La­go do Arthur Tho­mas de­fi­nha com as­so­re­a­men­to

Si­tu­a­ção com­pro­me­te a pre­ser­va­ção do ecos­sis­te­ma. Mu­ni­cí­pio bus­ca al­ter­na­ti­vas pa­ra o pro­ble­ma, mas ad­mi­te que ele não se res­trin­ge ao par­que

NOSSODIA - - Primeira Página -

O la­go já foi usa­do até pa­ra pas­sei­os de pe­da­li­nho (pe­que­no bar­co mo­vi­do a pe­dais). No en­tan­to, 20 anos de­pois da aber­tu­ra ao pú­bli­co, o la­go do Par­que Mu­ni­ci­pal Arthur Tho­mas, na zo­na sul de Lon­dri­na, cor­re o ris­co de de­sa­pa­re­cer de­vi­do ao as­so­re­a­men­to. Pe­que­nas ilhas se for­ma­ram em pon­tos do cor­po de água, que não é mais tão pro­fun­do e vo­lu­mo­so. A ve­ge­ta­ção sel­va­gem tam­bém avan­ça so­bre a su­per­fí­cie e co­bre a ex­ten­são, su­fo­ca e es­con­de es­pé­ci­es de plan­tas e ani­mais. Si­tu­a­ção que po­de com­pro­me­ter a pre­ser­va­ção do ecos­sis­te­ma. Por cau­sa do ní­vel bai­xo do la­go, os pe­que­nos peixes, ape­sar da pro­vá­vel re­du­ção da dis­po­ni­bi­li­da­de, são fa­cil­men­te vis­tos.

Um an­ti­go fre­quen­ta­dor do par­que la­men­ta o mo­men­to. “Sem­pre foi um dos meus pro­gra­mas fa­vo­ri­tos vi­si­tar o Arthur Tho­mas. Me lem­bro dos pas­sei­os com os meus fi­lhos, das vol­tas no la­go cen­tral den­tro dos pe­da­li­nhos. Ho­je em dia, com cer­te­za, não se­ria pos­sí­vel usar mais os pe­da­li­nhos”, co­men­ta o apo­sen­ta­do Edu­ar­do Si­quei­ra, lem­bran­do que as pe­que­nas em­bar­ca­ções en­ca­lha­ri­am no acú­mu­lo de areia, ter­ra, de­tri­tos.

O pro­ble­ma po­de ter se agra­va­do em ja­nei­ro de 2016, por cau­sa das for­tes chu­vas re­gis­tra­das na ci­da­de. Na oca­sião, a Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de Am­bi­en­te (Se­ma) es­ti­mou ser ne­ces­sá­rio o pro­vi­men­to de R$ 5 mi­lhões pa­ra a re­for­ma no par­que, que foi da­ni­fi­ca­do e pre­ci­sou ser in­ter­di­ta­do.

A Uni­da­de de Con­ser­va­ção Mu­ni­ci­pal Par­que Arthur Tho­mas es­tá lo­ca­li­za­da na rua da Na­tu­re­za, 155. Foi aber­to ao pú­bli­co em 10 de de­zem­bro de 1987, com um la­go ar­ti­fi­ci­al, pe­da­li­nho, lan­cho­ne­te, zo­o­ló­gi­co, mi­ran­te, área pa­ra des­can­so e vi­vei­ros de mu­das. Em maio de 1994, o par­que foi no­mi­na­do pe­lo Ins­ti­tu­to Am­bi­en­tal do Pa­ra­ná (IAP) co­mo Par­que Mu­ni­ci­pal. Em 2013, de acor­do com a Se­cre­ta­ria de Es­ta­do do Tu­ris­mo do Pa­ra­ná, o Arthur Tho­mas re­ce­beu 63,7 mil pes­so­as. Um ano an­tes, em 2012, 54 mil ci­da­dãos vi­si­ta­ram o lo­cal, sen­do dois mil a me­nos do que em 2011. (Pau­lo Mon­tei­ro/NOSSODIA)

Pau­lo Mon­tei­ro

Fo­tos: Pau­lo Mon­tei­ro

Mas ho­je es­tá to­do as­so­re­a­do e sem na­ve­ga­bi­li­da­de al­gu­ma

La­go já re­ce­beu até pe­da­li­nhos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.