CON­FI­AN­ÇA NO DESFECHO

Mar­ce­lo Frei­xo acha que de­cla­ra­ções de mi­nis­tro atra­pa­lham as in­ves­ti­ga­ções

O Dia - - RIO DE JANEIRO -

L No en­con­tro, o che­fe da Po­lí­cia Ci­vil, Ri­val­do Bar­bo­sa, tam­bém não deu in­for­ma­ções pa­ra as fa­mí­li­as da ve­re­a­do­ra Ma­ri­el­le Fran­co e do mo­to­ris­ta An­der­son Go­mes so­bre os as­sas­si­na­tos. O ca­so es­tá na De­le­ga­cia de Ho­mi­cí­di­os.

“No mo­men­to apro­pri­a­do, fa­la­re­mos. A Po­lí­cia Ci­vil já en­ten­deu o ce­ná­rio do cri­me. Es­ta­mos uti­li­zan­do to­dos os mei­os pa­ra re­sol­ver o ca­so”, afir­mou Bar­bo­sa.

Pa­ra o de­pu­ta­do Mar­ce­lo Frei­xo, as de­cla­ra­ções do mi­nis­tro Raul Jung­mann po­dem atra­pa­lhar a po­lí­cia.

“Não ca­be ao mi­nis­tro fa­lar so­bre as li­nhas de in­ves­ti­ga­ção. Ca­be aos de­le­ga­dos. Te­nho mui­to res­pei­to pe­lo tra­ba­lho da Po­lí­cia Ci­vil. São eles (in­ves­ti­ga­do­res) que de­vem se pro­nun­ci­ar qu­an­do en­ten­de­rem que po­dem. Acho que is­so (de­cla­ra­ção do mi­nis­tro) po­de atra­pa­lhar o tra­ba­lho da po­lí­cia”, dis­se Frei­xo.

“O en­con­tro ser­viu pa­ra a fa­mí­lia ter cer­te­za que a in­ves­ti­ga­ção es­tá an­dan­do. Te­mos con­fi­an­ça na po­lí­cia. Não que­ro sa­ber qu­em é me­nos ou mais sus­pei­to. Que­ro sa­ber qu­em ma­tou e qu­em man­dou ma­tar. Não va­mos pa­rar de co­brar, mas o tem­po é ne­ces­sá­rio”, com­ple­tou o de­pu­ta­do.

Tam­bém es­ti­ve­ram pre­sen­tes na reu­nião, na se­de da Po­lí­cia Ci­vil, os pais de Ma­ri­el­le, Ma­ri­ne­te e Antô­nio Fran­cis­co da Sil­va Ne­to; a fi­lha da ve­re­a­do­ra, Luya­ra Fran­co; e a viú­va de An­der­son Go­mes, Agatha Reis, além do ad­vo­ga­do João Tan­cre­do.

“A mi­nha fi­lha é luz. Te­mos que ter pa­ci­ên­cia de que as in­ves­ti­ga­ções es­tão an­dan­do. Mas a mi­nha fé es­tá aci­ma de qual­quer coi­sa”, res­sal­tou Ma­ri­ne­te, emo­ci­o­na­da. (Cássio Bruno)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.