O ‘round 2’ de Lu­la e Mo­ro

Se­gun­da au­di­ên­cia en­tre o ex-pre­si­den­te e o juiz, nes­ta quar­ta, ten­de a ser mais en­xu­ta e me­nos ‘gla­mou­ri­za­da’ do que a an­te­ri­or

Metro Brazil (Curitiba) - - BRASIL -

Me­nos per­gun­tas e me­nos his­te­ria do la­do de fo­ra do pré­dio da Jus­ti­ça Fe­de­ral do Pa­ra­ná, em Cu­ri­ti­ba, de­vem mar­car o se­gun­do de­poi­men­to do ex-pre­si­den­te Lu­la ao juiz Sér­gio Mo­ro, nes­ta quar­ta-fei­ra, em Cu­ri­ti­ba.

Já con­de­na­do a 9 anos e 6 me­ses de pri­são pe­lo epi­só­dio do trí­plex do Gu­a­ru­já, Lu­la des­ta vez se­rá ou­vi­do pe­la acu­sa­ção de ter re­ce­bi­do, da em­prei­tei­ra Ode­bre­cht, um ter­re­no de R$ 12,4 mi­lhões des­ti­na­do a ser a no­va se­de do Ins­ti­tu­to Lu­la (mu­dan­ça que aca­bou não sain­do do pa­pel) e mais um apar­ta­men­to de R$ 504 mil em São Ber­nar­do do Cam­po, vi­zi­nho ao que o pe­tis­ta mo­ra com a fa­mí­lia. No pa­pel, es­te imó­vel con­tí­guo foi alu­ga­do pe­lo ex-pre­si­den­te, mas só a par­tir de 2016, quando as in­ves­ti­ga­ções já es­ta­vam em cur­so.

No pri­mei­ro en­con­tro pessoal en­tre Lu­la e Mo­ro, em maio, o pe­tis­ta fa­lou por qua­se 5 ho­ras, o que in­cluiu até uma pau­sa pa­ra des­can­so.

Des­ta vez há a ex­pec­ta­ti­va que o diálogo se­ja mais cur­to: o juiz po­de evi­tar re­pe­tir ques­tões con­tex­tu­ais – so­bre Lu­la ter ou não co­nhe­ci­men­to de de­ta­lhes do es­que­ma da Pe­tro­bras, por exem­plo – e, além dis­so, o pe­tis­ta não es­ta­rá so­zi­nho: na mes­ma tar­de o ma­gis­tra­do pre­ten­de ou­vir o ad­vo­ga­do Ro­ber­to Teixeira, com­pa­dre de Lu­la, e Bra­nis­lav Kon­tic, que foi as­ses­sor do ex-mi­nis­tro An­to­nio Pa­loc­ci.

A mo­bi­li­za­ção de ma­ni­fes­tan­tes pró e con­tra o ex-pre­si­den­te tam­bém de­ve ser aquém da pri­mei­ra vez. A Fren­te Bra­sil Po­pu­lar, que mo­bi­li­zou um ato com qua­se 10 mil pes­so­as – com di­rei­to a acam­pa­men­to – em fa­vor de Lu­la após a au­di­ên­cia de maio, já or­ga­ni­za no­vas ca­ra­va­nas, mas a ade­são nas re­des so­ci­ais tem si­do me­nor. Já os gru­pos pró-Lava Jato, que fi­ze­ram um tí­mi­do even­to na pri­mei­ra oca­sião, ainda não têm gran­des even­tos agen­da­dos.

A Sesp-PR (Se­cre­ta­ria de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca do Pa­ra­ná) vai de­fi­nir ho­je, em reu­nião com a PF (Po­lí­cia Fe­de­ral), o es­que­ma de se­gu­ran­ça pa­ra a au­di­ên­cia, mas, a de­pen­der da ex­pec­ta­ti­va de pú­bli­co, o apa­ra­to po­de ser me­nor: em maio, fo­ram gas­tos R$ 110 mil na ope­ra­ção que in­cluiu 3 mil agen­tes (dos quais 1,7 mil po­li­ci­ais mi­li­ta­res) e até um he­li­cóp­te­ro que so­bre­vo­ou o pré­dio da Jus­ti­ça por 16 ho­ras. dis­cu­tem a com­pra do ter­re­no ao de Lu­la (2ª par­te da de­nún­cia) foi só co­me­çou a re­ce­ber alu­guéis de Lu­la em

| RO­DRI­GO FÉLIX LE­AL / FU­TU­RA PRESS

Na pri­mei­ra au­di­ên­cia, em maio, 1,7 mil po­li­ci­ais mi­li­ta­res atu­a­ram na se­gu­ran­ça

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.