17 PESSOAS FORAM MORTAS POR POLICIAIS EM 2017

Mé­dia é de qua­se du­as mor­tes por mês. A mai­or par­te dos ca­sos foi re­gis­tra­da na zo­na oes­te de Lon­dri­na

NOSSODIA - - Primeira Página - (Pau­lo Mon­tei­ro/NOSSODIA)

De­zes­se­te pessoas foram mortas por policiais em 2017 no mu­ni­cí­pio. O nú­me­ro já su­pe­ra o mes­mo pe­río­do do ano pas­sa­do, quan­do 16 pessoas mor­re­ram em con­fli­tos com agen­tes de ór­gãos de se­gu­ran­ça. Des­de 2016, os ca­sos são in­ves­ti­ga­dos pe­la De­le­ga­cia de Ho­mi­cí­di­os de Lon­dri­na.

De acor­do com o de­le­ga­do Ri­car­do Jor­ge, res­pon­sá­vel por or­ga­ni­zar os pro­ce­di­men­tos que en­vol­vem cri­mes con­tra a vi­da, ne­nhu­ma ir­re­gu­la­ri­da­de foi iden­ti­fi­ca­da nos ca­sos de con­fron­to re­gis­tra­dos em 2017. Os agen­tes te­ri­am agi­do em le­gí­ti­ma de­fe­sa. “Ou­vi­mos os policiais en­vol­vi­dos, tes­te­mu­nhas e fa­mi­li­a­res dos sus­pei­tos. Não cons­ta­ta­mos di­ver­gên­ci­as nas ver­sões apre­sen­ta­das por eles.”

Po­rém, até 2016, os su­pos­tos con­fron­tos en­tre sus­pei­tos e policiais não eram in­ves­ti­ga­dos pe­la De­le­ga­cia de Ho­mi­cí­di­os. O de­le­ga­do con­ta que inqué­ri­tos policiais an­ti­gos es­tão sen­do en­ca­mi­nha­dos pa­ra a re­vi- são na de­le­ga­cia. “Nem sem­pre o tra­ba­lho de in­ves­ti­ga­ção foi re­a­li­za­do pe­la nos­sa de­le­ga­cia. Ho­je, fe­liz­men­te, sim. Pa­ra se ter uma ideia, re­ce­be­mos inqué­ri­tos policiais de anos atrás. Por is­so, nes­te mo­men­to, não é pos­sí­vel fa­zer uma com­pa­ra­ção de nú­me­ros de pe­río­dos an­te­ri­o­res com os ca­sos atu­ais”, ex­pli­ca.

Último sus­pei­to es­ta­va ar­ma­do

O último ca­so foi re­gis­tra­do na noi­te de quin­ta-fei­ra (7). Cé­lio Ale­xan­dre da Sil­va, 29 anos, foi ba­le­a­do na rua Síl­vio Pe­go­ra­ro, Jar­dim Pe­tró­po­lis, zo­na sul. Ele ain­da foi so­cor­ri­do pe­lo Si­a­te e aten­di­do pe­lo mé­di­co do Sa­mu, mas não re­sis­tiu aos fe­ri­men­tos e mor­reu na mes­ma da­ta. Se­gun­do a Po­lí­cia Mi­li­tar, ele es­ta­va di­ri­gin­do um Ford KA. O veí­cu­lo te­ria si­do rou­ba­do du­ran­te a ma­nhã da­que­le dia. Sil­va ain­da ten­tou fu­gir da Po­lí­cia. De ar­ma em pu­nho, ain­da te­ria re­sis­ti­do ao tra­ba­lho de abor­da­gem.

So­bre o ca­so, o de­le­ga­do Ri­car­do Jor­ge diz que foi apre­en­di­do um re­vól­ver ca­li­bre 38, com cin­co mu­ni­ções in­tac­tas e uma de­las de­fla­gra­da. “De acor­do com o bo­le­tim de ocor­rên­cia, a ví­ti­ma do rou­bo, pro­pri­e­tá­ria do veí­cu­lo, ain­da te­ria re­co­nhe­ci­do o sus­pei­to mor­to co­mo au­tor do cri­me.

Con­fli­tos por re­gião

Em 2017, ja­nei­ro foi o mês com mais ca­sos de mor­tes em con­fron­tos: cin­co re­gis­tros. Se­gun­do o le­van­ta­men­to do NOSSODIA, a re­gião oes­te re­gis­trou o mai­or nú­me­ro de óbi­tos: seis sus­pei­tos. A zo­na sul so­mou cin­co mor­tes. As zo­nas nor­te, les­te e cen­tro so­ma­ram dois óbi­tos ca­da uma. To­dos os ba­le­a­dos eram sus­pei­tos de cri­mes ou te­ri­am par­ti­ci­pa­do de ata­que a policiais. A ex­ce­ção se­ria o ca­so de Ga­bri­el Sar­to­ri Na­tal, 17 anos, ba­le­a­do na rua Tar­ci­za Ki­ku­ti, em fren­te ao co­lé­gio es­ta­du­al Ma­ria Jo­sé Bal­za­ne­lo Agui­le­ra, zo­na Sul, du­ran­te a abor­da­gem de um po­li­ci­al mi­li­tar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.