas li­nhas di­an­tei­ra e tra­sei­ra dão flui­dez ao de­sign. O in­te­ri­or, en­tre­tan­to, não mu­dou em re­la­ção ao an­te­ces­sor im­por­ta­do do Mé­xi­co. Se­gue con­for­tá­vel ape­nas pa­ra dois adul­tos e uma cri­an­ça no ban­co tra­sei­ro. Os ban­cos, aliás, são anatô­mi­cos e fo­ram de­sen­vol­vi­dos em con­jun­to com a Na­sa.

Li­gei­ra­men­te mai­or que o Je­ep Re­ne­ga­de, o Nis­san Kicks tem pra­ti­ca­men­te as mes­mas me­di­das do Hon­da HR-V, mas o bom por­ta-ma­las do SUV da Nis­san é cer­ca de 50% mai­or que o do con­cor­ren­te. A na­ci­o­na­li­za­ção da pro­du­ção pos­si­bi­li­tou à Nis­san ofe­re­cer uma ver­são me­nos ca­ra, a S, ven­di­da por R$ 70.500. A ver­são tes­ta­da pe­lo Au­to Papo é a mais com­ple­ta, a SL, por R$ 94.600.

Pro­du­zi­do na plan­ta de Re­sen­de (RJ), o Nis­san Kicks re­al­men­te fa­la a nos­sa lín­gua e en­ten­de nos­sos de­fei­tos. O SUV en­ca­ra as mal con­ser­va­das vi­as bra­si­lei­ras nu­ma boa. Ou­tro pon­to po­si­ti­vo é que se sai mui­to bem em que­bra-mo­las e ram­pas de ga­ra­gens ín­gre­mes.

O mo­tor tra­ba­lha si­len­ci­o­sa­men­te em to­das as ro­ta­ções. Pa­re­ce não fa­zer mui­ta for­ça pa­ra im­pul­si­o­nar o veí­cu­lo. Ape­sar de a po­tên­cia não ser ele­va­da, de­vi­do à car­ro­ce­ria mais le­ve, os 114 cv do mo­tor 1.6 flex per­mi­tem boa re­la­ção pe­so/po­tên­cia com de­sem­pe­nho sa­tis­fa­tó­rio, po­rém sem qual­quer pre­ten­são es­por­ti­va.

O acer­to da trans­mis­são au­to­má­ti­ca CVT da ver­são tes­ta­da pro­por­ci­o­na bom de­sem­pe­nho no trân­si­to ur­ba­no e na es­tra­da. Ape­nas nas re­to­ma­das o veí­cu­lo é len­to e de­mo­ra a re­cu­pe­rar a ve­lo­ci­da­de. Co­mo não há pos­si­bi­li­da­de de mu­dan­ças ma­nu­ais (nem pe­la ala­van­ca do câm­bio e mui­to me­nos por bor­bo­le­tas no vo­lan­te) pa­ra mai­or es­per­te­za po­de ser aci­o­na­do o mo­do “sport” em um bo­tão pra­ti­ca­men­te in­vi­sí­vel na par­te de trás do po­mo da ala­van­ca.

Mas, se for ne­ces­sá­ria uma re­du­ção rá­pi­da em si­tu­a­ção de ris­co, po­de ser aci­o­na­da a po­si­ção “L” (de “Low”) que o gi­ro do mo­tor so­be ime­di­a­ta­men­te e as re­a­ções fi­cam ner­vo­sas. Uma ques­tão que me­re­ce aten­ção: ao ali­vi­ar o pé após ter pi­sa­do fun­do o veí­cu­lo cos­tu­ma ace­le­rar ain­da mais por al­guns ins­tan­tes, o que as­sus­ta.

Enfim, não há so­bras ou fal­tas, re­sul­tan­do em uma pro­pos­ta ra­ci­o­nal. A con­for­tá­vel po­si­ção de di­ri­gir, jun­to à di­re­ção elé­tri­ca le­ve, mas na me­di­da, se so­mam ao si­lên­cio do mo­tor.

Po­rém, o con­jun­to po­de­ria ser ain­da me­lhor com a dis­po­ni­bi­li­da­de de sis­te­mas de se­gu­ran­ça pas­si­va, já co­muns em veí­cu­los com­pac­tos, co­mo su­per­vi­são de pon­tos ce­gos, au­xi­li­ar de ma­nu­ten­ção de fai­xa de ro­la­men­to e o con­tro­le au­to­má­ti­co de ve­lo­ci­da­de de cru­zei­ro. O aca­ba­men­to in­ter­no é bem fei­to, mas ex­ce­to por al­guns de­ta­lhes (pai­nel fron­tal e re­ves­ti­men­to das por­tas), tu­do é fei­to de plás­ti­co du­ro.

Fal­tam saí­das de ar con­di­ci­o­na­do e to­ma­das USB pa­ra os passageiros tra­sei­ros. A ver­são tes­ta­da, a SL (mais com­ple­ta), tem co­mo des­ta­ques de con­teú­do o sis­te­ma de câ­me­ras que mos­tram to­dos os obs­tá­cu­los ao re­dor do veí­cu­lo co­mo se o mo­to­ris­ta es­ti­ves­se olhan­do por ci­ma do car­ro. Tem ain­da pai­nel de ins­tru­men­tos com te­la LCD on­de é pos­sí­vel es­co­lher as in­for­ma­ções a se­rem exi­bi­das. Ou­tros itens são: ar con­di­ci­o­na­do di­gi­tal, chave pre­sen­ci­al, au­xi­li­ar de par­ti­da em ram­pas, as­sen­tos em cou­ro, re­tro­vi­so­res com re­ba­ti­men­to au­to­má­ti­co e mul­ti­mí­dia com te­la tou­ch de 7 po­le­ga­das.

FOTOS: DI­VUL­GA­ÇÃO

Mo­tor si­len­ci­o­so é pon­to po­si­ti­vo

Mo­de­lo não tem op­ção de tra­ção 4x4

Pai­nel é re­ves­ti­do em cou­ro

Po­tên­cia dei­xa a de­se­jar

Por­ta-ma­las é de 432 li­tros

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.