VAI DAR mul­ta...

Fi­que de olho! Co­nhe­ça 10 ati­tu­des que são in­fra­ções de trân­si­to... e a mai­o­ria dos mo­to­ris­tas não sa­be que elas ge­ram mul­tas e pon­tos na car­tei­ra. Dei­xar de dar pas­sa­gem a ou­tro veí­cu­lo na fai­xa da es­quer­da é uma de­las

Metro Brazil (Curitiba) - - { SEMANA DO TRÂNSITO} -

A mai­o­ria das in­fra­ções de trân­si­to, co­mo avan­çar si­nal ver­me­lho e ul­tra­pas­sar em lo­cal proi­bi­do, é bem co­nhe­ci­da dos mo­to­ris­tas. Mas vo­cê sa­bia que de­mo­rar a sair com o car­ro de­pois que o si­nal abre e dei­xar de dar pas­sa­gem ao veí­cu­lo de trás qu­an­do vo­cê es­tá na fai­xa da es­quer­da tam­bém po­dem ren­der mul­ta e pon­tos na car­tei­ra de ha­bi­li­ta­ção? Com a aju­da do ge­ren­te ope­ra­ci­o­nal do De­tran-ES (De­par­ta­men­to Es­ta­du­al de Trân­si­to), Cle­ber Bon­ges­tab, o Metro elen­cou 10 in­fra­ções pou­co co­nhe­ci­das pe­los mo­to­ris­tas e as mul­tas que elas po­dem ge­rar.

Al­gu­mas si­tu­a­ções são até cu­ri­o­sas, co­mo di­ri­gir com o vi­dro do veí­cu­lo em­ba­ça­do. Quem não uti­li­za o lim­pa­dor de pa­ra-bri­sas po­de ser mul­ta­do em R$ 195,23 e le­var cin­co pon­tos na car­tei­ra.

Ou­tras in­fra­ções cha­mam a aten­ção por se­rem bas­tan­te re­cor­ren­tes, mas pou­co per­ce­bi­das. Bon­ges­tab ex­pli­ca que no Es­ta­do é co­mum os mo­to­ris­tas não da­rem pas­sa­gem pa­ra o veí­cu­lo que vem atrás em ve­lo­ci­da­de mai­or, na fai­xa da es­quer­da. A re­gra va­le em pis­tas on­de há mais de uma fai­xa no mes­mo sen­ti­do.

“Se es­tou na fai­xa da es­quer­da, te­nho obri­ga­ção de per­ce­ber a apro­xi­ma­ção de ou­tro veí­cu­lo e dar pas­sa­gem, mes­mo que ele es­te­ja em ve­lo­ci­da­de superior à má­xi­ma per­mi­ti­da na via. E ele po­de pe­dir a pas­sa­gem com uma pis­ca­da de fa­rol, por exem­plo, ou uma bu­zi­na­da sim­ples”, ex­pli­ca.

Tam­bém é in­fra­ção li­gar o pis­ca-aler­ta do car­ro ao fre­ar ra­pi­da­men­te, pa­ra avi­sar ao veí­cu­lo de trás, ou du­ran­te chu­va for­te – dois atos tam­bém mui­to co­muns por par­te dos mo­to­ris­tas. Pe­la le­gis­la­ção, o pis­ca-aler­ta só de­ve ser aci­o­na­do pa­ra si­na­li­zar que o veí­cu­lo es­tá pa­ra­do de­vi­do a fa­lha me­câ­ni­ca, por exem­plo, ou em ca­so de emer­gên­cia.

Bon­ges­tab ex­pli­ca que o des­co­nhe­ci­men­to de al­gu­mas re­gras de trân­si­to acon­te­ce por­que a for­ma­ção do con­du­tor no Bra­sil li­mi­ta-se a en­si­nar as in­fra­ções mais co­muns e pre­pa­rar o alu­no pa­ra a pro­va de le­gis­la­ção de trân­si­to.

“Te­mos uma ca­rên­cia na for­ma­ção, que de­ve­ria ser ini­ci­a­da des­de a pré-es­co­la. To­das as re­gras de trân­si­to de­vem ser se­gui­das pa­ra a se­gu­ran­ça de to­dos. Não é por­que uma in­fra­ção é me­nos co­nhe­ci­da que a ou­tra ou me­nos pas­sí­vel de mul­ta que ela se tor­na me­nos im­por­tan­te”, diz.

Di­ri­gir com o vi­dro do veí­cu­lo em­ba­ça­do po­de ge­rar mul­ta de R$ 195,23

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.