Pre­sen­te, au­sen­te

Letícia pe­diu uma ces­ta bá­si­ca de pre­sen­te pa­ra o Pa­pai No­el. Ga­nhou, mas fal­tou à au­la em que o re­ce­be­ria. Uma ve­la usa­da no lu­gar da luz, cor­ta­da, in­cen­di­ou a ca­sa

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Ivy Val­sec­chi

ivy­val­sec­chi@odi­a­rio.com “Foi tudo por cau­sa de uma sim­ples ve­li­nha.”

Letícia Apa­re­ci­da Evan­ge­lis­ta, 11 anos, ex­pli­cou des­sa for­ma o que acon­te­ceu com a ca­sa on­de mo­ra­va com a mãe e a ir­mã, des­truí­da por um in­cên­dio na ma­dru­ga­da de on­tem. A ve­la fa­zia as ve­zes de luz, já que a ener­gia ha­via si­do cor­ta­da.

En­tre as mais de 4 mil car­tas en­vi­a­das à cam­pa­nha Pa­pai No­el dos Cor­rei­os des­te ano, a de Letícia cha­mou a aten­ção por pe­dir uma ces­ta bá­si­ca e dois ca­der­nos. A me­ni­na, alu­na da es­co­la con­tem­pla­da com o pri­mei­ro lo­te de pre­sen­tes do pro­je­to, te­ve o pe­di­do aten­di­do. O aci­den­te a im­pe­diu, no en­tan­to, de par­ti­ci­par da fes­ta. “Tam­bém ga­nhei uma bo­ne­ca e fi­quei mui­to con­ten­te”, pô­de di­zer so­men­te no co­me­ço da tar­de, ao re­ce­ber os pre­sen­tes.

O pe­di­do pe­la ces­ta bá­si­ca tam­bém tem ex­pli­ca­ção sim­ples. Letícia que­ria aju­dar a mãe a eco­no­mi­zar e, as­sim, pagar a con­ta de luz, que já ha­via si­do cor­ta­da uma vez, há 3 me­ses. “Fi­quei co­mo­vi­da com o pe­di­do de­la, já que nor­mal­men­te as cri­an­ças pe­dem brin­que­dos. A ces­ta bá­si­ca veio em óti­ma ho­ra e vai nos aju­dar por 15 di­as”, dis­se a mãe, Adri­a­na Alexandre da Sil­va.

Adri­a­na, Letícia e a ir­mã, Ana Cláu­dia, 14 anos, mo­ra­vam há 7 me­ses em uma ca­sa de ma­dei­ra na Rua Colôm­bia, no Jar­dim Al­vo­ra­da. O pai das me­ni­nas morreu em um aci­den­te há 10 anos. “Re­ce­bo o pa­ga­men­to no fim de tar­de, e iria pagar a con­ta. Mas saí tar­de do tra­ba­lho e não deu tem­po. Mi­nha fi­lha mais ve­lha che­gou em ca­sa às 14h e já es­ta­va sem luz, en­tão ela com­prou ve­las.” Adri­a­na con­ta que vol­tou pa­ra ca­sa por vol­ta das 21h, mas saiu no­va­men­te às 23h30 pa­ra re­ce­ber ou­tro pa­ga­men­to. Quan­do vol­tou, o lu­gar já ha­via si­do to­ma­do pe­lo fo­go. “Os bom­bei­ros vi­e­ram, mas não deu pa­ra sal­var na­da.”

Depois do in­cên­dio, os pou­cos mó­veis fo­ram des­truí­dos. As rou­pas se per­de­ram. Os R$ 580 que Adri­a­na guar­da­va tam­bém vi­ra­ram cin­zas. “Mi­nha ir­mã es­ta­va co­chi­lan­do no so­fá, a cor­ti­na ba­teu na ve­la, que caiu e es­pa­lhou o fo­go”, con­tou Letícia, que es­ta­va na ca­sa da tia na ho­ra do aci­den­te. Ana Cláu­dia não se ma­chu­cou.

Era a pri­mei­ra vez que a fa­mí­lia con­se­guia ter o pró­prio es­pa­ço, pois Adri­a­na, que ga­nha a vi­da fa­zen­do fa­xi­nas de fi­nal de obra e, em me­ses em que tra­ba­lha to­dos os di­as, re­ce­be no má­xi­mo R$ 900, con­se­guiu jun­tar di­nhei­ro pa­ra sair da ca­sa da ir­mã – pa­ra on­de ago­ra de­ve vol­tar.

O va­lor do alu­guel da ca­sa des­truí­da era de R$ 250. “Vi­ve­mos com di­fi­cul­da­de e vai de­mo­rar até com­prar tudo de no­vo. No Na­tal, aju­da­mos a fa­mí­lia a com­prar coi­sas pa­ra a ceia. Es­te ano não vai dar. Mas o im­por­tan­te é que nin­guém se ma­chu­cou”.

Ra­fa­el Sil­va

Letícia em fren­te da ca­sa on­de mo­ra­va com a mãe e a ir­mã; ces­ta bá­si­ca e ca­der­nos a dei­xa­ram fe­liz

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.