FU­TE­BOL IR­RES­PON­SÁ­VEL

O Dia - - ATAQUE -

Os ti­mes mais fortes en­vol­vi­dos em mais de uma com­pe­ti­ção si­mul­tâ­nea não são tão fortes que os tor­nem ca­pa­zes de en­fren­tá-las com chan­ces de êxi­to. Já os mais fra­cos, dis­pu­tan­do ape­nas o Bra­si­lei­ro, aca­bam sur­pre­en­den­do os mais fortes pe­lo pre­pa­ro fí­si­co, o que pro­vo­ca o acha­ta­men­to téc­ni­co. Com is­so, as dis­tân­ci­as en­tre os me­lho­res e os pi­o­res fi­cam ca­da vez me­no­res, fa­vo­re­cen­do re­sul­ta­dos im­pro­vá­veis, ze­bras que de­fi­nem po­si­ções e até de­ci­din­do o cam­pe­o­na­to. Os téc­ni­cos re­cla­mam do ca­len­dá­rio que os im­pe­de de tra­ba­lhar, jo­ga­do­res se quei­xam dos jo­gos su­ces­si­vos, vi­a­gens, pou­co tem­po de descanso e com as fa­mí­li­as. Di­ri­gen­tes fin­gem con­cor­dar, mas de olho no gor­do fa­tu­ra­men­to, na­da fazem pa­ra mu­dar. Ao con­trá­rio. Fla­men­go e Cru­zei­ro se uni­ram até em va­qui­nha, alu­gan­do ja­to pa­ra que De­dé, Pa­que­tá (foto) e Cuél­lar es­ti­ves­sem em cam­po pe­la Co­pa do Bra­sil e vi­o­lan­do a lei das 66 ho­ras de in­ter­va­lo en­tre os jo­gos. Per­dem os es­pe­tá­cu­los, per­de quem pa­ga por eles.

GILVAN DE SOU­ZA / FLA­MEN­GO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.