Ve­ja co­mo ga­ran­tir pa­ga­men­to in­te­gral

Fór­mu­la 85/95, sem des­con­to do fa­tor pre­vi­den­ciá­rio, mu­da­rá no fim do ano

O Dia - - ECONOMIA - MARTHA IMENES martha.imenes@odia.com.br

Otra­ba­lha­dor que es­tá na ex­pec­ta­ti­va de se apo­sen­tar com as van­ta­gens da Fór­mu­la 85/95, que so­ma ida­de e tem­po de con­tri­bui­ção, sen­do 85 pon­tos pa­ra mulheres e 95 pa­ra ho­mens, de­ve fi­car de olho no ca­len­dá­rio. Ca­so não con­si­ga atin­gir es­sa so­ma até o dia 30 de de­zem­bro de 2018, te­rá que con­ti­nu­ar re­co­lhen­do pa­ra o INSS por mais um pe­río­do ou seu be­ne­fí­cio te­rá o des­con­to do fa­tor pre­vi­den­ciá­rio. Em em al­guns ca­sos, a re­du­ção do va­lor da apo­sen­ta­do­ria é de até 40%.

No úl­ti­mo dia des­te ano, o tra­ba­lha­dor com car­tei­ra as­si­na­da que ain­da não ti­ver as con­di­ções de se apo­sen­tar com es­sa re­gra cai­rá em no­va exi­gên­cia, que pas­sa­rá a ser a re­gra 86/96, que as­sim co­mo a an­te­ri­or ga­ran­te o be­ne­fí­cio in­te­gral. O me­ca­nis­mo atu­al ga­ran­te ven­ci­men­to in­te­gral, que equi­va­le à mé­dia dos 80% mai­o­res sa­lá­ri­os e sem in­ci­dên­cia de fa­tor pre­vi­den­ciá­rio.

RE­GRA 86/96 EM 2019

Ou se­ja, quem pro­gra­mou a apo­sen­ta­do­ria pa­ra 2019 de­ve ter em men­te que, pa­ra es­ca­par do fa­tor, pre­ci­sa­rá ter atin­gi­do a re­gra 86/96. No ca­so da mu­lher que com­ple­tar 30 anos de con­tri­bui­ção no ano que vem, o be­ne­fí­cio in­te­gral só sai­rá se ela ti­ver, no mí­ni­mo, 56 anos de ida­de.

Ho­je uma mu­lher po­de ga­nhar apo­sen­ta­do­ria in­te­gral ten­do, 55 anos de ida­de e 30 anos de con­tri­bui­ção. Ca­so não al­can­ce es­ses va­lo­res até a vi­ra­da do ano, uma tra­ba­lha­do­ra em­pre­ga­da te­rá de fi­car pe­lo me­nos mais seis me­ses no mercado de tra­ba­lho,

até al­can­çar 55 anos e meio de ida­de e 30 anos e meio de con­tri­bui­ção.

Um pon­to im­por­tan­te a res­sal­tar é que na re­gra 85/95 o be­ne­fí­cio po­de subir até R$ 1 mil, se­gun­do da­dos da pró­pria Pre­vi­dên­cia. “Is­so ocor­re por­que quem se en­qua­dra nes­sa re­gra recebe a apo­sen­ta­do­ria sem in­ci­dên­cia do fa­tor pre­vi­den­ciá­rio”, ex­pli­ca Adri­a­ne Bra­man­te, pre­si­den­te do Ins­ti­tu­to Bra­si­lei­ro de Di­rei­to Pre­vi­den­ciá­rio (IBDP).

Na apo­sen­ta­do­ria por tem­po de con­tri­bui­ção (com in­ci­dên­cia do fa­tor), o cál­cu­lo do be­ne­fí­cio le­va em con­si­de­ra­ção, no mo­men­to da apo­sen­ta­do­ria o tem­po de con­tri­bui­ção à Pre­vi­dên­cia, a ex­pec­ta­ti­va de so­bre­vi­da (que o IBGE di­vul­ga) e a ida­de. “Quan­to mai­or for o tem­po de con­tri­bui­ção e a ida­de, mai­or será o fa­tor e, con­se­quen­te­men­te, o va­lor do be­ne­fí­cio”, diz a es­pe­ci­a­lis­ta.

DI­VUL­GA­ÇÃO

Adri­a­ne Bra­man­te diz que o tra­ba­lha­dor que atin­giu a Fór­mu­la 85/95 es­te ano tem di­rei­to ad­qui­ri­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.