Ata­que de he­li­cóp­te­ro ‘jo­ga le­nha’ em cri­se

Ve­ne­zu­e­la. Go­ver­no clas­si­fi­ca ato co­mo ter­ro­ris­ta; pa­ra opo­si­to­res, foi ‘ar­ma­ção’

Metro Brazil (Porto Alegre) - - Mundo -

O su­pos­to ata­que de he­li­cóp­te­ro a pré­di­os pú­bli­cos de Ca­ra­cas, na noi­te da úl­ti­ma ter­ça-fei­ra, pôs mais le­nha na cri­se po­lí­ti­ca já in­ten­sa na Ve­ne­zu­e­la, além de es­tar mal es­cla­re­ci­do, se­gun­do opo­si­to­res do go­ver­no. Após fa­zer dis­pa­ros con­tra o Mi­nis­té­rio do In­te­ri­or e sol­tar gra­na­das so­bre a Su­pre­ma Cor­te sem dei­xar nin­guém fe­ri­do, o con­du­tor da ae­ro­na­ve fu­giu, mas foi iden­ti­fi­ca­do: tra­ta-se do pi­lo­to da po­lí­cia Óscar Pé­rez, que tam­bém é ator nas ho­ras va­gas e pu­bli­cou um ví­deo nas re­des so­ci­ais di­zen­do es­tar em lu­ta “con­tra a ti­ra­nia”.

Lo­go na sequên­cia, o pre­si­den­te Ni­co­lás Ma­du­ro clas­si­fi­cou o ato de ter­ro­ris­ta e afir­mou que as For­ças Ar­ma­das do país en­tra­ram em aler­ta má­xi­mo con­tra qual­quer ame­a­ça ao país.

A pre­fei­ta de Ca­ra­cas, He­len Fer­nán­dez, afir­mou não ser ain­da pos­sí­vel “emi­tir uma opi­nião re­al”. Se­gun­do ela, há quem di­ga que a ação foi um ato de re­bel­dia, mas ou­tros ga­ran­tem ter si­do uma si­mu­la­ção do pró­prio go­ver­no de Ma­du­ro pa­ra po­der agir com ain­da mais for­ça mi­li­tar no país.

Ou se­ja, au­men­tar a vi­o­lên­cia até aqui res­pon­sá­vel por ao me­nos 75 mor­tos e ou­tras cen­te­nas de pes­so­as pre­sas, des­de abril, pa­ra im­pe­dir o que Ma­du­ro afir­ma ser uma ten­ta­ti­va de gol­pe com apoio dos EUA.

| FA­CE­BO­OK/RE­PRO­DU­ÇÃO

O sol­da­do Pé­rez em fo­to pos­ta­da por ele em re­de so­ci­al

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.