Pro­ces­so contra su­pos­ta man­dan­te não exis­te

Se­gun­do pro­mo­tor, inqué­ri­to po­li­ci­al ain­da per­ma­ne­ce na De­le­ga­cia de Ho­mi­cí­di­os de Londrina

NOSSODIA - - Primeira Página -

O inqué­ri­to po­li­ci­al, que apu­ra a de­nún­cia contra a su­pos­ta man­dan­te do as­sas­si­na­to de Amanda Ros­si, re­gis­tra­do em ou­tu­bro de 2007, ain­da não vi­rou pro­ces­so cri­mi­nal, con­ta o pro­mo­tor cri­mi­nal Ri­car­do Alves Do­min­gues. Há pe­lo me­nos cin­co anos, a Po­lí­cia Ci­vil anun­ci­ou a con­clu­são do pro­ce­di­men­to de in­ves­ti­ga­ção, que apon­tou a pro­fes­so­ra De­ni­se Ma­du­rei­ra co­mo man­dan­te do cri­me.

“O pro­ces­so ain­da não exis­te. O inqué­ri­to po­li­ci­al per­ma­ne­ce na De­le­ga­cia de Ho­mi­cí­di­os de Londrina (res­pon­sá­vel por in­ves­ti­gar o ca­so). O inqué­ri­to foi en­ca­mi­nha­do pa­ra a pro­mo­to­ria, pa­ra que fos­se fei­to o con­tro­le. Po­rém, em fun­ção dos pra­zos le­gais, foi de­vol­vi­do (pe­lo Mi­nis­té­rio Pú­bli­co) à Po­lí­cia Ci­vil. Ne­ces­si­ta­mos de in­dí­ci­os pa­ra for­mu­lar a de­nún­cia e pro­mo­ver a ação pe­nal”, diz o pro­mo­tor.

A gran­de de­man­da de ca­sos so­bre­car­re­ga os dois ór­gãos. “Sem os au­tos do inqué­ri­to, fi­ca di­fí­cil di­zer al­go so­bre es­te ca­so. Es­tou à fren­te des­ta pro­mo­to­ria há dois anos e te­nho pe­los me­nos 400 ca­sos em mi­nhas mãos. Na De­le­ga­cia de Ho­mi­cí­di­os, há ou­tros mil inqué­ri­tos po­li­ci­ais em an­da­men­to. A de­mo­ra se dá por um pro­ble­ma es­tru­tu­ral, que vem se re­pe­tin­do há mui­tos anos”, ex­pli­ca.

Ad­vo­ga­da da fa­mí­lia Ros­si, He­len Ka­tia Cas­si­a­no la­men­ta a si­tu­a­ção. “A frus­tra­ção da fa­mí­lia é gran­de, mas en­ten­de­mos que a de­man­da da pro­mo­to­ria, as­sim co­mo da Po­lí­cia Ci­vil, é enor­me. Já se pas­sa­ram ou­tros de­le­ga­dos pe­la De­le­ga­cia de Ho­mi­cí­di­os des­de o in­di­ci­a­men­to da pro­fes­so­ra, is­so es­fria e dá uma ve­lo­ci­da­de di­fe­ren­te ao inqué­ri­to”, ava­lia.

Ape­sar de tan­tos anos sem qual­quer no­vi­da­de, re­for­ça que não per­deu a es­pe­ran­ça em ver a sus­pei­ta ir a Ju­ri. “O tem­po pas­sa, mas a es­pe­ran­ça por jus­ti­ça não di­mi­nui. Va­mos pro­cu­rar uma for­ma pa­ra não dei­xar es­te cri­me pres­cre­ver. Te­mos ain­da 10 anos pa­ra is­so. Pre­ci­so me reu­nir com o se­nhor Luiz (Carlos Ros­si) e dis­cu­tir o que va­mos fa­zer di­an­te da si­tu­a­ção”, con­clui. O NOSSODIA ten­tou ou­vir o atu­al de­le­ga­do da De­le­ga­cia de Ho­mi­cí­di­os, Ri­car­do Jor­ge. Po­rém ele não aten­deu aos te­le­fo­ne­mas na tar­de da úl­ti­ma quar­ta. (Paulo Mon­tei­ro/NOSSODIA)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.