Se­tran aguar­da Con­tor­no pa­ra re­as­su­mir a Co­lom­bo

Sem acor­do com a Po­lí­cia Ro­do­viá­ria Fe­de­ral pa­ra a ins­ta­la­ção dos ra­da­res fi­xos, Se­tran só vol­ta­rá a con­tro­lar ve­lo­ci­da­de no lo­cal quan­do Con­tor­no Nor­te es­ti­ver con­cluí­do

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Ivy Val­sec­chi

ivy­val­sec­chi@odi­a­rio.com A con­clu­são e li­be­ra­ção do trá­fe­go do Con­tor­no Nor­te em Ma­rin­gá – pre­vis­ta pa­ra o fi­nal de 2013po­de­rá de­vol­ver ao mu­ni­cí­pio o poder de fis­ca­li­za­ção da Ave­ni­da Co­lom­bo (tre­cho ur­ba­no da BR-376). A Se­cre­ta­ria dos Trans­por­tes (Se­tran) dei­xou de ser res­pon­sá­vel pe­la via em maio de 2009, quan­do a res­pon­sa­bi­li­da­de pas­sou pa­ra a Po­lí­cia Ro­do­viá­ria Fe­de­ral (PRF), por meio de de­ci­são ju­di­ci­al. Des­de en­tão, a in­ter­fe­rên­cia da Se­tran diz res­pei­to à ma­nu­ten­ção dos se­má­fo­ros, ou em even­tos, quan­do agen­tes de trân­si­to e gu­ar­das mu­ni­ci­pais são dis­po­ni­bi­li­za­dos pa­ra con­tro­le de trá­fe­go.

Se­gun­do o di­re­tor de trân­si­to da Se­tran, Gil­ber­to Pur­pur, em 2009 ti­ve­ram iní­cio as ne­go­ci­a­ções com a PRF, pa­ra que a pre­fei­tu­ra re­to­mas­se a fis­ca­li­za­ção do tre­cho. “A pro­pos­ta da PRF foi de que o mu­ni­cí­pio tra­ba­lhas­se com o sis­te­ma de fis­ca­li­za­ção ele­trô­ni­ca (ra­da­res), mas os agen­tes de trân­si­to não po­de­ri­am atu­ar. A pro­pos­ta foi re­cu­sa­da, pois os agen­tes têm par­ti­ci­pa­ção im­por­tan­te na fis­ca­li­za­ção”.

Com a pos­si­bi­li­da­de de um con­vê­nio en­ga­ve­ta­da, te­ve iní­cio uma ne­go­ci­a­ção da ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal com o De­par­ta­men­to Na­ci­o­nal de In­fra­es­tru­tu­ra de Trans­por­tes (Dnit), pa­ra que a BR-376 si­ga pe­lo Con­tor­no Nor­te e a Ave­ni­da Co­lom­bo fi­que sob res­pon­sa­bi­li­da­de do mu­ni­cí­pio. “Depois que o Con­tor­no es­ti­ver pron­to, o tre­cho da Co­lom­bo po­de­ria ser do­a­do ao mu­ni­cí­pio. Não há na­da for­ma­li­za­do, mas o ob­je­ti­vo é que tudo es­te­ja acor­da­do an­tes da con­clu­são do Con­tor­no”.

Pur­pur pon­tua que o tra­ba­lho fei­to pe­la PRF no tre­cho da Co- lom­bo é sa­tis­fa­tó­rio. “O pro­ble­ma é que, com a mu­dan­ça do ór­gão res­pon­sá­vel pe­la fis­ca­li­za­ção, obri­ga­to­ri­a­men­te o sis­te­ma de fis­ca­li­za­ção ele­trô­ni­ca te­ve que ser re­ti­ra­do, e era al­go que da­va óti­mos re­sul­ta­dos. Além dis­so a PRF tem um efe­ti­vo pe­que­no. Pa­ra eles, é di­fí­cil fis­ca­li­zar a Ave­ni­da Co­lom­bo, pois são mui­to quilô­me­tros de ro­do­via pa­ra cui- dar. A re­to­ma­da do mu­ni­cí­pio fren­te à fis­ca­li­za­ção se­rá uma ne­ces­si­da­de com a con­clu­são do Con­tor­no Nor­te, se­não a PRF te­rá que fis­ca­li­zar o Con­tor­no e o tre­cho ur­ba­no da Co­lom­bo”. Se a in­ten­ção de re­to­mar a fis­ca­li­za­ção for bem su­ce­di­da, a Pre­fei­tu­ra irá rei­ni­ci­ar o tra­ba­lho com os ra­da­res fi­xos e câ­ma­ras de avan­ço de si­nal nos se­má­fo­ros, além de tra- ba­lhar tam­bém com ra­da­res mó­veis. Ca­so a mu­dan­ça se­ja con­cre­ti­za­da, o em­pre­sá­rio An­der­son Luiz de Pau­la Santos se­rá be­ne­fi­ci­a­do. Ele tem um co­mér­cio na Ave­ni­da Co­lom­bo há 30 anos e es­tá in­sa­tis­fei­to com a fis­ca­li­za­ção atu­al. “O ex­ces­so de ve­lo­ci­da­de é ab­sur­do. Meu avô morreu atro­pe­la­do nes­sa ave­ni­da”, cri­ti­ca.

Ricardo Lo­pes

PRF as­su­miu a fis­ca­li­za­ção da Ave­ni­da Co­lom­bo em 2009; des­de en­tão, con­tro­le é só com ra­dar mó­vel

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.