São Pau­lo quer evi­tar eu­fo­ria pa­ra a de­ci­são

Vi­tó­ria dos re­ser­vas so­bre o ar­quir­ri­val Co­rinthi­ans, quan­do os ti­tu­la­res des­can­sa­ram, é um dos mo­ti­vos que de­ter­mi­nam oti­mis­mo pa­ra a fi­nal com ar­gen­ti­nos

O Diario do Norte do Parana - - ESPORTES - Fer­nan­do Fa­ro

re­da­cao@odi­a­rio.com Vi­tó­ria com a equi­pe re­ser­va so­bre o ar­quir­ri­val, me­lhor atu­a­ção de Pau­lo Hen­ri­que Gan­so des­de a sua che­ga­da ao clube, ti­tu­la­res des­can­sa­dos, ri­val sem tra­di­ção pe­la fren­te. Tudo pa­re­ce cons­pi­rar pa­ra o São Pau­lo cor­ro­bo­rar o fa­vo­ri­tis­mo que lhe é atri­buí­do con­tra o Ti­gre e con­fir­mar o tí­tu­lo da Co­pa Sul-Ame­ri­ca­na, cu­ja de­ci­são co­me­ça nes­ta qu­ar­ta-fei­ra na Ar­gen­ti­na.

A mai­or pre­o­cu­pa­ção de Ney Fran­co é evi­tar que cli­ma de oti­mis­mo que to­mou con­ta do gru­po se trans­for­me em eu­fo­ria exa­ge­ra­da e ti­re o fo­co jus­ta­men­te no mo­men­to de de­ci­são. O trei­na­dor já te­ve uma con­ver­sa pre­li­mi­nar com os jo­ga­do­res pa­ra evi­tar o ex­ces­so de con­fi­an­ça e aler­tou que os ri­vais vi­rão mo­ti­va­dos pa­ra ten­tar de­fi­nir a clas­si­fi­ca­ção lo­go no pri­mei­ro jo­go.

Até por is­so nin­guém se ar­ris­ca a di­zer que o São Pau­lo é fa- “De na­da adi­an­ta achar­mos que a coi­sa es­tá ga­nha e não dar­mos con­ta em cam­po” vo­ri­to pa­ra a con­quis­ta, que se­rá iné­di­ta. “Con­ver­sa­mos mui­to e is­so é tra­ta­do. O Ro­gé­rio (Ce­ni) e o Ney con­ver­sam mui­to com a gen­te, pe­dem cal­ma e pa­ra pen­sar­mos nos dois jo­gos que fal­tam por­que não ga­nha­mos na­da. De na­da adi­an­ta achar­mos que a coi­sa es­tá ga­nha e não dar­mos con­ta em cam­po”, ex­pli­cou o za­guei­ro Rho­dol­fo.

Ca­be ao ca­pi­tão, ca­le­ja­do por inú­me­ras de­ci­sões na car­rei­ra, dar os con­se­lhos mais pre­ci­o­sos. Ro­gé­rio Ce­ni tem ti­do pa­pel fun­da­men­tal pa­ra mol­dar um gru­po jo­vem a en­car­nar o es­pí­ri­to de de­ci­são. O go­lei­ro tem usa­do os lon­gos pe­río­dos de con­cen­tra­ção da equi­pe pa­ra con­ver­sar com os mais jo­vens e pas­sar a tran­qui­li­da­de ne­ces­sá­ria pa­ra a fi­nal.

Os cui­da­dos são re­do­bra­dos quan­do o as­sun­to é a fal­ta de tra­di­ção do Ti­gre, que pas­sou 20 anos na Sé­rie B ar­gen­ti­na e tem co­mo con­quis­tas de mai­or ex­pres­são seis tí­tu­los da di­vi­são de aces­so. O man­tra en­to­a­do por Ney Fran­co e re­pe­ti­do à exaus­tão pe­los jo­ga­do­res é que o ad­ver­sá­rio tem qua­li­da­de e pre­ci­sa ser res­pei­ta­do. “Não ve­jo que se­ja­mos su­pe­ri­o­res. São jo­ga­do­res ex­pe­ri­en­tes, a mé­dia de ida­de de­les é de 29 anos e for­mam um ti­me al­to, de mé­dia de 1,85m, e sa­bem ex­plo­rar is­so. Eles fo­ram pa­ra Bo- go­tá e eli­mi­na­ram o Mil­lo­na­ri­os, te­mos que en­ca­rar es­ses nú­me­ros”, aler­tou o téc­ni­co.

Ner­vo­sis­mo

Ou­tro pon­to que pre­o­cu­pa é o ner­vo­sis­mo exa­ge­ra­do di­an­te da pos­si­bi­li­da­de dos jo­ga­do­res caí­rem em uma pos­sí­vel gu­er­ra de ner­vos e en­tra­rem na ca­tim­ba dos ad­ver­sá­ri­os. Ney Fran­co foi cla­ro ao re­pro­var o com­por­ta­men­to de al­guns atle­tas co­mo De­nil­son e Wel­ling­ton, que re­cla­ma­ram de­mais com a ar­bi­tra­gem na par­ti­da con­tra a Uni­ver­si­dad Ca­tó­li­ca e po­de­ri­am até mes­mo ter si­do ex­pul­sos de cam­po.

Wan­der RO­BER­TO/VIPCOMM

Di­an­te dos co­rin­ti­a­nos, na vi­tó­ria de do­min­go, Gan­so co­me­çou a mos­trar o fu­te­bol que de­le se es­pe­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.