A MO­BI­LI­DA­DE NO SA­LÃO DO AU­TO­MÓ­VEL

Metro Brazil (Espirito Santo) - - Publimetro -

Mai­or even­to da in­dús­tria au­to­mo­bi­lís­ti­ca da Amé­ri­ca La­ti­na, o Sa­lão do Au­to­mó­vel co­me­ça ho­je em São Pau­lo e vai até o dia 18 de no­vem­bro, com a no­vi­da­de de um es­pa­ço to­tal­men­te vol­ta­do às dis­cus­sões so­bre a mo­bi­li­da­de. Tra­ta-se do pro­je­to New Mo­bi­lity, com pa­les­tras de vá­ri­os es­pe­ci­a­lis­tas do se­tor.

Im­por­tan­te de­ba­ter so­bre car­ros elé­tri­cos, mo­bi­li­da­de ati­va (bi­ci­cle­ta e pe­des­tri­a­nis­mo) e trans­por­te co­le­ti­vo em um even­to des­se por­te. Na atu­al fa­se, de gran­des e rá­pi­das trans­for­ma­ções, até mes­mo as mon­ta­do­ras de car­ros que­rem se po­si­ci­o­nar de for­ma di­fe­ren­te, ofe­re­cen­do não ape­nas au­to­mó­veis, mas “so­lu­ções de mo­bi­li­da­de”.

Um exem­plo é a em­pre­sa Ge­ne­ral Mo­tors, que anun­ci­ou no dia 6 a ven­da do seu pri­mei­ro car­ro elé­tri­co no Bra­sil em 2019: o Bolt, que de­ve­rá cus­tar R$ 175 mil. A no­vi­da­de tem a ver com as idei­as da lí­der glo­bal da em­pre­sa, Mary Bar­ra, de 56 anos, a primeira mu­lher a di­ri­gir uma mon­ta­do­ra nos Es­ta­dos Uni­dos e uma das exe­cu­ti­vas mais po­de­ro­sas do mun­do.

UM MUN­DO ME­LHOR E SUS­TEN­TÁ­VEL

No fi­nal de 2017, Mary lan­çou o pro­gra­ma “Zero, Zero, Zero”, que pre­co­ni­za zero aci­den­tes, zero emis­sões e zero con­ges­ti­o­na­men­tos. “Es­ta­mos no meio de uma re­vo­lu­ção. Nos­sos veí­cu­los es­tão mu­dan­do, im­pul­si­o­na­dos por no­vas tec­no­lo­gi­as e pe­las de­man­das atu­ais. Que­re­mos um ar mais lim­po e pre­ser­var nos­so pla­ne­ta pa­ra as ge­ra­ções fu­tu­ras. A boa no­tí­cia é que a nos­sa ge­ra­ção tem a am­bi­ção, o ta­len­to e a tec­no­lo­gia pa­ra tor­nar o mun­do me­lhor e mais sus­ten­tá­vel. E a Ge­ne­ral Mo­tors com­pro­me­te-se a li­de­rar o ca­mi­nho pa­ra es­se fu­tu­ro”, de­cla­rou Bar­ra quan­do anun­ci­ou es­ta vi­são da GM, re­a­fir­man­do sua li­de­ran­ça ho­lís­ti­ca e fo­ca­da em me­lho­rar a vi­da das pes­so­as.

Tra­ta-se de um ca­mi­nho dis­rup­ti­vo e sem vol­ta, e que tra­rá mui­tos be­ne­fí­ci­os pa­ra a po­pu­la­ção, a co­me­çar pe­la saú­de e a qua­li­da­de de vi­da pro­por­ci­o­na­da pe­lo uso de veí­cu­los não po­lu­en­tes.

Em to­do o mun­do, te­mos exem­plos de paí­ses que já ado­ta­ram ou de­cre­ta­ram pa­ra breve o fim dos car­ros com mo­to­res mo­vi­dos a com­bus­tí­veis fós­seis. A No­ru­e­ga co­lo­cou o ano de 2025 co­mo li­mi­te pa­ra a cir­cu­la­ção de au­to­mó­veis com pro­pul­são a ga­so­li­na ou di­e­sel, Pa­ris di­vul­gou que irá ba­nir veí­cu­los a di­e­sel a par­tir de 2024, e no Rei­no Uni­do, a par­tir de 2040, se­rá proi­bi­da a ven­da de car­ros no­vos mo­vi­dos a ga­so­li­na e a di­e­sel. O Bra­sil, co­mo sem­pre, es­tá no fi­nal da fi­la: pro­je­to de lei em tra­mi­ta­ção no Con­gres­so pre­vê pa­ra 2060 o fim dos au­to­mó­veis com mo­tor ali­men­ta­do por de­ri­va­dos de pe­tró­leo. En­tre as cau­sas des­se atra­so es­tão ques­tões co­mo a fal­ta de in­cen­ti­vos pú­bli­cos, au­sên­cia de in­ves­ti­men­to em in­fra­es­tru­tu­ra e inú­me­ros in­te­res­ses par­ti­cu­la­res. Res­ta a nós, so­ci­e­da­de in­te­res­sa­da em re­du­zir a pe­ri­go­sa po­lui­ção das ci­da­des e me­lho­rar a saú­de das pes­so­as, o mo­vi­men­to de pres­são e vi­gi­lân­cia so­bre os atos do go­ver­no pa­ra não an­dar­mos na mar­cha len­ta mais uma vez.

FOTO: GM

Mary Bar­ra, CEO da GM

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.