‘De­si­gual­da­de não caiu no Bra­sil’

Metro Brazil (Rio) - - ECONOMIA -

O cres­ci­men­to da ren­da da po­pu­la­ção mais po­bre no Bra­sil nos úl­ti­mos 15 anos foi in­su­fi­ci­en­te pa­ra re­du­zir a de­si­gual­da­de.

Se­gun­do es­tu­do di­vul­ga­do na se­ma­na pas­sa­da pe­la equi­pe do economista fran­cês Thomas Pi­ketty, a mai­or par­te do cres­ci­men­to econô­mi­co nes­te sé­cu­lo foi apro­pri­a­da pe­los 10% mais ri­cos da po­pu­la­ção.

De acor­do com o es­tu­do, con­du­zi­do pe­lo World We­alth and In­co­me Da­ta­ba­se, ins­ti­tu­to co­di­ri­gi­do por Pi­ketty, a fa­tia da ren­da bra­si­lei­ra des­sa par­ce­la da po­pu­la­ção pas­sou de 54,3% pa­ra 55,3% de 2001 a 2015. No mes­mo pe­río­do, a par­ti­ci­pa­ção da ren­da dos 50% mais po­bres tam­bém su­biu 1 pon­to per­cen­tu­al, pas­san­do de 11,3% pa­ra 12,3%.

A ren­da na­ci­o­nal to­tal cres­ceu 18,3% no pe­río­do ana­li­sa­do, mas 60,7% des­ses ga­nhos fo­ram apro­pri­a­dos pe­los 10% mais ri­cos, con­tra 17,6% das ca­ma­das me­nos fa­vo­re­ci­das.

O es­tu­do clas­si­fi­cou a ma­nu­ten­ção da de­si­gual­da­de no Bra­sil co­mo “cho­can­te”, prin­ci­pal­men­te se com­pa­ra­da com ou­tros paí­ses de­sen­vol­vi­dos em ou­tros con­ti­nen­tes.

“É dig­no de no­ta que a ren­da mé­dia dos 90% mais po­bres no Bra­sil é com­pa­rá­vel à dos 20% mais po­bres na Fran­ça, o que ape­nas ex­pres­sa a ex­ten­são da dis­tor­ção na ren­da no Bra­sil e a fal­ta de uma vas­ta clas­se mé­dia”, in­for­ma o le­van­ta­men­to do World We­alth an In­co­me Da­ta­ba­se.

| WIKIPÉDIA

Fa­ve­la em gran­de ci­da­de bra­si­lei­ra: cres­ci­men­to in­su­fi­ci­en­te da ren­da en­tre 2001 e 2015, se­gun­do ins­ti­tu­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.