Me­ni­no de­sa­pa­re­ci­do é en­con­tra­do a 457 km FO­RA

Ga­ro­to de 14 anos foi lo­ca­li­za­do por um tra­ba­lha­dor rural às mar­gens de ro­do­via em Ma­di­ri­tu­ba; o pai vi­a­jou ain­da na tar­de de on­tem pa­ra bus­cá-lo

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - La­ris­sa Sa­to

odi­a­rio.com Na com­pa­nhia do pai, Fer­nan­do Al­ves, o ga­ro­to de 14 anos que saiu de ca­sa no co­me­ço da se­ma­na ini­ci­ou on­tem a vi­a­gem de vol­ta pa­ra ca­sa, em Ma­rin­gá, após an­dan­ças e inú­me­ros per­cal­ços. O ado­les­cen­te de­sa­pa­re­ceu na ma­dru­ga­da de se­gun­da-fei­ra e só foi lo­ca­li­za­do on­tem pe­la ma­nhã, em Man­di­ri­tu­ba (457 km de Ma­rin­gá).

O pri­mei­ro con­ta­to por te­le­fo­ne com a fa­mí­lia após o de­sa­pa­re­ci­men­to foi fei­to por vol­ta das 10h30 de on­tem, por um tra­ba­lha­dor de uma fa­zen­da pa­ra qu­em o ado­les­cen­te te­ria pe­di­do aju­da pa­ra vol­tar pa­ra ca­sa. Se­gun­do o pai, ho­ras an­tes de ser abor­da­do pe­lo tra­ba­lha­dor, às mar­gens de um ro­do­via, o fi­lho te­ve a mo­chi­la rou­ba­da em Cu­ri­ti­ba, ex­pe­ri­ên­cia que o fez de­sis­tir da ideia de “ten­tar a vi­da no Rio de Ja­nei­ro.”

Na mo­chi­la rou­ba­da, o ga­ro­to le­va­va o ma­te­ri­al es­co­lar, uma tro­ca de rou­pa e uma Bí­blia, que se­gun­do a fa­mí­lia, lia to­das as noi­tes.

“Ele (o tra­ba­lha­dor rural) viu o me­ni­no an­dan­do na ro­do­via e achou que ha­via al­go er­ra­do. Foi per­gun­tan­do e o meu fi­lho deu meu nú­me­ro de te­le­fo­ne. O ho­mem me li­gou e con­fe­riu os da­dos que eu pas­sei com os que meu fi­lho ha­via da­do. Eu es­cu­tei a voz de­le”, re­la­tou o pai, que lo­go após o te­le­fo­ne­ma vi­a­jou até Man­di­ri­tu­ba pa­ra re­en­con­trar o ga­ro­to.

An­tes dis­so, uma mu­lher que tra­ba­lha em um mer­ca­do pró­xi­mo à ca­sa da fa­mí­lia re­la­tou que na se­gun­da-fei­ra, quan­do vi­a­ja­va com o na­mo­ra­do, viu o me­ni­no em um ca­mi­nhão na re­gião de Ca­li­fór­nia (82 km de Ma­rin­gá).

Até a che­ga­da do pai, o me­ni­no fi­cou sob os cui­da­dos do Con­se­lho Tu­te­lar de Man­di­ri­tu­ba. No re­en­con­tro, se­gun­do Al­ves, o ga­ro­to afir­mou es­tar ar­re­pen­di­do da fu­ga e re­la­tou ter con­ta­do com aju­da de es­tra­nhos du­ran­te a vi­a­gem, tan­to pa­ra o trans­por­te quan­to pa­ra a ali­men­ta­ção. Du­ran­te as noi­tes, ele te­ria se abri­ga­do em pos­tos de com­bus­tí­veis.

“Pa­ra o meu ir­mão, o meu fi­lho dis­se por te­le­fo­ne que es­sa ex­pe­ri­ên­cia en­si­nou pra ele que não há lu­gar me­lhor no mun­do do que a ca­sa da gen­te, per­to da nos­sa fa­mí­lia. Foi uma aven­tu­ra de ado­les­cen­te que fe­liz­men­te aca­bou bem”, de­fi­niu o pai, ali­vi­a­do.

Al­ves dis­se ain­da não ter ti­do tem­po de con­ver­sar com o fi­lho so­bre os mo­ti­vos da fu­ga. “Nes­te mo­men­to de re­en­con­tro não é ho­ra de co­bran­ças. Tudo o que eu que­ro ago­ra é le­vá-lo pa­ra ca­sa e le­vá-lo ao mé­di­co pa­ra ver se es­tá tudo bem com a saú­de de­le”, dis­se, acres­cen­tan­do que o ado­les­cen­te es­ta­va bem fi­si­ca­men­te - ape­nas um pou­co as­sus­ta­do após a aven­tu­ra.

Pai e fi­lho che­ga­ri­am a Ma­rin­gá na ma­dru­ga­da de ho­je.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.