Mo­to­ris­tas re­cla­mam da fal­ta de es­ta­ci­o­na­men­to

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Renato Oli­vei­ra

re­na­to­o­li­vei­ra@odi­a­rio.com A cri­a­ção de 460 va­gas de es­ta­ci­o­na­men­to no No­vo Cen­tro, nes­te ano, foi in­su­fi­ci­en­te pa­ra so­lu­ci­o­nar o pro­ble­ma. Os mo­to­ris­tas ain­da en­fren­tam di­fi­cul­da­de pa­ra en­con­trar um lo­cal pa­ra dei­xar o veí­cu­lo no Cen­tro da ci­da­de. Além do ex­ces­so de au­to­mó­veis que cir­cu­lam pe­la área, há a con­cor­rên­cia de co­nes e fi­tas plás­ti­cas, que de­li­mi­tam tre­chos re­ser­va­dos pa­ra o ir e vir de ca­mi­nhões que trans­por­tam ma­te­ri­ais de cons­tru­ção pa­ra as obras na re­gião.

Na Ave­ni­da Ho­rá­cio Ra­ca­nel­lo Fi­lho, pró­xi­mo a uma lo­ja de de­par­ta­men­tos, é co­mum en­con­trar con­du­to­res de car­ros dis­pu­tan­do as pou­cas va­gas que, des­de as pri­mei­ras ho­ras da ma­nhã, já es­tão ocu­pa­das. Na vi­zi­nhan­ça, há pe­lo me­nos dois pré­di­os em cons­tru­ção.

On­tem, a mes­tran­da de Far­má­cia da Uni­ver­si­da­de Es­ta­du­al de Ma­rin­gá (UEM), Fabiana Me­di­na, pre­ci­sou dar al­gu­mas vol­tas no quar­tei­rão até con­se­guir achar uma va­ga per­to da es­qui­na das ave­ni­das Ho­rá­cio Ra­ca­nel­lo e São Pau­lo. “Es­tá com­pli­ca­do. A mar­ca­ção das obras ocu­pa mui­to es­pa­ço. Não po­de­ria ser um pou­co me­nor? É ra­ro achar va­ga. Ho­je, eu ti­ve sor­te ho­je. Na mai­o­ria das ve­zes, eu pa­go es­ta­ci­o­na­men­to”, des­ta­ca.

O con­sul­tor fi­nan­cei­ro, Ade­mir de Mendonça Ca­e­ta­no, con­vi­ve, qua­se to­dos os di­as, com o pro­ble­ma. Ele ques­ti­o­na o fa­to de os co­nes de­li­mi­ta­rem áre­as, “que não se­rão uti­li­za­das o dia to­do”. “Re­co­nhe­ço que a obra não po­de pa­rar, mas de­ve­ria ha­ver um cri­té­rio mais ló­gi­co pa­ra os es­pa­ços de­fron­te às cons­tru­ções”, su­ge­re.

Au­to­ri­za­ção

O se­cre­tá­rio de Trans­por­tes (Se­tran), Val­dir Pig­na­ta, ex­pli­ca que ca­da cons­tru­to­ra en­ca­mi­nha um ofí­cio ao Mu­ni­cí­pio, on­de so­li­ci­ta a re­ser­va de es­pa­ço na fren­te da obra (ge­ral­men­te, de vin­te me­tros) pa­ra que pos­sa re­a­li­zar car­ga e des­car­ga de ma­te­ri­al de cons­tru­ção. O pra­zo de va­li­da­de da au­to­ri­za­ção é de seis me­ses, po­den­do ser re­no­va­do de acor­do com a ne­ces­si­da­de da obra.

“A au­to­ri­za­ção va­le pa­ra o pe­río­do diur­no. Após as 18 ho­ras, os co­nes e ca­va­le­tes de­vem ser re­ti­ra­dos pe­la em­pre­sa res­pon­sá­vel pe­la cons­tru­ção”, res­sal­ta.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.