ROCK

O Diario do Norte do Parana - - O DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ -

De­to­nau­tas

ama­nhã Out Ma­rin­gá

Av. Mar­ce­lo Mes­si­as Bus­si­quia, 151

1° lo­te en­tre R$ 30 (pis­ta meia-en­tra­da) a R$ 618 (me­sa pa­ra seis pes­so­as) TI­CO SAN­TA CRUZ – Nun­ca ti­ve­mos pro­ble­mas de con­teú­do por con­ta das gra­va­do­ras. Elas não ti­nham es­se poder de in­ter­fe­rên­cia em nos­sas es­co­lhas mu­si­cais ou de con­cep­ção de le­tras e re­fe­rên­ci­as. O que in- men­to não ven­de dis­cos. Os jo­vens sem­pre op­tam por bai­xar as mú­si­cas e gra­va­do­ras ven­dem dis­cos. Se não ba­tem os nú­me­ros, não tem co­mo man­ter um ar­tis­ta nes­se sis­te­ma. En­tão, em to­tal com­pre­en­são de am­bas as par­tes, foi de­ci­di­do o fim de nos­so ci­clo nes­te ca­mi­nho e o iní­cio de uma no­va abor­da­gem por par­te da ban­da. Que vem dan­do mui­to cer­to. Te­nho uma bi­bli­o­te­ca mui­to gran­de na mi­nha ca­sa que cons­truí ao lon­go dos úl­ti­mos tem­pos. Re­li to­dos os clás­si­cos que eram obri­ga­tó­ri­os na es­co­la: Ma­cha­do de As­sis, Gui­ma­rães Ro­sa, Ma­nu­el Antônio de Al­mei­da, Drum­mond, en­tre ou­tros au­to­res na­ci­o­nais. Gos­to mui­to do Sa­ra­ma­go. É um au­tor que me in­flu­en­cia mui­to. Leio de tudo, des­de li­vros de fi­lo­so­fia até li­te­ra­tu­ra de au­to­a­ju­da. Ro­man­ce po­li­ci­al, li­vros de sociologia, an­tro­po­lo­gia, ci­ên­ci­as po­lí­ti­cas fi­ze­ram par­te da mi­nha for­ma­ção, pois cur­sei Ci­ên­ci­as So­ci­ais na Uni­ver­si­da­de Fe­de­ral do Rio de Ja­nei­ro (UFRJ). Leio mui­to mais do que es­cu­to mú­si­ca. En­tão dos por ou­tros jo­vens que pen­sam da mes­ma ma­nei­ra. Nós te­mos um pú­bli­co di­fe­ren­te, mais se­le­ti­vo, que não acei­ta qual­quer bo­ba­gem. En­tão ten­ta­mos cor­res­pon­der às ex­pec­ta­ti­vas des­se nos­so pú­bli­co e qu­em des­per­ta pa­ra o De­to­nau­tas con­se­gue ob­ser­var is­so cla­ra­men­te. O que fal­ta na mú­si­ca bra­si­lei­ra atu­al é um pou­co mais de es­pa­ço pa­ra a di­ver­si­da­de que ela abran­ge. A mo­no­cul­tu­ra que do­mi­na o que a mas­sa es­cu­ta é o prin­ci­pal ele­men­to de do­mi­na­ção ape­nas dos in­te­res­ses fi­nan­cei­ros. Qu­em de­ci­de o que o po­vo vai ou­vir são os anun­ci­an­tes e não mais al­guém que se Sem­pre fi­ze­mos ho­me­na­gens em nos­sos shows. Mas per­ce­be­mos que uma ge­ra­ção in­tei­ra es­ta­va pas­san­do ba­ti­da sem co­nhe­cer íco­nes im­por­tan­tes do rock na­ci­o­nal. Em al­guns lu­ga­res a gen­te can­ta­va mú­si­cas me­nos fa­mo­sas de Titãs, Ba­rão Ver­me­lho, Raul [Seixas], Le­gião [Ur­ba­na] e per­ce­bia que uma par­te dos ga­ro­tos e ga­ro­tas não co­nhe­ci­am. En­tão de­ci­di­mos de­di­car uma par­te do show pa­ra apre­sen­tar a qu­em não co­nhe­ce o rock na­ci­o­nal e man­ter a cha­ma ace­sa e as bo­as lem­bran­ças de qu­em vi­veu os bons tem­pos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.