Ba­ca­na do fri­go­rí­fi­co vai pa­ra o xa­drez

NOSSODIA - - Primeira Página - (Ra­fa­el Ma­cha­do/Gru­po Fo­lha)

O juiz da 3ª Va­ra Cri­mi­nal de Lon­dri­na, Ju­li­a­no Na­nun­cio, con­de­nou os três ra­pa­zes acu­sa­dos de ma­tar, em de­zem­bro de 2015, o em­pre­sá­rio Antô­nio Qui­ne­la­to, 61 anos, que era pro­pri­e­tá­rio de um su­per­mer­ca­do si­tu­a­do no Jar­dim do Sol, zo­na oes­te da ci­da­de. Se­gun­do a de­ci­são, Hi­gor da Sil­va Mar­con­des, Luiz Fer­nan­do Fer­rei­ra da Sil­va e Wil­li­an Ca­mar­go So­a­res dos San­tos te­rão que cum­prir pe­nas em re­gi­me fe­cha­do que ul­tra­pas­sam 20 anos.

O ca­so foi tra­ta­do pe­la Po­lí­cia Ci­vil co­mo la­tro­cí­nio. Os réus mo­ra­vam no Jar­dim Nos­sa Se­nho­ra da Paz, tam­bém na re­gião oes­te. Con­for­me as in­ves­ti­ga­ções, o co­mer­ci­an­te foi mor­to após fe­char o su­per­mer­ca­do e dis­pen­sar o se­gu­ran­ça. Era vés­pe­ra de Na­tal, e Qui­ne­la­to re­tor­na­va pa­ra casa quan­do foi abor­da­do pe­los as­sal­tan­tes. Eles te­ri­am pe­di­do di­nhei­ro, mas não es­pe­ra­vam a re­a­ção da ví­ti­ma, que es­ta­va mu­ni­da de uma pis­to­la. Hi­gor ati­rou con­tra o pei­to do em­pre­sá­rio, que, ape­sar do aten­di­men­to pres­ta­do por so­cor­ris­tas do Si­a­te, mor­reu no lo­cal.

Após os dis­pa­ros, Luiz Fer­nan­do e Hi­gor te­ri­am fu­gi­do em um Che­vet­te con­du­zi­do por Wil­li­an, que aguar­da­va a du­pla. Ele é o úni­co que per­ma­ne­ce pre­so um ano e meio após o la­tro­cí­nio. O car­ro foi aban­do­na­do cer­ca de 300 me­tros do mer­ca­do. Na fa­se pro­ces­su­al, a de­fe­sa de Wil­li­an ale­gou que o veí­cu­lo pos­si­vel­men­te usa­do na fu­ga te­ria si­do ven­di­do por mil re­ais a um mo­ra­dor de Cam­bé.

Wil­li­an foi pre­so pe­los in­ves­ti­ga­do­res da 10ª Sub­di­vi­são Po­li­ci­al em no­vem­bro de 2016. Na de­le­ga­cia, ele con­fes­sou o cri­me, mas não en­tre­gou os ou­tros dois com­pa­nhei­ros. O ad­vo­ga­do Mar­ce­lo Apa­re­ci­do Ca­mar­go de Sou­za, que de­fen­de Hi­gor, dis­se que “fi­cou sur­pre­so” com a con­de­na­ção da­da por Na­nun­cio. “Não há ne­nhu­ma prova. Ele te­ria si­do de­nun­ci­a­do por uma vi­zi­nha, que não for­ma­li­zou o de­poi­men­to na de­le­ga­cia. Va­mos en­trar com re­cur­so no Tri­bu­nal de Jus­ti­ça”, apon­tou.

As de­fe­sas de Luiz Fer­nan­do Fer­rei­ra da Sil­va e Wil­li­an Ca­mar­go não re­tor­na­ram o con­ta­to fei­to pe­la re­por­ta­gem.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.