Or­ça­men­to pre­vê sa­lá­rio mí­ni­mo de R$ 674,96

Va­lor te­ve que ser al­te­ra­do, por cau­sa de uma no­va es­ti­ma­ti­va de in­fla­ção. Re­la­tó­rio foi ela­bo­ra­do com a pre­vi­são de cres­ci­men­to de 4,5% do Pro­du­to In­ter­no Bru­to

O Diario do Norte do Parana - - ECONOMIA - De­ni­se Ma­du­eño

O sa­lá­rio mí­ni­mo a vi­go­rar em 2013 de­ve­rá ser fi­xa­do em R$ 674,96, de acor­do com o re­la­tó­rio fi­nal en­tre­gue on­tem, na Co­mis­são Mis­ta de Or­ça­men­to pe­lo re­la­tor ge­ral do pro­je­to, se­na­dor Ro­me­ro Ju­cá (PMDB-RR). Ju­cá afir­mou que pre­ci­sou al­te­rar a pro­pos­ta en­ca­mi­nha­da pe­lo go­ver­no de R$ 670,95 pa­ra ade­quar o va­lor à lei atu­al que de­ter­mi­na o cál­cu­lo do re­a­jus­te do mí­ni­mo pe­lo cres­ci­men­to do PIB de dois anos an­te­ri­o­res mais a in­fla­ção me­di­da pe­lo Ín­di­ce Na­ci­o­nal de Pre­ços ao Con­su­mi­dor (INPC).

O se­na­dor ex­pli­cou que hou­ve uma no­va es­ti­ma­ti­va de in­fla­ção e que es­sa di­fe­ren­ça de va­lor sig­ni­fi­ca­rá R$ 1,36 bi­lhão a mais de gas­tos. O re­la­tor man­te­ve no pa­re­cer de­le o au­men­to sa­la­ri­al de 5%, em 2013, pa­ra as car­rei­ras do funcionalismo pú­bli­co que ne­go­ci­a­ram re­a­jus­tes com o go­ver­no. Ju­cá afir­mou que, em­bo­ra os fun­ci­o­ná­ri­os do Poder Ju­di­ciá­rio in­sis­tis­sem em au­men­tos mai­o­res, não há es­pa­ço fis­cal pa­ra is­so.

O pre­si­den­te da Co­mis­são Mis­ta de Or­ça­men­to, de­pu­ta­do Pau­lo Pi­men­ta (PT-RS), pre­vê a vo­ta­ção do pro­je­to no ple­ná­rio do Con­gres­so - quan­do a Câ­ma­ra e o Se­na­do se reú­nem con­jun­ta­men­te - ama­nhã, em ses­são às 12 ho­ras. Ho­je, haverá reu­nião da co­mis­são, às 14h30, pa­ra vo­tar o re­la­tó­rio de Ju­cá.

O re­la­tor afir­mou que des­ti­nou no pa­re­cer de­le R$ 3,9 bi­lhões pa­ra a Lei Kan­dir, usa­da pa­ra com­pen­sar os Es­ta­dos que per­dem com a de­so­ne­ra­ção do Im­pos­to so­bre Ope­ra­ções re­la­ti­vas à Cir­cu­la­ção de Mer­ca­do­ri­as e so­bre Pres­ta­ções de Ser­vi­ços (ICMS) nas ex­por­ta­ções. Ele afir­mou ain­da que tra­ba­lhou na ela­bo­ra­ção do re­la­tó­rio com a pre­vi­são de cres­ci­men­to­de4,5% no­pró­xi­mo­a­no.

Vo­ta­ção

Com a im­pos­si­bi­li­da­de cons­ti­tu­ci­o­nal de obri­gar o go­ver­no a cum­prir o Or­ça­men­to da União apro­va­do pe­lo Con­gres­so, o re­la­tor in­cluiu um dis­po­si­ti­vo no re­la­tó­rio, proi­bin­do o go­ver­no de usar o di­nhei­ro des­ti­na­do pe­los par­la­men­ta­res a obras em Es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os - me­ca­nis­mo co­nhe­ci­do por emen­das par­la­men­ta­res - com ou­tras des­pe­sas. O go­ver­no não se­rá obri­ga­do a gas­tar os re­cur­sos das emen­das, co­mo gos­ta­ri­am os de­pu­ta­dos e os senadores, mas tam­bém não po­de­rá gas­tar o mon­tan­te em al­gum re­ma­ne­ja­men­to or­ça­men­tá­rio.

“Não há obri­ga­ção de li­be­rar o di­nhei­ro das emen­das, mas o go­ver­no es­ta­rá proi­bi­do de usar pa­ra ou­tras coi­sas. Es­se re­cur­so aca­ba­rá sen­do usa­do pa­ra o go­ver­no fa­zer su­pe­rá­vit”, afir­mou Pau­lo Pi­men­ta. As emen­das in­di­vi­du­ais so­mam em tor­no de R$ 9 bi­lhões, em 2013. His­to­ri­ca­men­te, o go­ver­no cor­ta emen­das e exe­cu­ta em tor­no de um ter­ço do va­lor apro­va­do na pro­pos­ta or­ça­men­tá­ria da União.

Pa­ra vo­tar o pro­je­to de Or­ça­men­to nes­ta se­ma­na, a úl­ti­ma do ano dos tra­ba­lhos le­gis­la­ti­vos, o go­ver­no es­tá li­be­ran­do o di­nhei­ro das emen­das apre­sen­ta­das ao Or­ça­men­to des­te ano, em um to­tal de R$ 5 mi­lhões, pe­los de­pu­ta­dos e senadores dos par­ti­dos da opo­si­ção e de R$ 6 mi­lhões por par­la­men­tar da ba­se ali­a­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.