So­ma­do, or­ça­men­to re­gi­o­nal so­be 13,9%

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM -

Em meio à si­tu­a­ção de pe­nú­ria en­fren­ta­da por al­gu­mas ad­mi­nis­tra­ções, sur­ge um alen­to quan­do se re­gi­o­na­li­za os nú­me­ros. O or­ça­men­to das pre­fei­tu­ras que com­põem a As­so­ci­a­ção dos Mu­ni­cí­pi­os do Se­ten­trião Pa­ra­na­en­se (Amu­sep) te­rá um au­men­to mé­dio de 13,9% pa­ra 2013, che­gan­do à ca­sa de R$ 1,5 bi­lhão. Le­van­ta­men­to fei­to por O Diá­rio mos­tra, no en­tan­to, que há con­tras­tes na re­gião de Ma­rin­gá: en­quan­to al­gu­mas ci­da­des es­pe­ram ver as re­cei­tas su­bi­rem até 40% no pró­xi­mo ano, há mu­ni­cí­pi­os com pro­je­ção de que­da su­pe­ri­or a 2% em re­la­ção ao ar­re­ca­da­do em 2012.

Pre­fei­to de Iva­tu­ba e pre­si­den­te da Amu­sep, Van­der­lei San­ti­ni (PSB) diz que não há mo­ti­vo de pre­o­cu­pa­ção pa­ra as no­vas ad­mi­nis­tra­ções. Além da obri­ga­ção de os atu­ais pre­fei­tos con­cluí­rem os man­da­tos com as contas “no azul”, os­ci­la­ções do or­ça­men­to fa­zem par­te do jo­go, diz ele. “Es­tou no quar­to man­da­to, já me acos­tu­mei com is­so. Não adi­an­ta en­trar e cho­rar.”

O pre­fei­to de Iva­tu­ba vai dei­xar pa­ra o su­ces­sor, Rob­son Ra­mos (PSC), um or­ça­men­to com re­cei­ta 3% mai­or que a pre­vis­ta pa­ra 2012. Se­gun­do ele, a di­ca é “se ar­ran­jar com o que tem.” “Mui­ta gen­te não co­nhe­ce a re­a­li­da­de da pre­fei­tu­ra e faz pro­mes­sas mi­ra­bo­lan­tes. Tem que che­gar e se adap­tar, se ar­ran­jar com o que tem, além de bus­car re­cur­sos de fo­ra. Con­se­gui fa­zer mui­ta obra com re­cur­sos pró­pri­os, mas é pre­ci­so pla­ne­jar bas­tan­te”, diz o pre­si­den­te da Amu­sep.

Pre­fei­to de Man­da­gua­ri, Cyl­lê­neo Pes­soa Pe­rei­ra Jú­ni­or (PP), o Ci­le­ni­nho, en­cer­ra o go­ver­no dei­xan­do um or­ça­men­to pre­vis­to de R$ 55 mi­lhões pa­ra Ro­mu­al­do Ba­tis­ta (PT). Ci­le­ni­nho ad­mi­te que os re­cur­sos não são sa­tis­fa­tó­ri­os – pa­ra 2012, o or­ça­men­to foi pro­je­ta­do, ini­ci­al­men­te, em R$ 46 mi­lhões. “É sem­pre aper­ta­do fe­char as contas. As des­pe­sas so­bem em um rit­mo bem mai­or do que as re­cei­tas, o or­ça­men­to de­ve­ria ser mai­or”, ava­lia. “Mui­ta gen­te não co­nhe­ce a re­a­li­da­de das pre­fei­tu­ras e faz pro­mes­sas mi­ra­bo­lan­tes” “O co­mér­cio se for­ta­le­ceu, con­se­gui­mos tra­zer mais in­dús­tri­as e no­vos lo­te­a­men­tos fo­ram aber­tos na ci­da­de”

Dou­glas Mar­çal

Man­da­gua­çu, ci­da­de com pre­vi­são de al­ta de 39% no or­ça­men­to; im­pos­tos do co­mér­cio aju­da­ram

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.