Mo­ti­va­ções jor­na­lís­ti­cas

O Diario do Norte do Parana - - O DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ -

A im­pu­ni­da­de no Bra­sil, con­ver­sas em uma noi­te per­di­da num bo­te­co, as lem­bran­ças de uma par­ti­da de fu­te­bol his­tó­ri­ca em Ma­rin­gá e o re­tra­to do que es­ta­va pres­tes a vi­rar pó. Es­sas fo­ram al­gu­mas das mo­ti­va­ções que le­va­ram aos cri­a­ti­vos ven­ce­do­res do prê­mio No­vos Ta­len­tos do Jor­na­lis­mo Ma­rin­ga­en­se a se sen­ta­rem em fren­te ao PC pa­ra dis­cor­rer pa­rá­gra­fos em bons tex­tos ou en­tão ter di­re­ci­o­na­do o olhar pa­ra al­go que pu­des­se ren­der uma be­la fo­to­gra­fia.

Pa­ra fa­zer sua en­tre­vis­ta pre­mi­a­da, Jo­el Sil­va se re­cor­dou da­que­le epi­só­dio me­mo­rá­vel en­vol­ven­do o Sport Clube Co­rinthi­ans Pau­lis­ta e o Ci­a­nor­te Fu­te­bol Clube. Em 2005, o ti­me da se­gun­da mai­or tor­ci­da do Bra­sil jo­gou no Es­tá­dio Wil­lie Da­vids e to­mou um atí­pi­co 3x0 do mo­des­to ti­me ape­li­da­do de Leão do Va­le. Uma se­ma­na depois, es­tra­nha­men­te o ti­me de Ci­a­nor­te so­freu um re­vés de 5x1 no Pa­ca­em­bu e foi sa­cra­men­ta­do por mui­tos co­mo sen­do uma equi­pe ven­di­da. Na­da me­lhor, pen­sou Sil­va, do que en­tre­vis­tar o go­lei­ro que dei­xou cin­co bo­las co­rin­tia- nas en­tra­rem. A en­tre­vis­ta com Adir Kist, ho­je di­ri­gen­te do Ci­a­nor­te, ren­deu um óti­mo tex­to e a pre­mi­a­ção do es­tu­dan­te. “Es­pe­ro que es­te prê­mio pos­sa ser o pri­mei­ro de mui­tos”, diz Sil­va, ci­tan­do sua con­quis­ta.

Após es­tres­ses ha­bi­tu­ais na fa­cul­da­de, na­da co­mo pas­sar al­gu­mas ho­ras da ma­dru­ga­da em um tra­di­ci­o­nal bar ma­rin­ga­en­se. Ale­gri­as e tris­te­zas em uma noi­te qual­quer, num bo­te­co qual­quer, ren­deu a sa­bo­ro­sa crô­ni­ca da es­tu­dan­te An­dreia Mel­le­ro, 25, cam­peã na ca­te­go­ria. “Mi­nha re­la­ção com a crô­ni­ca é de to­tal afi­ni­da­de. Gos­to de es­cre­ver o que pen­so, o que sin­to e o que es­pe­ro das pes­so­as. Is­so eu con­si­go fa­zer atra­vés da crô­ni­ca”, diz ela. “Es­se prê­mio é mui­to im­por­tan­te por­que é o pri­mei­ro que eu ga­nho co­mo es­tu­dan­te de Jor­na­lis­mo; é o es­to­pim que vai re­fle­tir em to­das as con­quis­tas que ain­da vou ter”, fi­na­li­za.

Pa­ra a es­tu­dan­te de Jor­na­lis­mo Iasmyn Ca­le­ga­ri, 20, o fo­tó­gra­fo não po­de pen­sar mui­to an­tes de fa­zer a fo­to. Mais do que is­so, é pre­ci­so sor­te pa­ra es­tar na ho­ra e no lo­cal cer­to da ima­gem ide­al. Foi is­so o que acon­te- ceu com ela no dia em que de­mo­li­ram a cha­ma­da Ro­do­viá­ria Ve­lha de Ma­rin­gá. Seu olhar, tra­du­zi­do em fo­to­gra­fia jor­na­lís­ti­ca do lo­cal que es­ta­va sen­do der­ru­ba­do, ren­deu-lhe o pri­mei­ro lu­gar no prê­mio do Diá­rio. “É im­por­tan­te a gen­te ter um prê­mio des­se no cur­rí­cu­lo e é ba­ca­na co­nhe­cer tra­ba­lhos dos ou­tros co­le­gas das du­as fa­cul­da­des.”

A le­gis­la­ção fa­lha e os ab­sur­dos acon­te­ci­dos no Bra­sil en­vol­ven­do o meio am­bi­en­te re­vol­ta­ram a es­tu­dan­te Taís Na­ka­ku­ra, 19. Ela des­con­tou sua rai­va em um lú­ci­do ar­ti­go de opi­nião que aca­bou sen­do con­si­de­ra­do o me­lhor na ca­te­go­ria do con­cur­so do jor­nal. “O gran­de de­sa­fio do ar­ti­go é sa­ber do­sar a opi­nião e a in­for­ma­ção; o jornalista de­ve ter ob­je­ti­vi­da­de mes­mo nos tex­tos opi­na­ti­vos. O prê­mio é im­por­tan­te por­que é a opi­nião de pro­fis­si­o­nais so­bre o seu tex­to”, con­si­de­ra. Mariana Oli­vei­ra, a es­tu­dan­te que ven­ceu na ca­te­go­ria “Me­lhor Re­por­ta­gem”, não pô­de com­pa­re­cer à pre­mi­a­ção e foi re­pre­sen­ta­da por sua pro­fes­so­ra, Val­de­te da Gra­ça.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.