Fu­ga frus­ta­da no 4º DP

Após con­fu­são, de­ten­tos ten­ta­ram fu­gir da car­ce­ra­gem do an­ti­go 4º DP na ma­dru­ga­da des­te do­min­go (19)

NOSSODIA - - Primeira Página -

De­ten­tos ten­ta­ram fu­gir da car­ce­ra­gem do Ci­ac (Cen­tro In­te­gra­do de Aten­di­men­to ao Ci­da­dão), an­ti­go 4º Dis­tri­to Po­li­ci­al, na ma­dru­ga­da des­te do­min­go (19). A as­ses­so­ria de im­pren­sa da Sesp (Se­cre­ta­ria Es­ta­du­al de Segurança Pú­bli­ca e Ad­mi­nis­tra­ção Pe­ni­ten­ciá­ria), con­fir­mou a ten­ta­ti­va, mas não deu mais de­ta­lhes de co­mo os pre­sos agi­ram e nem qu­an­tos pre­ten­di­am se eva­dir do lo­cal.

A ação ocor­re me­nos de 30 di­as da fu­ga de dez pre­sos. Na oca­sião, eles ser­ra­ram o te­to da grade de aces­so ao pá­tio e es­ca­pa­ram pe­lo por­tão os fun­dos. A car­ce­ra­gem do 4º DP é des­ti­na­do aos de­ten­tos pro­vi­só­ri­os e, cons­tan­te­men­te é al­vo de crí­ti­cas por cau­sa da su­per­lo­ta­ção.

Na se­ma­na pas­sa­da, uma reu­nião en­tre juiz da VEP (Va­ra de Exe­cu­ções Pe­nais), Kat­su­jo Na­ka­do­ma­ri, e pre­si­den­te da sub­se­ção Lon­dri­na da OAB (Or­dem dos Ad­vo­ga­dos do Bra­sil), Eli­ton Car­nei­ro, e com os re­pre­sen­tan­tes das co­mis­sões de es­ta­be­le­ci­men­tos pri­si­o­nais, de ad­vo­ga­dos cri­mi­na­lis­tas e de di­rei­tos hu­ma­nos, dis­cu­tiu a ins­ta­la­ção de dez ce­las mo­du­la­res, cha­ma­das de “shel­ters”, na Ca­sa de Cus­tó­dia de Lon­dri­na. A me­di­da po­de aju­dar a de­sa­fo­gar o Ci­ac.

O Ci­ac e o 3º Dis­tri- to Po­li­ci­al são as du­as uni­da­des da Po­lí­cia Ci­vil que ain­da abri­gam pre­sos em car­ce­ra­gens em Lon­dri­na. A in­ten­ção da Sesp é es­va­zi­ar os dis­tri­tos po­li­ci­ais, trans­fe­rin­do os pre­sos pa­ra pe­ni­ten­ciá­ri­as. No en­tan­to, o pro­ces­so ca­mi­nha de­va­gar. Nas cidades do in­te­ri­or, re­gis­tros de fu­gas e mo­tins são fre­quen­tes por fal­ta de es­tru­tu­ra ade­qua­da e su­per­lo­ta­ção. As pe­ni­ten­ciá­ri­as tam­bém operam com a ca­pa­ci­da­de li­mi­te.

Na úl­ti­ma se­ma­na, uma re­be­lião foi re­gis­tra­da na PEC (Pe­ni­ten­ciá­ria Es­ta­du­al de Cas­ca­vel). O De­pen (De­par­ta­men­to Pe­ni­ten­ciá­rio do Paraná) in­for­mou que vem in­ves­tin­do re­cur­sos pa­ra di­mi­nuir o con­ta­to dos agen­tes com os pre­sos, além de ou­tras me­lho­ri­as. No en­tan­to, se­gun­do o ór­gão, as uni­da­des são gran­des e o in­ves­ti­men­to ne­ces­sá­rio é gi­gan­tes­co.

Des­de 2014, quan­do a ad­mi­nis­tra­ção do sis­te­ma pe­ni­ten­ciá­rio pa­ra­na­en­se pas­sou da Se­ju (Se­cre­ta­ria de Jus­ti­ça, Tra­ba­lho e Di­rei­tos Hu­ma­nos) pa­ra a Sesp (Se­cre­ta­ria de Segurança Pú­bli­ca), cin­co gran­des re­be­liões fo­ram re­gis­tra­das em pe­ni­ten­ciá­ri­as es­ta­du­ais. So­ma­das as quan­ti­as des­ti­na­das às re­for­mas das uni­da­des pri­si­o­nais, o pre­juí­zo chega a R$ 5,4 mi­lhões. A ci­fra não in­clui os gas­tos com a re­be­lião mais re­cen­te, ocor­ri­da na PEC. Com uma es­ti­ma­ti­va de R$ 2 mi­lhões de pre­juí­zo, o gas­to po­de atin­gir R$ 7 mi­lhões em qua­tro anos.

O his­tó­ri­co de pre­juí­zos em re­be­liões co­me­ça em ou­tu­bro de 2014, na pró­pria PEC, que de­man­dou in­ves­ti­men­tos de R$ 1,9 mi­lhão. No mês se­guin­te, hou­ve mo­tim na PIG (Pe­ni­ten­ciá­ria In­dus­tri­al de Gu­a­ra­pu­a­va), cu­ja re­for­ma cus­tou R$ 875 mil, e na Pe­co (Pe­ni­ten­ciá­ria Es­ta­du­al de Cru­zei­ro do Oes­te), com re­pa­ros de R$ 300 mil. Por fim, em ou­tu­bro de 2015, a PEL 2 (Pe­ni­ten­ciá­ria Es­ta­du­al de Lon­dri­na) foi to­tal­men­te des­truí­da pe­los pre­sos e os pre­juí­zos che­ga­ram aos R$ 2,4 mi­lhões. (Aline Ma­cha­do Pa­ro­di/Gru­po Fo­lha).

Ri­car­do Chi­ca­rel­li

Há me­nos de 30 di­as, dez pre­sos con­se­gui­ram es­ca­par da car­ce­ra­gem do Ci­ac

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.