Tu­ba­rão te­rá ou­tro con­fron­to di­re­to

Lon­dri­na, sé­ti­mo co­lo­ca­do, man­tém per­se­gui­ção à fai­xa de aces­so e en­fren­ta no pró­xi­mo fim de se­ma­na o vi­ce-lí­der Avaí

NOSSODIA - - Primeira Página - (Pedro Mar­co­ni/Gru­po Fo­lha)

Três pon­tos. É a pon­tu­a­ção que ho­je se­pa­ra o Lon­dri­na do G4 do Cam­pe­o­na­to Bra­si­lei­ro da Sé­rie B. A vi­tó­ria de sex­ta-fei­ra (26) em ci­ma do Vi­la No­va, por 3 a 2, no es­tá­dio do Ca­fé, con­fir­mou o óti­mo mo­men­to do LEC na com­pe­ti­ção e de que­bra o dei­xou co­la­do na zo­na de clas­si­fi­ca­ção pa­ra o aces­so à eli­te do futebol na­ci­o­nal. Ago­ra na sé­ti­ma co­lo­ca­ção, com 50 pon­tos, a equi­pe vol­ta a jo­gar so­men­te no pró­xi­mo sá­ba­do (3), fo­ra de ca­sa, em mais um con­fron­to di­re­to, des­ta vez di­an­te do vi­ce-lí­der Avaí. O quar­to co­lo­ca­do é o Goiás, que tem 53.

No du­e­lo con­tra o Vi­la No­va, o que não fal­tou foi emo­ção. Se o pri­mei­ro tem­po foi de chan­ces cla­ras, mas de pon­ta­ri­as ruins, o se­gun­do foi uma ver­da­dei­ra chu­va de gols. A um mi­nu­to, Ra­fa­el Sil­va abriu o pla­car pa­ra os goi­a­nos. De­pois, aos 25 e 28, Car­los Hen­ri­que e Fe­li­pe Mar­ques, res­pec­ti­va­men­te, vi­ra­ram. O Tu­ba­rão, po­rém, vol­tou a ter a de­fe­sa va­za­da com 43 mi­nu­tos da eta­pa com­ple­men­tar, no­va­men­te com Ra­fa­el Sil­va. Já nos acrés­ci­mos, o go­lei­ro Ra­fa­el San­tos foi ex­pul­so por agre­dir Pau­li­nho Moc­ce­lin com um so­co den­tro da área. Com ca­te­go­ria, Da­go­ber­to ga­ran­tiu o triun­fo azul e bran­co.

“Fa­la­mos du­ran­te a se­ma­na da di­fi­cul­da­de que ia ser o jo­go, pe­la qua­li­da­de do ad­ver­sá­rio. Foi uma par­ti­da cheia de re­vi­ra­vol­tas, em que a equi­pe se impôs, e ao mes­mo tem­po so­fre­mos bas­tan­te. Fe­liz­men­te, nos man­ti­ve­mos for­tes no nos­so ob­je­ti­vo. É uma ale­gria jo­gar aqui e ter uma co­mis­são téc­ni­ca co­mo es­ta”, va­lo­ri­zou Da­go­ber­to, que, com a re­de ba­lan­ça­da, as­su­miu a ar­ti­lha­ria do cam­pe­o­na­to (14 gols), di­vi­di­da com Lu­cão, do Goiás.

Ven­cen­do no Ca­fé há se­te con­fron­tos con­se­cu­ti­vos e com in­ven­ci­bi­li­da­de de oi­to com­pro­mis­sos, sen­do seis vi­tó­ri­as e dois em­pa­tes, o Lon­dri­na tam­bém fi­gu­ra com a me­lhor cam­pa­nha do re­tur­no, em que so­ma 69% de apro­vei­ta­men­to. No tur­no ini­ci­al, o ti­me foi o quar­to pi­or, quan­do te­ve de­sem­pe­nho de ape­nas 37%. “Ago­ra é ho­ra de sa­bo- re­ar o mo­men­to que o Lon­dri­na es­tá vi­ven­do. Pas­sa­mos si­tu­a­ções di­fí­ceis na com­pe­ti­ção”, lem­brou o téc­ni­co Ro­ber­to Fon­se­ca.

Ven­do a cres­cen­te no de­sem­pe­nho do LEC den­tro de cam­po des­de sua che­ga­da, o trei­na­dor afir­mou que con­se­guiu resgatar o que o ti­me ti­nha de me­lhor. “Res­ga­ta­mos o ti­me de brio, que bri­ga do co­me­ço até o fi­nal. Jo­ga­mos con­tra uma gran­de equi­pe e com um dos ti­mes mais bem ar­ma­dos fo­ra de ca­sa”, dis­se. “Vi­ra­mos o ad­ver­sá­rio a ser ba­ti­do. Te­mos 29 pon­tos no se­gun­do tur­no. Quem fez is­so no pri­mei­ro foi o For­ta­le­za (lí­der do cam­pe­o­na­to). Ago­ra é ho­ra de va­lo­ri­zar­mos o que es­tá sen­do fei­to”, acres­cen­tou o co­man­dan­te.

De­sa­fio

Pa­ra man­ter vi­vo o so­nho do aces­so e di­mi­nuir ain­da mais a dis­tân­cia pa­ra o G4 da Sé­rie B, o Tu­ba­rão vai pre­ci­sar su­pe­rar o Avaí, atu­al vi­ce-lí­der com 55 pon­tos, no pró­xi­mo sá­ba­do, na Res­sa­ca­da, às 16h30. “Nós nos da­mos o di­rei­to de so­nhar. Três, qua­tro ro­da­das atrás, a por­cen­ta­gem (da chan­ce de aces­so) era mí­ni­ma. Fe­liz­men­te, ago­ra es­ta­mos no pa­ra-bri­sa de mui­tos. Va­mos con­ti­nu­ar des­te jei­to. Não ga­nha­mos na­da, mas es­ta­mos em um bom mo­men­to”, res­sal­tou Da­go­ber­to. “O ti­me es­tá de pa­ra­béns pe­la par­ti­da que fez. Es­tou bas­tan­te fe­liz e acho que a pe­ga­da tem que ser es­sa daí”, pro­je­tou Fe­li­pe Mar­ques.

Tor­ci­da

O triun­fo so­bre o Vi­la No­va não foi im­por­tan­te so­men­te pe­la pon­tu­a­ção, mas tam­bém pe­la pre­sen­ça do tor­ce­dor no es­tá­dio do Ca­fé. Ao to­do, 5.669 pes­so­as com­pa­re­ce­ram ao pal­co es­por­ti­vo, ga­ran­tin­do ao Tu­ba­rão o me­lhor pú­bli­co em ca­sa de 2018. Pa­ra as cin­co ro­da­das res­tan­tes, em que te­rá mais dois jo­gos no Nor­te do Pa­ra­ná, a ex­pec­ta­ti­va de atle­tas e co­mis­são téc­ni­ca é que o nú­me­ro de pre­sen­tes con­ti­nue au­men­tan­do.

“O que te­mos que fri­sar é que o tor­ce­dor e o ti­me es­tão jun­tos e es­ta­mos vi­vos. Va­mos acre­di­tar, tra­ba­lhar, por­que pas­sa­mos o pri­mei­ro ob­je­ti­vo (de ga­ran­tir per­ma­nên­cia na Sé­rie B) e ago­ra acre­di­to que mais do que nun­ca es­ta­mos for­tes pa­ra o se­gun­do (que é o aces­so)”, con­fi­ou Ro­ber­to Fon­se­ca. Após o re­sul­ta­do de sex­ta, o Al­vi­ce­les­te re­to­ma os trei­nos na ma­nhã des­ta se­gun­da-fei­ra (29), no Cen­tro de Trei­na­men­tos da SM Sports.

Gus­ta­vo Oliveira/Lon­dri­na Es­por­te Clu­be

Da­go­ber­to, que mar­cou o ter­cei­ro gol do Tu­ba­rão con­tra o Vi­la No­va, di­vi­de a ar­ti­lha­ria da Sé­rie B com Lu­cão, do Goiás, com 14 gols

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.