NA LI­NHA DE TI­RO

Ti­ro­teio no Pa­vão- Pa­vão­zi­nho fe­cha vi­as do bair­ro. Um ze­la­dor mor­reu atin­gi­do por es­ti­lha­ços de gra­na­da. Em 30 di­as, es­se foi o 22o re­gis­tro de con­fron­to na re­gião

Metro Brazil (Rio) - - FRONT PAGE -

Mo­ra­do­res de Co­pa­ca­ba­na vi­ve­ram on­tem mo­men­tos de gu­er­ri­lha. Po­li­ci­ais e ban­di­dos tro­ca­ram ti­ros no meio da rua e o ze­la­dor de um pré­dio mor­reu ao ser atin­gi­do por es­ti­lha­ços de gra­na­da. Pe­lo me­nos três pes­so­as fi­ca­ram fe­ri­das du­ran­te o con­fron­to. Uma mu­lher te­ria so­fri­do um in­far­to e mor­ri­do por cau­sa do ti­ro­teio. Foi o se­gun­do dia se­gui­do em que as co­mu­ni­da­des do Pa­vão-Pa­vão­zi­nho, em Co­pa, e Can­ta­ga­lo, em Ipa­ne­ma, ti­ve­ram con­fron­tos.

Fá­bio Fran­co de Al­cân­ta­ra, 37 anos, era ze­la­dor de um pré­dio na rua Sá Fer­rei­ra, em fren­te ao mor­ro Pa­vão-Pa­vão­zi­nho. Ele es­ta­va al­mo­çan­do em um bar na co­mu­ni­da­de quan­do hou­ve a ex­plo­são de um ar­te­fa­to. “Eu es­ti­ve con­ver­san­do com ele mais ce­do. Ele era mui­to ami­go não só meu, mas co­mo de to­dos os por­tei­ros da­qui. In­fe­liz­men­te, acon­te­ce uma tra­gé­dia des­sa ma­nei­ra e a gen­te fi­ca sem en­ten­der”, la­men­tou o por­tei­ro Jo­sé Men­des.

De acor­do com o co­man­do da Uni­da­de de Po­lí­cia Pa­ci­fi­ca­do­ra (UPP) Pa­vão-Pa­vão­zi­nho/Can­ta­ga­lo, o ti­ro­teio co­me­çou por vol­ta de meio-dia após uma equi­pe ser ata­ca­da du­ran­te pa­tru­lha­men­to na lo­ca­li­da­de do Se­ra­fim. Cri­mi­no­sos ar­ma­dos ati­ra­ram e ar­re­mes­sa­ram ar­te­fa­tos ex­plo­si­vos. Uma cor­ti­na de fu­ma­ça se for­mou no mor­ro.

Por vol­ta das 16h, o tú­nel que li­ga as ru­as Ba­ra­ta Ri­bei­ro e Raul Pom­peia fi­cou fe­cha­do, as­sim co­mo as ru­as Sá Fer­rei­ra e Sou­za Li­ma, por con­ta de uma in­cur­são po­li­ci­al no Can­ta­ga­lo. O Ba­ta­lhão de Cho­que foi aci­o­na­do e uma guar­ni­ção fi­cou en­cur­ra­la­da no lo­cal.

As du­as co­mu­ni­da­des con­tam com UPP des­de 2009. É uma tro­pa de qua­se 200 ho­mens, que, ul­ti­ma­men­te, não tem con­se­gui­do im­pe­dir os ti­ro­tei­os ca­da vez mais fre­quen­tes na re­gião. Nos úl­ti­mos 30 di­as, es­se foi o 22o re­gis­tro de con­fron­to nes­sa re­gião.

Já na Rocinha, um ho­mem que se­gun­do a po­lí­cia era sus­pei­to de trá­fi­co de dro­gas, fi­cou fe­ri­do du­ran­te con­fron­to. Ele foi le­va­do ao hos­pi­tal em uma vi­a­tu­ra em meio a pro­tes­tos de mo­ra­do­res.

“In­fe­liz­men­te, acon­te­ce uma tra­gé­dia [por­tei­ro mor­to por es­ti­lha­ços de gra­na­da] des­sa ma­nei­ra e a gen­te fi­ca sem en­ten­der.” JO­SÉ MEN­DES, POR­TEI­RO E AMI­GO DA VÍ­TI­MA

RI­CAR­DO MO­RA­ES /REU­TERS

UPP e ais da aba­na po­li­ci en­tre Co­pac on­to de opor Con­fr mor­ro em atin­gid an­tes m tra­fic ho­me de mor­te bar ca pro­vo da­em gra­na aços­de es­ti­lh Es­se foi o 22o ti­ro­teio nes­te mês na re­gião do Pa­vão/Pa­vão­zi­nho

| JO­SE LU­CE­NA/FU­TU­RA PRESS

Po­li­ci­ais fi­ze­ram in­cur­são nas co­mu­ni­da­des

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.