Fla-Flu no rit­mo de dois vo­lan­tes e ‘ar­ti­lhei­ros’

Ru­bro-Ne­gro de Wil­li­an Arão quer ven­cer pa­ra se man­ter na bri­ga pe­lo tí­tu­lo do Bra­si­lei­ro. Já o Tri­co lor­de Jad­son mi­ra um lu gar­no G -6

O Dia - - ATAQUE -

Atra­di­ção cen­te­ná­ria do FlaF­lu vai mui­to além das vi­tó­ri­as eter­ni­za­das pe­los pés de Zi­co ou dos in­se­pa­rá­veis Washing­ton e As­sis. Sem­pre ha­ve­rá es­pa­ço pa­ra he­róis im­pro­vá­veis, per­fis em que se en­cai­xam Wil­li­an Arão e Jad­son no clás­si­co, que, ho­je, às 17h, vol­ta ao Ma­ra­ca­nã após qua­se um ano. Mais do que tá­ti­cos, os vo­lan­tes se des­ta­cam pe­los gols, fun­da­men­tais pa­ra os pla­nos dos ri­vais. O Ru­bro-Ne­gro, ter­cei­ro co­lo­ca­do no Bra­si­lei­ro, com 52 pon­tos, mi­ra o lí­der Pal­mei­ras, com 56, en­quan­to o Tri­co­lor, oi­ta­vo, com 37, quer se dis­tan­ci­ar ca­da vez mais do Z-4 e bri­gar por um lu­gar no G-6.

De­pois de amar­gar boa par­te da tem­po­ra­da na re­ser­va e qua­se ser ne­go­ci­a­do com um clu­be da Gré­cia, Arão re­cu­pe­rou o es­pa­ço com a au­sên­cia de Di­e­go, ma­chu­ca­do. No clás­si­co, o ca­mi­sa 8 che­ga com sta­tus de ‘car­ras­co’ pe­los cin­co gols mar­ca­dos e bo­as re­cor­da­ções con­tra o Flu­mi­nen­se.

“Lu­gar de Fla-Flu é no Ma­ra­ca­nã, com to­do res­pei­to às ou­tras pra­ças. Es­pe­ra­mos um jo­go bo­ni­to com ar­qui­ban­ca­da lo­ta­da... Sou mui­to fe­liz jo­gan­do con­tra o Flu­mi­nen­se, acho que te­nho qua­tro ou cin­co gols. Es­pe­ro con­ti­nu­ar a ter bo­as lem­bran­ças. Meus ami­gos até brin­cam que sem­pre sai gol”, res­sal­tou Arão.

Tal qual o opo­nen­te, Jad­son tem se des­ta­ca­do pe­la ver­sa­ti­li­da­de.

Sou mui­to fe­liz jo­gan­do con­tra o Flu­mi­nen­se, acho que te­nho cin­co gols. Es­pe­ro con­ti­nu­ar a ter bo­as lem­bran­ças”

WIL­LI­AN ARÃO

Mais li­vre sob o co­man­do de Mar­ce­lo Oli­vei­ra, o ca­mi­sa 16 cres­ceu e co­me­mo­rou um fei­to iné­di­to nos oi­to anos de car­rei­ra. Na go­le­a­da de 4 a 0 so­bre o Pa­ra­ná, se­gun­da­fei­ra, ele mar­cou dois gols e su­pe­rou uma mar­ca in­di­vi­du­al.

“Foi a pri­mei­ra vez que fiz dois gols em um ano, ima­gi­ne em um jo­go só... O es­que­ma com três za­guei­ros dá uma li­ber­da­de mai­or de che­gar à fren­te, de se mo­vi­men­tar um pou­co mais, e is­so tem nos aju­da­do bas­tan­te”, dis­se Jad­son, que, até a úl­ti­ma ro­da­da, so­ma­va qua­tro gols na car­rei­ra.

Ape­sar da obri­ga­ção com­ba­ti­va no meio de cam­po, Arão e Jad­son fun­ci­o­nam co­mo ele­men­tos-sur­pre­sa nos es­que­mas de Fla-Flu e me­re­cem aten­ção. Fo­ca­do na mis­são ru­bro-ne­gra, o vo­lan­te man­tém a fé ina­ba­lá­vel na per­se­gui­ção ao lí­der Pal­mei­ras, pró­xi­mo ad­ver­sá­rio da equi­pe após o clás­si­co.

“Nun­ca dei­xa­mos a bri­ga pe­lo tí­tu­lo, né?! Os­ci­la­ção é nor­mal. Na nos­sa ca­be­ça, nun­ca dei­xa­mos de bri­gar”, afir­mou Arão.

O pe­so da ri­va­li­da­de do Fla-Flu au­men­ta por con­ta do je­jum tri­co­lor, que não ven­ce o ar­quir­ri­val no Ma­ra­ca­nã des­de maio de 2015. “A vi­tó­ria (so­bre o Pa­ra­ná) em si nos mo­ti­va. É sem­pre bom ven­cer. Foi con­sequên­cia do que fi­ze­mos, do que cri­a­mos. Ago­ra é con­cen­trar pa­ra que pos­sa­mos fa­zer um bom clás­si­co”, ava­li­ou Jad­son.

O ano tem si­do es­pe­ci­al. A evo­lu­ção e os gols co­ro­am es­sa sequên­cia. Es­ta­mos con­fi­an­tes. O co­le­ti­vo vol­tou a fun­ci­o­nar” JAD­SON

GILVAN DE SOUZA/FLA­MEN­GO

Wil­li­an Arão ga­nhou fa­ma de ‘car­ras­co’ do Flu­mi­nen­se, com cin­co gols

MAILSON SAN­TA­NA/FLU­MI­NEN­SE

Jad­son fez dois gols no úl­ti­mo jo­go do Flu­mi­nen­se no Bra­si­lei­ro, con­tra o Pa­ra­ná

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.