Dez de De­zem­bro com­ple­ta 40 anos

Com 8,5 quilô­me­tros de ex­ten­são, pis­ta foi inau­gu­ra­da em 11 de se­tem­bro de 1977; en­ge­nhei­ros con­si­de­ram a Dez de De­zem­bro uma das gran­des obras da ci­da­de

NOSSODIA - - Primeira Página - (Ví­tor Ogawa/Gru­po Fo­lha)

A Ave­ni­da Dez de De­zem­bro, co­nhe­ci­da po­pu­lar­men­te pe­lo no­me de Via Expressa, com­ple­ta 40 anos de inau­gu­ra­ção nes­ta se­gun­da-fei­ra (11). Ini­ci­a­da no go­ver­no do pre­fei­to Jo­sé Ri­cha (1973-1977), a pis­ta foi en­tre­gue em 1977, no go­ver­no de An­to­nio Be­li­na­ti (1977-1982), com 8,5 quilô­me­tros de ex­ten­são, com vi­a­du­tos em cin­co vi­as e obras com­ple­men­ta­res, co­mo a du­pli­ca­ção da an­ti­ga rua Ja­ca­re­zi­nho (que se tor­nou a ave­ni­da Jus­ce­li­no Ku­bits­chek), to­ta­li­zan­do mais de 14 mil me­tros de ex­ten­são de vi­as.

O pro­je­to sur­giu de uma li­nha de re­cur­sos ofe­re­ci­da pe­lo BNH (Ban­co Na­ci­o­nal da Ha­bi­ta­ção), que na épo­ca fi­nan­ci­a­va e pro­du­zia em­pre­en­di­men­tos imo­bi­liá­ri­os, nos mes­mos mol­des do que faz atu­al­men­te a Cai­xa Econô­mi­ca Fe­de­ral.

Se­gun­do o ar­qui­te­to e ur­ba­nis­ta João Bap­tis­ta Bor­to­lot­ti, que, à épo­ca, era di­re­tor de Pla­ne­ja­men­to da Pre­fei­tu­ra de Lon­dri­na, ha­via uma pre­o­cu­pa­ção do go­ver­no em me­lho­rar a in­fra­es­tru­tu­ra das ci­da­des de mé­dio por­te pa­ra evi­tar ou re­du­zir a mi­gra­ção pa­ra os gran­des cen­tros.

“Aqui na re­gião is­so acon­te­ceu por cau­sa da ge­a­da de 1975 e lo­go sur­gi­ram mais de 11 fa­ve­las na área ur­ba­na, com po­pu­la­ção bas­tan­te nu­me­ro­sas. Uma de­las, que fi­ca­va atrás do moi­nho de tri­go, ti­nha mais de 4 mil pessoas. Foi por is­so que sur­giu o Pro­je­to Cu­ra (pro­gra­ma de re­no­va­ção ur­ba­na, que do­tou bair­ros pre­cá­ri­os com in­fra­es­tru­tu­ra ade­qua­da) e pe­lo mes­mo mo­ti­vo o BNH lan­çou um pro­gra­ma de cons­tru­ção de vi­as ex­pres­sas”, his­to­ria.

Ele con­ta que, em 1974, a pre­fei­tu­ra ha­via con­tra­ta­do uma em­pre­sa de São Pau­lo pa­ra fa­zer um pla­no de trans­por­te ur­ba­no e de­fi­nir o sis­te­ma viá­rio e de cir­cu­la­ção. “Es­tá­va­mos tra­ba­lhan­do nis­so quan­do o BNH lan­çou o pro­gra­ma de vi­as ex­pres­sas. Ain­da não tí­nha­mos o pro­je­to, mas eu o de­se­nhei pa­ra plei­te­ar os re­cur­sos pa­ra que ela for­mas­se uma via es­tru­tu­ral nor­te-sul. A ou­tra via es­tru­tu­ral se­ria a Ave­ni­da Les­teOes­te (Ar­ce­bis­po Dom Ge­ral­do Fer­nan­des), mas ela só se­ria pos­sí­vel de­pois que as li­nhas de trens saís­sem de lá.”

Mar­cos Za­nut­to

Mar­cos Za­nut­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.