STF man­tém pe­na dos con­de­na­dos do men­sa­lão

Dis­cus­são so­bre a al­te­ra­ção con­su­miu to­da a ses­são de on­tem e adi­ou a de­fi­ni­çao so­bre se os de­pu­ta­dos fe­de­rais per­de­rão ou não os man­da­tos au­to­ma­ti­ca­men­te

O Diario do Norte do Parana - - GERAL - Agên­cia Es­ta­do

re­ca­dao@odi­a­rio.com A mai­o­ria dos mi­nis­tros do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF) des­car­tou on­tem uma pro­pos­ta do mi­nis­tro Mar­co Au­ré­lio Mel­lo de re­du­zir as pe­nas de 16 dos 25 con­de­na­dos no pro­ces­so do men­sa­lão. O co­le­gi­a­do de­ci­diu não ser pos­sí­vel uni­fi­car em ape­nas um cri­me as pe­nas dos seis de­li­tos a que os réus fo­ram con­si­de­ra­dos cul­pa­dos ao lon­go dos qua­se qua­tro me­ses de jul­ga­men­to. A dis­cus­são da ma­té­ria, que tam­bém foi le­van­ta­da por ad­vo­ga­dos de con­de­na­dos no pro­ces­so, con­su­miu to­da a ses­são de on­tem, adi­an­do uma de­fi­ni­ção im­por­tan­te do jul­ga­men­to: os de­pu­ta­dos fe- de­rais de­ve­rão per­der ou não os man­da­tos au­to­ma­ti­ca­men­te.

No iní­cio da ses­são, o pre­si­den­te da Cor­te e re­la­tor do men­sa­lão, Jo­a­quim Bar­bo­sa, che­gou a afir­mar que apre­sen­ta­ria uma pro­pos­ta so­bre a even­tu­al cas­sa­ção de qu­em têm man­da­to ele­ti­vo. Con­tu­do, o mi­nis­tro Mar­co Au­ré­lio Mel­lo pe­diu pa­ra que o tri­bu­nal apre­ci­as­se an­tes a su­ges- tão de­le so­bre a cha­ma­da con­ti­nui­da­de de­li­ti­va dos cri­mes.

Com o aval do ple­ná­rio, o mi­nis­tro propôs re­du­zir em qua­se 30 anos a pe­na de pri­são pa­ra o em­pre­sá­rio Mar­cos Va­lé­rio, o ope­ra­dor do men­sa­lão. Pe­la pro­pos­ta, ela pas­sa­ria de 40 anos, 4 me­ses e 6 di­as de pri­são pa­ra 10 anos e 10 me­ses de pri­são - pe­na idên­ti­ca à do ex-mi­nis­tro da Ca­sa Ci­vil, José Dir­ceu, o prin­ci­pal réu do pro­ces­so. Mar­co Au­ré­lio clas­si­fi­cou a pu­ni­ção im­pos­ta a Va­lé­rio co­mo “es­tra­tos­fé­ri­ca”. “Não é pos­sí­vel con­si­de­rar con­tí­nu­as as ações dos con­de­na­dos. Ca­da cri­me te­ve um con­tex­to e exe­cu­ção pró­pri­os” “O men­tor da qua­dri­lha, José Dir­ceu, foi con­de­na­do a 10 anos, en­quan­to Mar­cos Va­lé­rio, seu ins­tru­men­to, a 40 anos”, cri­ti­cou.

A pro­pos­ta de Mar­co Au­ré­lio tem por ba­se o se­guin­te prin­cí­pio. Os cri­mes de cor­rup­ção pas­si­va e ati­va, la­va­gem de di­nhei­ro, pe­cu­la­to, eva­são de di­vi­sas e ges­tão frau­du­len­ta ti­nham um úni­co ob­je­ti­vo, per­pe­tu­ar o es­que­ma cri­mi­no­so de com­pra de apoio po­lí­ti­co do Con­gres­so mon­ta­do pe­lo PT du­ran­te os três pri­mei­ros anos do go­ver­no Lu­la. Pa­ra o mi­nis­tro, ape­nas o cri­me de for­ma­ção de qua­dri­lha, que tem uma ca­rac­te­rís­ti­ca ju­rí­di­ca di­fe­ren­te das an­te­ri­o­res, is­to é, a per­tur­ba­ção da or­dem pú­bli­ca, não po­de­ria ser uni­fi­ca­do.

Foi com ba­se nes­se ra­ci­o­cí­nio que Mar­co Au­ré­lio propôs a re­du­ção sig­ni­fi­ca­ti­va das pe­nas dos réus, va­len­do-se da con­ti­nui­da­de de­li­ti­va. A nor­ma es­tá pre­vis­ta no Có­di­go Pe­nal.

João Cláudio Fra­go­so

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.