Ha­mil­ton, o te­tra “bon vi­vant” da Fór­mu­la 1

O 'bon vi­vant' Lewis Ha­mil­ton é o pi­lo­to mais regular dos úl­ti­mos anos, e en­tra no clu­be dos gran­des da F-1

Novo Jornal - - Primeira Página - Felipe Ro­sa Men­des Da Agên­cia Es­ta­do

Lewis Ha­mil­ton en­tra para o se­le­to clu­be dos te­tra­cam­peões da F1, mas se des­ta­ca mes­mo por seu es­ti­lo “bom vi­vant”, acos­tu­ma­do a cul­ti­var ami­za­des com ce­le­bri­da­des e a fre­quen­tar os even­tos mais ba­da­la­dos do pla­ne­ta.

Se che­gas­se ao me­nos em quin­to lugar no GP do Mé­xi­co de Fór­mu­la 1, do­min­go, o in­glês Lewis Ha­mil­ton te­ria mui­tas op­ções de lu­ga­res para ce­le­brar o te­tra­cam­pe­o­na­to ao lado de ami­gos dos mais fa­mo­sos. Bo­as op­ções de res­tau­ran­tes, ba­la­das e com­pa­nhi­as não fal­ta­ri­am ao grande “bom vi­vant” da atu­al F-1, acos­tu­ma­do a cul­ti­var ami­za­des com ce­le­bri­da­des e a fre­quen­tar os even­tos mais ba­da­la­dos do pla­ne­ta.

O pi­lo­to da Mer­ce­des se tor­nou fa­mo­so nos úl­ti­mos anos tam­bém pe­la “per­for­man­ce” fo­ra das pis­tas. En­tre uma vitória aqui e uma po­le po­si­ti­on ali, o in­glês fre­quen­ta o ta­pe­te ver­me­lho de fes­tas or­ga­ni­za­das por re­vis­tas fa­mo­sas, ba­te fo­tos com be­las mu­lhe­res no Fes­ti­val de Can­nes, na Fran­ça, po­sa ao lado de ato­res co­mo Will Smith e Ar­nold Schwar­ze­neg­ger. Faz “re­se­nha” com o ex-jo­ga­dor da NBA, Scot­tie Pip­pen, e até o bra­si­lei­ro Neymar, de quem é amigo.

Em sua ter­ra, já al­mo­çou até com a Rainha Eli­za­beth II no Pa­lá­cio de Buc­kingham e aden­trou os res­tri­tos cír­cu­los de Wim­ble­don. Mas seu sta­tus de ce­le­bri­da­de não foi o su­fi­ci­en­te para en­trar no Box Re­al, tre­cho super VIP da tri­bu­na do tor­neio de tê­nis. O mo­ti­vo fo­ram as rou­pas con­si­de­ra­das ina­de­qua­das para o rí­gi­do “dress co­de” do lo­cal.

Ha­mil­ton já se tor­nou fa­mo­so pe­lo es­ti­lo, com ta­tu­a­gens e mui­tos aces­só­ri­os. Adep­to dos úl­ti­mos lan­ça­men­tos da mo­da, ele re­ce­be di­cas de um es­ti­lis­ta para mon­tar seu guar­da-rou­pa. E ocu­pa lu­ga­res de des­ta­ques em des­fi­les das se­ma­nas da mo­da de Pa­ris e No­va York, on­de tem apar­ta­men­to. Sua re­si­dên­cia ofi­ci­al é em Mon­te­car­lo.

Para ir de uma casa para a ou­tra, Ha­mil­ton usa seu ja­ti­nho par­ti­cu­lar, fa­bri­ca­do pe­la ca­na­den­se Bom­bar­di­er. O mo­de­lo Chal­len­ger CL-605 foi ad­qui­ri­do em 2013 por 20 mi­lhões de li­bras na épo­ca, o que se­ria equi­va­len­te ho­je a R$ 85 mi­lhões. Na­da que ame­a­ce as con­tas do pi­lo­to. Seu pró­xi­mo contrato com a Mer­ce­des, a ser ofi­ci­a­li­za­do ain­da nes­te ano, de­ve su­pe­rar a bar­rei­ra dos 100 mi­lhões de li­bras.

Se­gun­do lis­ta tra­di­ci­o­nal do jor­nal bri­tâ­ni­co The Sun­day Ti­mes, Ha­mil­ton é o atle­ta mais ri­co do Rei­no Uni­do na atu­a­li­da­de, com for­tu­na es­ti­ma­da em 131 mi­lhões de li­bras. Ele su­pe­ra as­tros do fu­te­bol co­mo Zla­tan Ibrahi­mo­vic, do Man­ches­ter Uni­ted, e Way­ne Ro­o­ney, do Ever­ton.

Co­mo todo “bon vi­vant”, Ha­mil­ton gos­ta de música (to­ca pi­a­no, vi­o­lão e “ataca de DJ”) e não es­con­de que gos­ta de es­tar acom­pa­nha­do de mu­lhe­res bo­ni­tas, se­ja em uma vi­si­ta à Mansão da Play­boy ou em um pas­seio de esqui ao lado da nor­te-ame­ri­ca­na Lind­sey Vonn, cam­peã olím­pi­ca nos Jo­gos de In­ver­no.

O cur­rí­cu­lo de na­mo­ra­das fa­mo­sas do pi­lo­to é ex­ten­so. Tem So­fia Ri­chie (fi­lha do can­tor Li­o­nel Ri­chie), a mo­de­lo Win­nie Har­low e as can­to­ras Ni­co­le Scher­zin­ger e Rita Ora, além, é cla­ro, de ami­za­des que ge­ra­ram for­tes ru­mo­res, ca­so de Rihan­na, ou­tra es­tre­la da música.

O su­ces­so den­tro e fo­ra das pis­tas fez o jor­nal The Sun con­si­de­rar Ha­mil­ton o “úl­ti­mo pi­lo­to de Hollywood” da Fór­mu­la 1. “O es­ti­lo de vi­da que eu te­nho é com cer­te­za bem di­fe­ren­te do de ou­tros pi­lo­tos. Meu jei­to de tra­ba­lhar se en­cai­xa per­fei­ta­men­te em mi­nha vi­da. Tra­ta-se de cur­tir ca­da momento”, dis­se o pi­lo­to

“Quan­do mi­nha car­rei­ra na F-1 aca­bar, que­ro ter cer­te­za de que vi­vi ao má­xi­mo, ao má­xi­mo. É o que eu ten­to fa­zer. Vou a lu­ga­res e vi­vo ex­pe­ri­ên­ci­as o má­xi­mo possível que pos­so. E fa­ço o meu tra­ba­lho o me­lhor que pos­so”, afir­mou o tri­cam­peão e re­cor­dis­ta de po­le po­si­ti­ons da ca­te­go­ria.

Lon­ge da ba­da­la­ção, po­rém sem ab­di­car dos ho­lo­fo­tes, Ha­mil­ton ten­ta equi­li­brar a vi­da de pi­lo­to com a de hu­ma­ni­tá­rio. Nos úl­ti­mos anos, re­pre­sen­tou a Uni­cef do Rei­no Uni­do em vi­si­tas às Fi­li­pi­nas e ao Hai­ti para dar aten­ção a cri­an­ças afe­ta­das por tra­gé­di­as.

“Ele é pro­va­vel­men­te o úni­co que fo­ge um pouco da­que­le mundo da F-1”, dis­se o ex-ges­tor de mar­ke­ting es­por­ti­vo da Stock Car, Da­ni­el Freire, acos­tu­ma­do a con­vi­ver com pi­lo­tos. “Ele cir­cu­la mui­to bem em vá­ri­os am­bi­en­tes, con­vi­ve com ce­le­bri­da­des de vá­ri­os es­por­tes, do cinema. Os de­mais são mais dis­cre­tos. É por isso que ele vi­rou per­so­na­li­da­de”.

STUDIO COLOMBO

STE­VEN TEE / LAT IMAGES

ZAK MAUGER / FIA

// Re­gu­la­ri­da­de é uma das prin­ci­pais ca­rac­te­rís­ti­cas do in­glês desde sua es­treia na ca­te­go­ria em 2007

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.