Pro­je­to de lei so­bre pre­sen­ça dos pais nas es­co­las

O Diario do Norte do Parana - - OPINIÃO -

Tra­mi­ta no Se­na­do o Pro­je­to de Lei nº 189/2012, apre­sen­ta­do por Cris­tó­vam Bu­ar­que (PDT-DF), que ins­ti­tui pe­na­li­da­des aos pais ou res­pon­sá­veis le­gais que não com­pa­re­çam pe­ri­o­di­ca­men­te às es­co­las de seus fi­lhos pa­ra acom­pa­nhar o de­sem­pe­nho de­les. Es­se com­pa­re­ci­men­to de­ve ocor­rer pe­lo me­nos uma vez a ca­da 2 me­ses. Pa­ra fins de com­pa­re­ci­men­to en­ten­de-se a par­ti­ci­pa­ção em reu niões ofi­ci­ais de pais e mes­tres ou o diá­lo­go in­di­vi­du­al com os pro­fes­so­res. Os pais que não cum­pri­rem o dis­pos­to e não apre­sen­ta­rem jus­ti­fi­ca­ti­vas em até 30 di­as te­rão que pagar mul­ta de 3% a 10% so­bre o sa­lá­rio-mí­ni­mo e se­rão apli­ca­dos os mes­mos im­pe­di­men­tos de qu­em não jus­ti­fi­cou o vo­to nas elei­ções.

Na jus­ti­fi­ca­ti­va do Pro­je­to de Lei, o se­na­dor che­ga a afir­mar que é mais fá­cil os pais sa­be­rem os no­mes dos jo­ga­do­res e téc­ni­cos dos seus ti­mes de fu­te­bol do que os no­mes dos pro­fes­so­res ou dos di­re­to­res das es­co­las de seus fi­lhos.

Es­sa lei tem co­mo ob­je­ti­vo for­çar a par­ti­ci­pa­ção dos pais na vi­da es­co­lar dos fi­lhos, mas ge­ra­rá bu­ro­cra­cia, pois a pre­sen­ça de­ve­rá ser re­gis­tra­da, e as au­sên­ci­as, jus­ti­fi­ca­das. Aliás, fal­ta ain­da apre­sen­tar no Se­na­do a re­gu­la­men­ta­ção so­bre quais jus­ti­fi­ca­ti­vas se­rão acei­tas co­mo tal. Ca­so o tra­ba­lho fi­gu­re nes­ta lis­ta, é com cer­te­za a is­so que os pais re­cor­re­rão. À es­co­la so­bra­rão mais do­cu­men­tos pa­ra pre­en­chi­men­to.

É mais pro­vá­vel que es­sa es­tra­té­gia ar­ti­fi­ci­al sim­ples­men­te não al­can­ce o re­sul­ta­do pre­ten­di­do. Em vez de es­ti­mu­lar o diá­lo­go en­tre pais e es­co­la co­mo um ato pe­da­gó­gi­co, a lei re­du­zi­rá a ques­tão a uma obri­ga­ção bu­ro­crá­ti­ca. A re­la­ção en­tre fa­mí­lia e es­co­la é um te­ma es­pi­nho­so e de­ve ser tra­ta­do com cui­da­do. É pre­ci­so que a es­co­la sai­ba mui­to bem pa­ra que pre­ci­sa da pre­sen­ça dos pais; ob­vi­a­men­te não de­ve ser pa­ra re­a­li­zar aqui­lo que é a sua fun­ção: en­si­nar os co­nhe­ci­men­tos ci­en­tí­fi­cos e for­mar o ci­da­dão. A pre­sen­ça dos pais na es­co­la é ne­ces­sá­ria pa­ra acom­pa­nhar o de­sem­pe­nho es­co­lar dos fi­lhos e con­tri­buir pa­ra que ele evo­lua de mo­do sa­tis­fa­tó­rio.

A meu ver, es­sa lei não te­rá o poder de al­te­rar o com­por­ta­men­to omis­so dos pais em re­la­ção aos fi­lhos. Aliás, es­sa ne­gli­gên­cia com os fi­lhos re­ve­la que es­sa ge­ra­ção de adul­tos es­tá des­pre­o­cu­pa­da com o pas­sa­do e com o fu­tu­ro, e por is­so não se res­pon­sa­bi­li­za pe­la sua pro­le. A pós-mo­der­ni­da­de, com sua cul­tu­ra de la­ços frou­xos e lí­qui­dos, con­su­mo rá­pi­do de pro­du­tos des­car­tá­veis, ge­ra o con­tex­to fa­vo­rá­vel pa­ra a pro­li­fe­ra­ção des­sa ge­ra­ção de pais que se­rão obri­ga­dos a cum­prir uma lei que es­tá vin­do pa­ra su­prir a au­sên­cia da pre­sen­ça.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.