Agri­cul­tor dro­ga e es­tu­pra ga­ro­ta

Po­lí­cia diz que ho­mem con­ven­ceu ado­les­cen­te de 15 anos a ir pa­ra um mo­tel e, após dro­gar e em­be­be­dar a ga­ro­ta, ele a es­tu­prou. Me­ni­na diz que co­le­gas a in­cen­ti­va­ram a sair

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Ro­ber­to Sil­va

rsil­va@odi­a­rio.com O agri­cul­tor Sér­gio Apa­re­ci­do Lan­ce Za­nat­ta, 54 anos, foi pre­so na ma­dru­ga­da de on­tem sob a acu­sa­ção de dro­gar e es­tu­prar uma ado­les­cen­te de 15 anos. O ca­so foi des­co­ber­to após a ga­ro­ta pas­sar mal den­tro de um mo­tel e ser le­va­da pe­lo acu­sa­do a uma uni­da­de mé­di­ca, em Sa­ran­di. O agri­cul­tor ad­mi­te ter da­do co­caí­na e be­bi­da al­coó­li­ca à ga­ro­ta, mas ale­ga que a re­la­ção foi con­sen­su­al.

Se­gun­do a Po­lí­cia Ci­vil, o ca­so co­me­çou por vol­ta das 16 ho­ras de ter­ça-fei­ra, depois de o agri­cul­tor, que re­si­de em Ma­ri­al­va (a vin­te quilô­me­tros de Ma­rin­gá), en­con­trar a ga­ro­ta em uma rua de Sa­ran­di e con­ven­cê-la a dar umas vol­tas pe­la ci­da­de. A me­ni­na con­fir­mou que es­ta­va com um gru­po de co­le­gas, per­to de on­de mo­ra, quan­do foi abor­da­da. “Mi­nhas ami­gas me in­cen­ti­va­ram a ir com ele e che­ga­ram a me dar rou­pas e cal­ça­dos pa­ra acom­pa­nhá-lo”, afir­mou.

Em en­tre­vis­ta a O Diá­rio, Za­nat­ta con­tou que cha­mou um tá­xi e se­guiu com a ga­ro­ta pa­ra Ma­ri­al­va, on­de re­si­de. Após um pas­seio pe­la ci­da­de, ele com­prou R$ 50 em co­caí­na de um tra­fi­can­te e, com a aju­da de um ami­go, que es­ta­va de car­ro, se­guiu com a ado­les­cen­te pa­ra um mo­tel lo­ca­li­za­do à mar­gem da BR-376, em Ma­ri­al­va. A ver­são foi con­tes­ta­da pe­la me­ni­na, que diz ter si­do le­va­da de tá­xi ao mo­tel.

Já no in­te­ri­or de uma suí­te, Za­nat­ta dis­se ter ofe­re­ci­do co­caí­na, cham­pag­ne e ener­gé­ti­co à ga­ro­ta. “Ela não que­ria chei­rar nem be­ber, mas depois acei­tou nu­ma boa”, dis­se. Ele acres­cen­tou que a ado­les­cen­te co­me­çou a pas­sar mal, quan­do es­ta­va na ba­nhei­ra. “As­sim que ela me­lho­rou, fo­mos pa­ra a ca­ma e man­ti­ve­mos re­la­ção se­xu­al”, con­tou. Co­mo a ga­ro­ta não me­lho­ra­va, ele de­ci­diu aci­o­nar um tá­xi e le­vá-la ao pron­to-so­cor­ro, em Sa­ran­di.

A ado­les­cen­te deu ou­tra ver­são pa­ra o ca­so. À Po­lí­cia Ci­vil, ela nar­rou que co­me­çou a pas­sar mal lo­go após chei­rar a co­caí- “Fui er­ra­do em le­var a ga­ro­ta pa­ra Sa­ran­di. De­ve­ria ter le­va­do pa­ra Ma­ri­al­va, on­de sou mui­to co­nhe­ci­do” na e be­ber cham­pag­ne, além de ou­tra be­bi­da de cor aver­me­lha­da. Ain­da se­gun­do ela, o agri­cul­tor te­ria se apro­vei­ta­do da si­tu­a­ção pa­ra bo­li­ná-la e, em se­gui­da, re­ti­rar as rou­pas de­la e a es­tu­prar. Ela con­cluiu o de­poi­men­to di­zen­do que des­mai­ou após o ato se­xu­al e só se re­cor­da­va de ter acor­da­do na uni­da­de mé­di­ca, em Sa­ran­di, com a mãe, um con­se­lhei­ro tu­te­lar e a Po­lí­cia Mi­li­tar (PM), ao la­do.

A PM re­la­tou que ao che­gar no pos­to mé­di­co, o agri­cul­tor con­tou que a ga­ro­ta era so­bri­nha de­le, mas não sou­be in­for­mar ou­tros de­ta­lhes pes­so­ais. Ao ser pre­so, Za­nat­ta ain­da es­ta­va com cal­ci­nha da ga­ro­ta e um es­ti­mu­lan­te se­xu­al. “Fui er­ra­do em le­var ela (sic) pa­ra Sa­ran­di. De­ve­ria ter le­va­do pa­ra Ma­ri­al­va, on­de sou co­nhe­ci­do”, la­men­tou, du­ran­te a en­tre­vis­ta.

Za­nat­ta con­fi­den­ci­ou ser usuá­rio de crack há mais de dez anos e re­co­nhe­ceu que a dro­ga o fez per­der tudo na vi­da, in­clu­si­ve, a se­gun­da es­po­sa, da qual se se­pa­rou há cer­ca de cin­co me­ses. “Te­nho 13 fi­lhos, com seis mu­lhe­res, mas mi­nha fa­mí­lia não me aju­da em na­da, só me fer­ra”, re­cla­mou. Qu­es­ti­o­na­do so­bre co­mo vai se de­fen­der da acu­sa­ção de es­tu­pro, foi su­cin­to: “Se ela diz que foi es­tu­pro, vou­fa­ze­roquê?”

Ricardo Lo­pes

Sér­gio Apa­re­ci­do Za­nat­ta diz que a dro­ga o fez per­der tudo na vi­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.