‘Bran­cos e ne­gros têm que dis­cu­tir o ra­cis­mo’

Au­tor de mu­si­cal em ho­me­na­gem a Do­na Ivo­ne La­ra, Elí­sio Lo­pes Jr. fa­la ao Metro Jor­nal so­bre pre­con­cei­to ra­ci­al

Metro Brazil (Rio) - - CULTURA -

Do­na Ivo­ne La­ra (1922–2018) foi pi­o­nei­ra em mui­to do que fez. Com uma car­rei­ra mu­si­cal tar­dia, ini­ci­a­da após a ma­tu­ri­da­de, ela fre­quen­tou o am­bi­en­te ex­clu­si­va­men­te mas­cu­li­no do samba e en­fren­tou as pe­sa­das bar­rei­ras im­pos­tas a mu­lhe­res ne­gras. Às vés­pe­ras do Dia da Cons­ci­ên­cia Ne­gra, que se co­me­mo­ra no pró­xi­mo dia 20, lem­brar da sam­bis­ta po­de ser exer­cí­cio de re­fle­xão. E uma opor­tu­ni­da­de pa­ra is­so é o mu­si­cal “Do­na Ivo­ne La­ra - Um Sor­ri­so Ne­gro”, em car­taz no Te­a­tro Car­los Go­mes até o dia 25.

“Ela foi a primeira com­po­si­to­ra a as­si­nar samba en­re­do no Bra­sil. De­pois, co­mo mu­lher ca­sa­da, en­fren­tou o ma­chis­mo”, des­ta­ca o au­tor da pe­ça, Elí­sio Lo­pes Jr.

Es­cri­tor, dra­ma­tur­go e di­re­tor, Elí­sio tam­bém en­con­trou ine­di­tis­mos por on­de an­dou. Ao as­su­mir o pro­gra­ma “La­zi­nho com Vo­cê”, da TV Glo­bo em 2017, ele foi in­for­ma­do de que se­ria o pri­mei­ro re­da­tor-che­fe ne­gro da te­le­vi­são aber­ta bra­si­lei­ra. Mas não sen­tiu or­gu­lho. “Es­sa é uma in­for­ma­ção que me cons­tran­ge, por­que com­pro­va o quão gran­de é a ex­clu­são ra­ci­al nes­te país”, la­men­tou.

Na­tu­ral de Sal­va­dor, o ar­tis­ta en­con­trou nas ar­tes cê­ni­cas um am­bi­en­te proi­bi­ti­vo pa­ra pes­so­as co­mo ele. “Na dra­ma­tur­gia, quem es­cre­ve é quem de­fi­ne o con­teú­do. Mas é di­fí­cil en­con­trar au­to­res ne­gros es­cre­ven­do pa­ra a TV e pa­ra o te­a­tro”, afir­ma.

Elí­sio re­co­nhe­ce que hou­ve avan­ços na lu­ta contra o ra­cis­mo. Con­tu­do, no país em que ne­gros re­pre­sen­tam 71,5% das ví­ti­mas de ho­mi­cí­dio – de acor­do com o Fó­rum Bra­si­lei­ro de Se­gu­ran­ça Pú­bli­ca, ele en­ten­de que é pre­ci­so tra­ba­lhar pe­la cons­ci­en­ti­za­ção das pes­so­as. “Qu­an­to mais con­se­guir­mos cons­ci­en- ti­zar nos­sos pa­res, mais com­ba­te­mos o ra­cis­mo”, acre­di­ta.

Mas o que o es­cri­tor quer não é igual­da­de. “Não exis­te igual­da­de ra­ci­al, por­que a his­tó­ria dos ne­gros é ca­rim­ba­da por 400 anos de es­cra­vi­dão. O que que­re­mos é igual­da­de de di­rei­tos, por­que so­mos to­dos se­res hu­ma­nos”, acre­di­ta.

“En­quan­to a ren­da mundial não for dis­tri­buí­da de for­ma equâ­ni­me, não con­se­gui­re­mos a igual­da­de de di­rei­tos que de­se­ja­mos pa­ra ne­gros e bran­cos.”

ELÍ­SIO LO­PES JR., ES­CRI­TOR, DRA­MA­TUR­GO E DI­RE­TOR

| DI­VUL­GA­ÇÃO

Elí­sio Lo­pes, 42 anos, é dra­ma­tur­go, es­cri­tor e di­re­tor

| DI­VUL­GA­ÇÃO

Elí­sio é au­tor do mu­si­cal em ho­me­na­gem a Do­na Ivo­ne La­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.