De­so­ne­ra­ção agra­da em­pre­sá­ri­os da ci­da­de

O Diario do Norte do Parana - - CIDADES - Renato Oli­vei­ra

re­na­to­o­li­vei­ra@odi­a­rio.com Em­pre­sá­ri­os de Ma­rin­gá apro­va­ram a de­so­ne­ra­ção da fo­lha de pa­ga­men­tos do co­mér­cio va­re­jis­ta, pre­vis­ta pa­ra vi­go­rar a par­tir de abril de 2013, e a pror­ro­ga­ção da re­du­ção do Im­pos­to so­bre Pro­du­tos In­dus­tri­a­li­za­dos (IPI) pa­ra au­to­mó­veis, ele­tro­do­més­ti­cos da li­nha bran­ca e mó­veis.

O pre­si­den­te do Con­se­lho de Co­mér­cio e Ser­vi­ços da As­so­ci­a­ção Co­mer­ci­al e Em­pre­sa­ri­al de Ma­rin­gá (Acim), Moha­mad Ali Awa­da So­bri­nho, dis­se que a de­so­ne­ra­ção da fo­lha de pa­ga­men­tos tra­rá re­du­ção de até 10% nos im­pos­tos. “Is­so vai aju­dar a re­com­por a mar­gem de lu­cro, que es­tá mui­to bai­xa”, co­men­tou.

So­bri­nho acre­di­ta que a re­du­ção do IPI dos au­to­mó­veis, mó­veis e li­nha bran­ca fre­ou a re­du­ção da ati­vi­da­de econô­mi­ca. “A me­di­da aju­dou a au­men­tar o con­su­mo. Po­de­ria até se ex­pan- dir pa­ra ou­tros pro­du­tos que ge­ra­ria mais ren­da e em­pre­gos”.

O pre­si­den­te do Sin­di­ca­to do Co­mér­cio Va­re­jis­ta de Ma­rin­gá (Si­va­mar), Ru­bens Abrão, dis­se que as me­di­das vão dar mais fô­le­go pa­ra os co­mer­ci­an­tes e aju­da­rão a as­se­gu­rar cres­ci­men­to do Pro­du­to In­ter­no Bru­to (PIB) em 2013.

No en­tan­to, Abrão res­sal­ta que a de­so­ne­ra­ção da fo­lha de pa­ga­men­to es­tá dei­xan­do va­re­jis­tas re­ce­o­sos. A pro­pos­ta pre­vê que as em­pre­sas vão dei­xar de pagar os 20% de con­tri­bui­ção pa­tro­nal so­bre o sa­lá­rio dos em­pre­gos pa­ra o Instituto Na­ci­o­nal do Se­gu­ro So­ci­al (INSS). O pa­ga­men­to pas­sa­rá a ser de 1% so­bre o fa­tu­ra­men­to bru­to das em­pre­sas.

“De re­pen­te, es­se 1% po­de ser mui­to aci­ma da­qui­lo que o em­pre­sá­rio já pa­ga­va. Nu­ma em­pre­sa de pe­que­no por­te, com cin­co fun­ci­o­ná­ri­os, mas que tem fa­tu­ra­men­to al­to por ven­der pro­du­tos de al­to va­lor agre­ga­do, o efei­to po­de ser in­ver­so”, pon­de­ra. Com as re­du­ções de IPI, o go­ver­no in­cen­ti­va­va o con­su­mo. A me­di­da al­can­çou o ob­je­ti­vo: pri­mei­ro, au­men­tou as ven­das no se­tor de au­to­mó­veis e li­nha bran­ca. Se ele vol­tas­se o IPI, o ce­ná­rio mais pro­vá­vel se­ria de que­da nas ven­das. Pa­ra evi­tar uma es­tag­na­ção, ele man­tém os in­cen­ti­vos fis­cais. Hou­ve mu­dan­ça de fo­co. An­tes in­cen­ti­va­va o con­su­mo, e ago­ra pas­sa a in­cen­ti­var a pro­du­ção, em um se­tor que pu­xa mui­tos ou­tros. Acre­di­to que es­se no­vo fo­co ten­ta in­cen­ti­var a pro­du­ção. Re­du­zir o IPI atin­ge di­re­ta­men­te o con­su­mi­dor. De­so­ne­ran­do a fo­lha ele in­cen­ti­va a pro­du­ção, mes­mo que o fo­co se­ja o co­mér­cio, pois tam­bém ge­ra va­lor adi­ci­o­na­do, que lá na fren­te se trans­for­ma em PIB. Es­se é o fo­co: in­cen­ti­var a pro­du­ção, pa­ra ge­rar mais ren­da e em­pre­gos, o que depois se trans­for­ma em con­su­mo.

É acer­ta­da. A one­ra­ção da fo­lha de pa­ga­men­to é mui­to ele­va­da no Bra­sil. Tal­vez não ha­ja ne­nhum ou­tro país no mun­do que te­nha uma fo­lha tão pe­sa­da. Es­se pro­ces­so te­ria que acon­te­cer mais ce­do ou mais tar­de. Co­mo a eco­no­mia es­tá de­sa­que­ci­da, es­se é um bom mo­men­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.