É CURÁVEL!

Metro Brazil (Curitiba) - - PUBLIMETRO - iva­na.mo­rei­ra@can­gu­ru­on­li­ne.com.br A can­gu­ru­on­li­ne.com.br é uma plataforma de con­teú­do so­bre pri­mei­ra in­fân­cia e pres­ta­ção de ser­vi­ços pa­ra pais e edu­ca­do­res. A co­lu­na Can­gu­ru no Me­tro é pu­bli­ca­da to­das as ter­ças-fei­ras, sem­pre nes­te es­pa­ço.

O cân­cer é a prin­ci­pal cau­sa de mor­te de cri­an­ças e ado­les­cen­tes por do­en­ça no Bra­sil. Se­gun­do as es­ti­ma­ti­vas do Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Cân­cer (In­ca), cer­ca de 4.000 me­ni­nos e me­ni­nas de 1 a 14 anos vão mor­rer ví­ti­mas da do­en­ça ao lon­go do pró­xi­mo ano. Di­zem que a im­pren­sa gos­ta de dar más no­tí­ci­as. Não é ver­da­de. Dar más no­tí­ci­as faz par­te do nos­so ofí­cio – é pre­ci­so ex­por as ma­ze­las pa­ra pro­vo­car re­fle­xões e mu­dan­ças na so­ci­e­da­de. Mas, nós, jor­na­lis­tas gos­ta­mos mes­mo é de dar bo­as no­tí­ci­as. E en­trei na cam­pa­nha Se­tem­bro Dou­ra­do pa­ra mos­trar que nem tu­do é má no­tí­cia nesta pau­ta: o cân­cer in­fan­til é, de mo­do ge­ral, mais curável do que em adul­tos. Em cri­an­ças e ado­les­cen­tes, ele apre­sen­ta ta­xa de cu­ra de apro­xi­ma­da­men­te 70% com chan­ces ain­da mai­o­res de re­cu­pe­ra­ção quan­do o di­ag­nós­ti­co acon­te­ce ra­pi­da­men­te. ATI­TU­DE PO­SI­TI­VA FAZ DI­FE­REN­ÇA! “Fé e ati­tu­de po­si­ti­va po­dem sal­var o seu filho”, diz Cris­ti­a­ne Mi­ran­da. Aos 11 anos, Caio, seu úni­co filho, se re­cu­pe­ra do tra­ta­men­to de um ca­so ra­ro de leu­ce­mia. A jor­na­lis­ta sa­be co­mo é im­por­tan­te, pa­ra uma mãe que so­fre com o di­ag­nós­ti­co re­cém-des­co­ber­to, en­con­trar con­for­to nas his­tó­ri­as de su­pe­ra­ção. Por is­so, re­sol­veu com­par­ti­lhar sua pró­pria his­tó­ria no li­vro Ma­mãe Co­ra­gem, que se­rá pro­du­zi­do com re­cur­sos de fi­nan­ci­a­men­to co­le­ti­vo. Além da obra, a cam­pa­nha re­cém-lan­ça­da pre­ten­de fi­nan­ci­ar pa­les­tras de ori­en­ta­ção pa­ra pais e do­a­ção de ca­dei­ras de acom­pa­nhan­te pa­ra alas de on­co­lo­gia pe­diá­tri­ca de hos­pi­tais pú­bli­cos. “Ter a mãe ao la­do du­ran­te o tra­ta­men­to faz to­da a di­fe­ren­ça”, ex­pli­ca Cris­ti­a­ne. Do­a­ções a par­tir de 35 re­ais po­dem ser fei­tas no si­te www.ca­tar­se.me/ma­ma­e­co­ra­gem. FI­QUE ATEN­TO! Con­fi­ra os prin­ci­pais si­nais e sin­to­mas re­la­ci­o­na­dos aos tu­mo­res na in­fân­cia. na per­na. men­te in­do­lo­res e sem fe­bre. fe­bre, tos­se per­sis­ten­te, fal­ta de ar e su­do­re­se no­tur­na.

bran­ca, es­tra­bis­mo de iní­cio re­cen­te, per­da vi­su­al, he­ma­to­mas ou in­cha­ço ao re­dor dos olhos. tos, vi­são tur­va, pro­ble­mas de equi­lí­brio, al­te­ra­ções da per­so­na­li­da­de e do com­por­ta­men­to, con­vul­sões, so­no­lên­cia. in­cha­ço sem trau­ma ou si­nais de in­fec­ção.

GUSTAVO ANDRADE

Cris­ti­a­ne Mi­ran­da e o filho Caio: eles su­pe­ra­ram um ca­so ra­ro de leu­ce­mia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.