Lo­bão sol­ta ve­ne­no em li­vro so­bre rock oi­ten­tis­ta

Metro Brazil (Curitiba) - - CULTURA -

“Uma mer­da. Uma gran­de mer­da”. É as­sim que o can­tor Lo­bão se re­fe­re às atu­ais cor­ren­tes mu­si­cais do rock na­ci­o­nal, que se­gun­do ele, “ine­xis­te”.

Ele ex­põe a opi­nião com o aval de qu­em ini­ci­ou a car­rei­ra, em 1974, co­mo ba­te­ris­ta do gru­po Ví­ma­na e aca­ba de lan­çar o li­vro “O Guia Po­li­ti­ca­men­te In­cor­re­to dos Anos 80 pe­lo Rock”.

Aos 59 anos, Lo­bão re­ve­la no li­vro si­tu­a­ções de uma épo­ca con­si­de­ra­da mar­can­te pa­ra o rock na­ci­o­nal, do qual se au­toin­ti­tu­la “só­cio-fun­da­dor”. A his­tó­ria co­me­ça no ano de 1976 com o Festival de Sa­qua­re­ma, que reu­niu os prin­ci­pais no­mes do que vi­ria a se cons­ti­tuir co­mo rock dos anos 1980.

Ao lon­go de 496 pá­gi­nas, Lo­bão re­lem­bra ami­za­des, par­ce­ri­as, der­ro­tas, de­cep­ções, o uso de dro­gas le­ves e pe­sa­das, o cor­po­ra­ti­vis­mo bu­ro­crá­ti­co, a bai­xa au­to­es­ti­ma e as can­ções que mar­ca­ram épo­ca. O can­tor crê que a his­tó­ria do rock sem­pre foi mal con­ta­da e ex­pli­ca por­que se sen­tiu au­to­ri­za­do a apre- sen­tá-las. “Eu vi­vi, en­gen­drei, atu­ei, cons­pi­rei e in­ven­tei mui­to na­que­le tem­po.”

Lo­bão tem ain­da uma hi­pó­te­se pa­ra o porquê dos anos 1980 te­rem dei­xa­do sau­da­des. “Veio de­le o mai­or nú­me­ro de gran­des can­ções en­tre to­dos os ou­tros pe­río­dos da his­tó­ria de mú­si­ca po­pu­lar bra­si­lei­ra”, diz, mas­sa­cran­do o gê­ne­ro atu­al.

| DENNY CESARE/CÓDIGO19

Lo­bão no lan­ça­men­to do seu li­vro em Campinas

‘O GUIA PO­LI­TI­CA­MEN­TE IN­COR­RE­TO DOS ANOS 80 PE­LO ROCK’ LO­BÃO LEYA, 496 PÁGS. R$ 60

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.