FA­MÍ­LI­AS PE­DEM JUS­TI­ÇA

NOSSODIA - - Nossodiaespecial - (E.N).

A re­por­ta­gem do NOSSODIA tam­bém con­ver­sou com fa­mi­li­a­res dos aci­den­tes em que as mo­to­ris­tas acu­sa­das es­tão res­pon­den­do em li­ber­da­de. Ma­ria Ze­nai­de Fon­ta­na, es­po­sa de Jú­lio Cé­sar Fon­ta­na, ví­ti­ma do aci­den­te na BR-369, fa­la do seu sen­ti­men­to quan­do sou­be da li­be­ra­ção de Lu­ci­a­na Si­quei­ra após pa­ga­men­to de fi­an­ça. “À prin­cí­pio, fi­ca­mos re­vol­ta­dos, no sen­ti­do de não ver uma in­dig­na­ção da par­te dos jui­zes. Foi co­mo se ti­ves­sem ma­ta­do meu ma­ri­do du­as ve­zes”. A viúva tam­bém dis­se que re­ce­beu uma li­ga­ção de Lu­ci­a­na. “Ela es­ta­va cho­ran­do, de­ses­pe­ra­da. Eu dis­se que a per­do­a­va, mas que a Jus­ti­ça tem que ser fei­ta. A lei pre­ci­sa en­du­re­cer, não só com ca­deia, mas fi­nan­cei­ra­men­te tam­bém, por­que ela des­truiu a mi­nha fa­mí­lia”. Es­po­sa de Eli­e­de, uma das vi­ti­mas do ca­so na ave­ni­da Dez de De­zem­bro, An­dreia Ma­cha­do da Sil­va afir­mou que a fa­mí­lia se sen­te pre­sa (em tu­do que acon­te­ceu). “Quan­do sou­be des­te ca­so de Cam­bé, sen­ti um pou­co de in­ve­ja. No ca­so das fa­mí­li­as, te­ve pra­ti­ca­men­te a Jus­ti­ça, por­que o mo­to­ris­ta con­ti­nua pre­so. No meu ca­so, não te­ve Jus­ti­ça ne­nhu­ma, por­que ela (Dai­a­ne) con­ti­nua sol­ta e a nos­sa fa­mí­lia con­ti­nua ‘pre­sa’ des­de o aci­den­te. Mi­nha fi­lha co­me­ça a cho­rar só de to­car no as­sun­to. Es­tá to­do mun­do que­ren­do a Jus­ti­ça”, afir­mou.

Gi­na Mar­do­nes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.