Con­fu­são mar­ca co­me­ço do tra­ba­lho

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM - Car­la Gu­e­des

car­la@odi­a­rio.com A con­fe­rên­cia pú­bli­ca so­bre pla­ne­ja­men­to ur­ba­no foi mar­ca­da por pro­tes­tos. Os par­ti­ci­pan­tes ti­ve­ram 1 ho­ra pa­ra se ins­cre­ver. Uma gran­de fi­la se for­mou na por­ta da Câ­ma­ra e a en­tra­da dos ins­cri­tos só foi per­mi­ti­da às 10h30. Ho­mens e mu­lhe­res ti­ve­ram bol­sas, pas­tas e mo­chi­las re­vis­ta­das. A Guar­da Mu­ni­ci­pal mon­tou um es­que­ma com ao me­nos 15 agen­tes.

As­sim que to­dos ti­ve­ram aces­so ao ple­ná­rio, ca­da gru­po de re- pre­sen­tan­tes ini­ci­ou a es­co­lha dos de­le­ga­dos – 40 no to­tal – que te­ri­am di­rei­to ao vo­to.

So­men­te ao meio-dia o pre­si­den­te da con­fe­rên­cia, o se­cre­tá­rio mu­ni­ci­pal Le­o­pol­do Fi­ews­ki, deu iní­cio às ati­vi­da­des e anun­ci­ou que o re­cur­so pro­to­co­la­do pe­la Uni­ver­si­da­de Es­ta­du­al de Ma­rin­gá (UEM) di­as an­tes, pe­din­do a sus­pen­são da con­fe­rên­cia, ha­via si­do ne­ga­do. A no­tí­cia ge­rou gri­ta­ria. Re­pre­sen­tan­tes da uni­ver­si­da­de cla­ma­vam por “ques­tão de or­dem”.

A pa­la­vra foi con­ce­di­da à pro­fes­so­ra Ce­le­ne To­ne­la, que re­pre­sen­ta­va a rei­to­ria da uni­ver­si­da­de. “Rei­vin­di­ca­mos a sus­pen­são da con­fe­rên­cia pa­ra que a UEM con­si­ga se or­ga­ni­zar pa­ra par­ti­ci­par me­lhor. Qu­e­re­mos que is­so se­ja co­lo­ca­do em vo­ta­ção.” Uma en­xur­ra­da de pal­mas e vai­as to­mou con­ta da Câ­ma­ra. Sin­di­ca­tos e mem­bros de mo­vi­men­tos so­ci­ais pe­di­am a vo­ta­ção. Em meio à con­fu­são, o re­gi­men­to in­ter­no co­me­çou a ser li­do pe­lo se­cre­tá­rio in­te­ri­no de Pla­ne­ja­men­to Ur­ba­no, José Vi­cen­te So­cor­ro. As­sim que a lei­tu­ra ter­mi­nou, a ses­são foi in­ter­rom­pi­da pa­ra o al­mo­ço, sem que ne­nhu­ma pro­pos­ta ti­ves­se si­do vo­ta­da.

Du­as das leis que se­ri­am al­te­ra­das fo­ram re­ti­ra­das de pau­ta. Os pe­di­dos par­ti­ram da pre­fei­tu­ra e fo­ram apro­va­dos pe­la co­mis­são pre­pa­ra­tó­ria da con­fe­rên­cia, com­pos­ta por re­pre­sen­tan­tes do Exe­cu­ti­vo, uni­ver­si­da­des, sin­di­ca­tos e as­so­ci­a­ções co­mer­ci­ais e de bair­ro. Em um dos ca­sos, Fi­ews­ki ex­pli­cou que a pre­fei­tu­ra co­me­teu uma “fa­lha” ao não pu­bli­car na internet o ma­pa com as al­te­ra­ções no sis­te­ma viá­rio.

A pro­pos­ta pre­via a in­clu­são de três pon­tos na lei 886/2011: o pro­lon­ga­men­to da Ave­ni­da Car­los Borges pa­ra dar aces­so à Ci­da­de In­dus­tri­al, a trans­po­si­ção da Rua Ta­ba­e­tê e a li­ga­ção da Es­tra­da Ibi­pi­tan­ga. “O ma­pa que ori­en­ta­va as três mu­dan­ças não foi pu­bli­ca­do com 30 di­as de an­te­ce­dên­cia, co­mo man­da o re­gi­men­to”, ex­pli­cou Fi­ews­ki. “Es­sa fa­lha cau­sa pre­juí­zo à trans­pa­rên­cia do pro­ces­so e por is­so pe­di­mos a re­ti­ra­da de pau­ta, que foi apro­va­da pe­la mai­o­ria.” O as­sun­to se­rá dis­cu­ti­do e vo­ta­do em ou­tra con­fe­rên­cia, no ano que vem.

O ou­tro item re­ti­ra­do da pau­ta diz res­pei­to a al­te­ra­ções na lei da ou­tor­ga one­ro­sa. A pro­pos­ta per­mi­ti­ria que os re­cur­sos ob­ti­dos com a ou­tor­ga, ho­je usa­dos ex­clu­si­va­men­te em pro­je­tos de ha­bi­ta­ção de in­te­res­se so­ci­al, tam­bém pas­sas­sem a ser usa­dos pa­ra cri­a­ção de uni­da­des de con­ser­va­ção e pro­te­ção de áre­as de in­te­res­se his­tó­ri­co e cul­tu­ral, por exem­plo. No en­tan­to, des­co­briu-se que es­ta pre­vi­são le­gal es­tá na lei do Pla­no Di­re­tor, que não se­ria dis­cu­ti­da na con­fe­rên­cia. “Hou­ve a des­co­ber­ta des­ta fa­lha téc­ni­ca, e is­to po­de­ria re­pre­sen­tar uma ile­ga­li­da­de. Por pru­dên­cia, con­si­de­ra­mos que se­ria me­lhor re­ti­rar es­te item da pau­ta”, dis­se Fi­ews­ki.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.