Go­ver­no ela­bo­ra pla­no de in­cen­ti­vo à pe­cuá­ria

O go­ver­no tam­bém quer um mo­de­lo de es­ta­bi­li­za­ção das re­la­ções con­tra­tu­ais en­tre pe­cu­a­ris­tas e fri­go­rí­fi­cos. A ideia é que se crie uma es­pé­cie de con­se­lho a exem­plo do se­tor de ca­na

O Diario do Norte do Parana - - ECONOMIA - Agên­cia Fo­lha

re­da­cao@odi­a­rio.com No mo­men­to em que o se­tor de car­nes vol­ta a fi­car em evi­dên­cia de­vi­do a pro­ble­mas sa­ni­tá­ri­os, o go­ver­no for­mu­la um pla­no pa­ra a pe­cuá­ria. As me­di­das in­clu­em a cri­a­ção de li­nhas de cré­di­to di­fe­ren­ci­a­das, de um fun­do ga­ran­ti­dor e de um pla­no plu­ri­a­nu­al de in­ves­ti­men­tos.

O ob­je­ti­vo é in­cen­ti­var a re­for­mu­la­ção de pas­ta­gens de­gra­da­das, a ado­ção de no­vas tec­no­lo­gi­as e o pla­ne­ja­men­to fi­nan­cei- ro dos pe­cu­a­ris­tas. “Pre­ci­sa­mos ter po­lí­ti­cas agrí­co­las dis­tin­tas pa­ra ca­da pú­bli­co”, dis­se na quin­ta-fei­ra o mi­nis­tro da Agri­cul­tu­ra, Men­des Ri­bei­ro.

O go­ver­no tam­bém quer um mo­de­lo de es­ta­bi­li­za­ção das re­la­ções con­tra­tu­ais en­tre pe­cu­a­ris­tas e fri­go­rí­fi­cos. A ideia é que se crie uma es­pé­cie de “Con­se­car­ne”, a exem­plo do se­tor de ca­na.

“Não há se­tor que não pre­ci­se de um amor­te­ce­dor”, dis­se o mi­nis­tro, lem­bran­do que os pro­du­to­res de aves e suí­nos mais afetados pe­la al­ta do mi­lho nes­te ano não são in­te­gra­dos com a in­dús­tria.

Va­ca lou­ca

Na área de de­fe­sa agro­pe­cuá­ria, o mi­nis­té­rio tra­ba­lha pa­ra pro- fis­si­o­na­li­zar a ges­tão. Uma das ações se­rá a aber­tu­ra de pro­ces­so se­le­ti­vo, em ja­nei­ro, pa­ra a con­tra­ta­ção de fis­cais agro­pe­cuá­ri­os -o pri­mei­ro em dez anos.

O mi­nis­tro diz tam­bém ter or­ça­men­to apro­va­do pa­ra au­men­tar a ca­pa­ci­da­de dos la­bo­ra­tó­ri­os e pa­ra a con­sul­to­ria pres­ta­da pe­lo co­mi­tê de com­pe­ti­ti­vi­da­de li­de­ra­do pe­lo em­pre­sá­rio Jorge Ger­dau.

Pa­ra evi­tar po­lê­mi­cas co­mo a do epi­só­dio da va­ca lou­ca no Pa­ra­ná, o go­ver­no pre­ten­de exi­gir mais au­to­con­tro­le das em­pre­sas. “Quan­do al­go dá er­ra­do, a cul­pa tam­bém é do em­pre­sá­rio, que fez a coi­sa ina­de­qua­da”, dis­se o se­cre­tá­rio-exe­cu­ti­vo do mi­nis­té­rio, José Car­los Vaz.

Pa­ra o go­ver­no, o ca­so atí­pi­co de va­ca lou­ca foi es­cla­re­ci­do com o mer­ca­do fi­nan­cei­ro, com a po­pu­la­ção, com a mai­o­ria dos im­por­ta­do­res e com a Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al de Saú­de Ani­mal, que de­ve for­ma­li­zar em fe­ve­rei­ro o sta­tus de ris­co in­sig­ni­fi­can­te do Bra­sil pa­ra a do­en­ça.

“Opor­tu­nis­mo”

Al­vos do ex­te­ri­or des­de a iden­ti­fi­ca­ção do agen­te cau­sa­dor da do­en­ça da va­ca lou­ca no Es­ta­do, pro­du­to­res de car­ne bo­vi­na do Pa­ra­ná acu­sam de “opor­tu­nis­mo” os seis paí­ses que fi­ze­ram res­tri­ções ao pro­du­to e te­mem no­va “fal­sa fe­bre af­to­sa de 2005”.

“É pa­re­ci­do. De no­vo, uma no­tí­cia ruim”, diz o pre­si­den­te da So­ci­e­da­de Rural do Pa­ra­ná, Mo­a­cir Sga­ri­o­ni. O alar­de com a af­to­sa le­vou o ex­te­ri­or a blo­que­ar a car­ne pa­ra­na­en­se, o que cau­sou um pre­juí­zo bi­li­o­ná­rio ao Es­ta­do -R$ 1,2 bi­lhão, se­gun­do o Sin­di­ca­to da In­dús­tria de Car­nes).

O epi­só­dio aba­lou ain­da os pro­du­to­res. De­vi­do à sus­pei­ta, mui­tos sa­cri­fi­ca­ram seus bois. Depois, pro­ces­sa­ram a União por da­nos mo­rais.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.