PA­RA QUEM SORRIMOS?

NOSSODIA - - Nosso Programa -

Sorrir é cer­ta­men­te uma ação en­can­ta­do­ra. Do pon­to de vis­ta fí­si­co, sorrir só nos traz be­ne­fí­ci­os, quin­ze mús­cu­los são des­lo­ca­dos pa­ra que o ros­to se en­cha com um sor­ri­so. Do pon­to de vis­ta emo­ti­vo, o sor­ri­so vem ex­pres­sar fe­li­ci­da­de, ale­gria ou, no mí­ni­mo, cer­to con­ten­ta­men­to.

Ao sorrir pa­ra uma pes­soa, es­ta­mos di­zen­do a ela o qu­an­to sua pre­sen­ça é agra­dá­vel, o qu­an­to é bom vê-la. Ao sorrir, quan­do de­se­ja­mos um bom dia, es­ta­mos con­fir­man­do a von­ta­de de que o dia se­ja re­al­men­te bom. Quan­tas lá­gri­mas ces­sa­ram por con­ta de um sor­ri­so? Quan­tas do­res min­gua­ram por­que al­guém nos brin­dou com um ges­to único, ca­paz de ali­vi­ar o far­do que en­chia o pei­to? Pe­na que as pes­so­as não en­ten­dem o va­lor de um sor­ri­so. E, por con­ta dis­so, pa­ra quem sorrimos ho­je, nem sem­pre é a mes­ma pes­soa pa­ra quem sor­ría­mos on­tem. Pen­so nis­so sem­pre e che­go à con­clu­são de que meu sor­ri­so só se man­te­ve àque­las pes­so­as que re­al­men­te me­re­ce­ram re­ce­bê-lo. Sorrir é cer­ta­men­te uma ação en­can­ta­do­ra e, quan­do bem re­ce­bi­do, o sor­ri­so é bál­sa­mo que en­can­ta nos­sos di­as.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.