Ju­ris­tas pe­dem ao TSE a ex­tin­ção de no­ve ‘par­ti­dões’

Trio ale­ga que PT, PMDB, PP, PROS, PRB, PC­doB, PDT, PR e PSD ‘abra­ça­ram o cri­me or­ga­ni­za­do’ no lu­gar de prin­cí­pi­os de­mo­crá­ti­cos

O Dia - - MUNDO - > Bra­sí­li­aCom Estadão Conteúdo

Em meio às in­ves­ti­ga­ções da La­va Ja­to, um gru­po de três ju­ris­tas con­du­zi­do pe­lo ad­vo­ga­do Mo­des­to Sou­za Bar­ros Car­va­lho­sa en­trou com pe­di­do no Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral (TSE) pa­ra a aber­tu­ra de pro­ces­so de can­ce­la­men­to do re­gis­tro de no­ve gran­des par­ti­dos, sob a acu­sa­ção de que as si­glas aban­do­na­ram os “prin­cí­pi­os re­pu­bli­ca­nos, de­mo­crá­ti­cos e cons­ti­tu­ci­o­nais pa­ra abra­çar o cri­me or­ga­ni­za­do”.

O pe­di­do mi­ra o PT, PMDB, PP, Pros, PRB, PC­doB, PDT, PR e PSD, agre­mi­a­ções que, na vi­são dos ju­ris­tas, “abu­sa­ram da con­fi­an­ça do po­vo bra­si­lei­ro pa­ra rou­bá-lo”, ten­do co­me­ti­do “inú­me­ros e re­pe­ti­dos cri­mes de le­sa-pá­tria”.

Car­va­lho­sa, o de­sem­bar­ga­dor apo­sen­ta­do Laér­cio Lau­rel­li e o ad­vo­ga­do Luís Car­los Cre­ma afir­mam na pe­ti­ção que a La­va Ja­to vem“re­ve­lan­do co­mo po­lí­ti­cos cri­mi­no­sos e par­ti­dos cor­rup­tos rou­ba­ram o Bra­sil, a Pe­tro­bras e tan­tos ou­tros ór­gãos pú­bli­cos”. Car­va­lho­sa pre­ten­de se can­di­da­tar de for­ma in­de­pen­den­te à Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca nas elei­ções do ano que vem, sem apoio de ne­nhu­ma le­gen­da.

O gru­po pe­de que as no­ve si­glas se­jam im­pe­di­das de par- ti­ci­par do pro­ces­so elei­to­ral, te­nham os re­pas­ses do Fun­do Par­ti­dá­rio sus­pen­sos e se­jam im­pe­di­das de te­rem aces­so ao rá­dio eà te­le­vi­são. O pe­di­do ain­da se­rá ana­li­sa­do pe­lo mi­nis­tro Na­po­leão Nunes.

Em de­fe­sa, o PT de­fen­deu a exis­tên­cia de par­ti­dos pa­ra a con­so­li­da­ção da de­mo­cra­cia e ques­ti­o­nou a“sa­nha in­ves­ti­ga­tó­ria” con­tra a si­gla. OPMDB re­a­fir­mou que as con­tri­bui­ções elei­to­rais re­ce­bi­das pe­lo par­ti­do “es­tão de­vi­da­men­te de­cla­ra­das à Jus­ti­ça Elei­to­ral e ob­ser­va­ram to­dos os re­qui­si­tos le­gais vi­gen­tes à épo­ca”.

O PSD in­for­mou que “con­fia na Jus­ti­ça Elei­to­ral e sem- pre pau­tou sua atu­a­ção no cum­pri­men­to da le­gis­la­ção e das nor­mas vi­gen­tes”. O PR co­mu­ni­cou que “tem por nor­ma não co­men­tar as­sun­tos for­mu­la­dos pa­ra o exa­me e aná­li­se do Po­der Ju­di­ciá­rio”.

A pre­si­den­te na­ci­o­nal do PC­doB, de­pu­ta­da Lu­ci­a­na San­tos (PE), dis­se que não te­ve con­ta­to com a pe­ti­ção, mas con­si­de­rou a me­di­da “uma ini­ci­a­ti­va an­ti­de­mo­crá­ti­ca”. O PRB con­si­de­rou que a pe­ti­ção “é fun­da­men­ta­da me­ra­men­te em re­por­ta­gens com frá­geis em­ba­sa­men­tos pro­ba­tó­ri­os”. Os de­mais não res­pon­de­ram.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.