Bar­rei­ra na 3ª pon­te de­pen­de da Jus­ti­ça

Cus­to da pro­te­ção nas la­te­rais da via não cons­ta em con­tra­to com Ro­do­sol

Metro Brazil (Espiritu Santo) - - Primeira Página - VI­NI­CIUS AR­RU­DA METRO ES­PÍ­RI­TO SAN­TO

A ins­ta­la­ção de uma bar­rei­ra de pro­te­ção à vida, sus­ten­ta­da por ca­bos de aço, nas la­te­rais da Ter­cei­ra Pon­te de­pen­de da Jus­ti­ça. Se­gun­do a Arsp (Agên­cia de Re­gu­la­ção de Ser­vi­ços Pú­bli­cos do Es­pí­ri­to San­to), a in­ter­ven­ção do Ju­di­ciá­rio é ne­ces­sá­ria, já que os cus­tos pa­ra a exe­cu­ção do pro­je­to não cons­tam no con­tra­to en­tre a Ro­do­sol -- con­ces­si­o­ná­ria res­pon­sá­vel pe­la es­tru­tu­ra -- e o es­ta­do. O as­sun­to vol­tou a ser dis­cu­ti­do on­tem, após uma ten­ta­ti­va de sui­cí­dio que in­ter­di­tou to­tal­men­te a pon­te por qua­se cin­co ho­ras, com­pli­can­do trân­si­to em gran­de par­te de Vi­tó­ria e Vi­la Ve­lha.

Em agos­to pas­sa­do, o go­ver­na­dor Pau­lo Har­tung (MDB) pe­diu à Arsp so­lu­ções de se­gu­ran­ça pa­ra a via. A Arsp, por sua vez, so­li­ci­tou à Ro­do­sol um pro­je­to. Uma das pro­pos­tas apre­sen­ta­das foi a de uma es­tru­tu­ra de pro­te­ção de vi­dro em to­da a ex­ten­são da pon­te. Por in­vi­a­bi­li­da­de téc­ni­ca e econô­mi­ca, o pro­je­to foi re­jei­ta­do. E, em ou­tu­bro, a con­ces­si­o­ná­ria apre­sen­tou no­vo con­cei­to, ins­pi­ra­do na Mil­len­nium Brid­ge, de Lon­dres, que subs­ti­tuía o vi­dro por bar­rei­ras sus­ten­ta­das por ca­bos de aço.

O de­ta­lha­men­to do pro­je­to foi apre­sen­ta­do pe­la em­pre­sa à Arsp no mês se­guin­te. On­tem, o di­re­tor-ge­ral da agên­cia, Antônio Jú­lio Cas­ti­gli­o­ni Ne­to, dis­se que con­vi­dou o Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Es­ta­du­al pa­ra a dis­cus­são, já que, em 2013, a Jus­ti­ça de­ter­mi­nou que a ta­ri­fa co­bra­da pe­la em­pre­sa de­ve ser su­fi­ci­en­te ape­nas pa­ra co­brir cus­tos de ma­nu­ten­ção e con­ser­va­ção da pon­te e da Ro­do­via do Sol e de­sa­pro­pri­a­ções dos ter­re­nos que mar­gei­am a pis­ta. “É de­ter­mi­nan­te uma no­va de­ci­são ju­di­ci­al que per­mi­ta in­cluir na ta­ri­fa ou­tros in­ves­ti­men­tos que não es­tes”, fri­sou Cas­ti­gli­o­ni.

A Ro­do­sol li­mi­tou-se a di­zer que en­ca­mi­nhou o pro­je­to pa­ra aná­li­se da Arsp. O Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Es­ta­du­al afir­ma que re­ce­beu da agên­cia re­gu­la­do­ra do­cu­men­tos so­bre o even­tu­al im­pac­to da im­plan­ta­ção da bar­rei­ra na ta­ri­fa da pon­te. E acres­cen­tou que já exis­te uma ação po­pu­lar na Jus­ti­ça pa­ra que a Ro­do­sol e o es­ta­do ado­tem pro­vi­dên­ci­as pa­ra pro­mo­ver se­gu­ran­ça na pon­te.

Pon­te pa­ra­da

Por vol­ta das 10h30 de on­tem, uma ten­ta­ti­va de sui­cí­dio no Km 1,5 blo­que­ou o trân­si­to na pon­te. Os re­fle­xos fo­ram ob­ser­va­dos des­de a Praia do Can­to, na ca­pi­tal, até a ave­ni­da Car­los Lin­den­berg, em Vi­la Ve­lha, on­de o trân­si­to qua­se tri­pli­cou, se­gun­do a pre­fei­tu­ra do mu­ni­cí­pio ca­ne­la-ver­de.

A Ro­do­sol te­ve que abrir dois por­tões ins­ta­la­dos nos quilô­me­tros 0,7 e 2,4 da pon­te -- um em ca­da sen­ti­do -- pa­ra per­mi­tir o re­tor­no dos veí­cu­los. A ocor­rên­cia só foi con­cluí­da por vol­ta das 15h, após res­ga­te da PM e do Cor­po de Bom­bei­ros.

| CHI­CO GU­E­DES/METRO ES

Após as 15h, trân­si­to na pon­te foi nor­ma­li­za­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.