Os jo­vens es­tão can­san­do do ‘mi­to’ Bol­so­na­ro?

Pes­qui­sas mos­tram que cres­ce a re­jei­ção do pre­si­den­ciá­vel en­tre elei­to­res de 16 a 24 anos

O Dia - - PAÍS -

Se­gun­do le­van­ta­men­to da CNT/MDA, 30% dos que se de­cla­ram elei­to­res do lí­der nas pes­qui­sas de in­ten­ção de vo­to à Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca, Jair Bol­so­na­ro (PSL), são jo­vens en­tre 16 e 24 anos. O da­do po­de sur­pre­en­der mui­ta gen­te, já que, his­to­ri­ca­men­te,jo­vens não se iden­ti­fi­cam com can­di­da­tos de dis­cur­so conservador. Se­gun­do pes­qui­sa­do­res,apre­ga­ção­an­tis­sis­te­ma do ca­pi­tão é uma das cha­ves pa­ra ex­pli­car o fenô­me­no. No en­tan­to, pes­qui­sas mos­tram que o apoio dos jo­vens po­de es­tar en­fra­que­cen­do.

“Ele não é acu­sa­do de cor­rup­ção, co­mo tan­tos po­lí­ti­cos”, diz Lu­cas de Oli­vei­ra, es­tu­dan­te do En­si­no Mé­dio, de 17 anos, re­pe­tin­do um dis­cur­so co­mum en­tre os elei­to­res do can­di­da­to. A ci­en­tis­ta so­ci­al Esther So­la­no, da Uni­fesp, pes­qui­sou as re­a­ções dos jo­vens a Bol­so­na­ro, en­tre­vis­tan­do jo­vens em es­co­las e ma­ni­fes­ta­ções, e viu na ‘es­té­ti­ca ju­ve­nil’ do can­di­da­to os elos com os jo­vens. “As pes­so­as des­con­ten­tes com a po­lí­ti­ca en­con­tram na lin­gua­gem lú­di­ca, e até um pou­co fol­cló­ri­ca do can­di­da­to, es­sa es­té­ti­ca ju­ve­nil, que con­ver­sa tan­to com os adultos quan­to com os jo­vens, atra­vés de me­mes e pi­a­das”, diz. “Ele ain­da é mui­to for­te na in­ter­net, meio em que es­ses jo­vens tra­fe­gam boa par­te do dia”, con­clui a es­pe­ci­a­lis­ta, que es­cre­veu o ar­ti­go ‘Cri­se da De­mo­cra­cia e ex­tre­mis­mos da di­rei­ta”.

Thai­na Nar­ci­zo, 22 anos, es­tu­dan­te e ge­ren­te de Pro­du­ção, diz que o can­di­da­to do PSL “se pro­põe a fa­lar a ver­da­de, mes­mo que is­so vá pre­ju­di­cá-lo”. Ela acha que Bol­so­na­ro é ca­paz de apli­car “pe­nas mais se­ve­ras aos in­fra­to­res”.

Pa­trick Nu­nes, 18, jo­vem jogador de fu­te­bol pro­fis­si­o­nal, ava­lia que “o Bra­sil pre­ci­sa ho­je de al­guém com pul­so fir­me”.

A força elei­to­ral de Bol­so­na­ro en­tre os jo­vens, no en­tan­to, mos­trou al­gu­mas fis­su­ras na úl­ti­ma se­ma­na. Na pes­qui­sa Da­ta­fo­lha di­vul­ga­da na segunda-fei­ra, o ín­di­ce de re­jei­ção do de­pu­ta­do na fai­xa de 16 a 24 su­biu mui­to, pu­lan­do de 41 pa­ra 55%. No Ibo­pe, os elei­to­res mais jo­vens fo­ram a úni­ca fai­xa etá­ria em que a in­ten­ção de vo­to ne­le não avan­çou.

O es­tu­dan­te B.C., de 19 anos - que não quis se iden­ti­fi­car por me­do de ser re­pre­en­di­do em ca­sa pe­los pais, elei­to­res de Bol­so­na­ro -, ad­mi­tiu ter mu­da­do de ideia em re­la­ção ao can­di­da­to do PSL.

De acor­do com o en­tre­vis­ta­do, ele dei­xou de ser sim­pa­ti­zan­te de Bol­so­na­ro por­que ama­du­re­ceu. “Vi que su­as pro­pos­tas,

Con­si­de­ro Jair al­guém sin­ce­ro, com von­ta­de fa­zer o Bra­sil ser o país que de­ve­ria ser Thai­na Nar­ci­zo, 23, ge­ren­te de pro­du­ção

Seus pon­tos fortes são a sin­ce­ri­da­de e se­ri­e­da­de com nos­sa pá­tria. Lu­cas de Oli­vei­ra, 17, es­tu­dan­te de en­si­no mé­dio

Se elei­to, só vai ge­rar mais ins­ta­bi­li­da­de Carolina Na­lin, 20, es­tu­dan­te de jor­na­lis­mo

Ele não tem ati­tu­des dig­nas de um lí­der Gas­par Bru­no, 21, es­tu­dan­te uni­ver­si­tá­rio

além de não se­rem de meu agra­do, não agre­ga­ri­am pa­ra uma me­lho­ra do país. A ideia de se­gu­ran­ça pa­ra o can­di­da­to, por exem­plo, le­va­ria a uma gran­de as­cen­são da mor­ta­li­da­de da po­pu­la­ção, se­ja ela de ‘ban­di­dos’ ou po­li­ci­ais”, diz.

Pa­ra o ci­en­tis­ta po­lí­ti­co Sér­gio Pra­ça, não se tra­ta de uma mu­dan­ça, por en­quan­to, de­ci­si­va. “É um mo­vi­men­to ini­ci­al. Mas tal­vez se­ja mais uma ques­tão de gê­ne­ro. A re­jei­ção en­tre as mulheres de to­das as ida­des es­tá cres­cen­do. Ele de­ve­ria ter ado­ta­do uma pos­tu­ra mais mo­de­ra­da pa­ra am­pli­ar o elei­to­ra­do”.

So­bre o fa­to de um can­di­da­to com pos­tu­ras con­ser­va­do­ras ter se­du­zi­do uma gran­de par­ce­la de jo­vens bra­si­lei­ros, Esther cre­di­ta às “pe­cu­li­a­ri­da­des do ca­so de Bol­so­na­ro”. “Ele tem uma lin­gua­gem fá­cil, fa­la a lín­gua da gen­te, é fá­cil de en­ten­der. E ocu­pa um es­pa­ço dei­xa­do pe­lo va­zio de va­lo­res”, ex­pli­ca.

Re­por­ta­gem do es­ta­giá­rio Felipe Re­bou­ças, sob su­per­vi­são de Dir­ley Fer­nan­des

RE­PRO­DU­ÇÃO DE IN­TER­NET

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.