Si­lên­cio

O Diario do Norte do Parana - - O DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ -

Mas o que se apro­xi­ma, na ver­da­de, éu­ma­tru­pe­cir­cen­se­cha­ma­da “Cir­cus Fan­tas­ti­cus” (tí­tu­lo ori­gi­nal do fil­me), que es­tá fu­gin­do da gu­er­ra e traz, ain­da, mui­to do­en­te,odo­no­do­cir­co.

O que ve­re­mos, a se­guir, se­rá a re­cons­tru­ção de uma con­fi­an­ça per­di­da na hu­ma­ni­da­de atra­vés de ima­gens, de olha­res e si­lên­ci­os – mas, tam­bém, de be­las pa­la­vras que, sem nun­ca se­rem pro­fe­ri­das, es­tão ali ali­men­tan­do não so­men­te o de­se­jo de so­bre­vi­vên­cia, bem co­mo o en­ten­di­men­to e a acei­ta­ção da mor­te. Por­que se um fil­me co­lo­ca a gu­er­ra co­mo pa­no de fun­do (às ve­zes, não tão fun­do), é por­que vai fa­lar, ines­ca­pa­vel­men­te, so­bre a mor­te. E se vai fa­lar da mor­te, en­tão é por­que de­se­ja mes­mo co­lo­car a vi­da em fo­co.

O di­re­tor Ja­nez Bur­ger de­cla­rou em en­tre­vis­tas que de­ci­diu fa­zer um fil­me sem pa­la­vras por­que ne­nhu­ma pa­la­vra faz sen­ti- do di­an­te da gu­er­ra. Por­que se fi­zes­se, não ha­ve­ria gu­er­ra. Faz, des­sa for­ma, uma de­cla­ra­ção de amor à re­sis­tên­cia, à con­fi­an­ça e à so­li­da­ri­e­da­de hu­ma­na. Os­ci­lan­do en­tre o poé­ti­co e o sur­re­al, Bur­ger emu­la tan­to o mes­tre ita­li­a­no Fe­de­ri­co Fel­li­ni, quan­to o gi­gan­te rus­so An­drei Tar­kósvs­ki. Nes­sa os­ci­la­ção (pe­ri­go­sa, eu di­ria), aca­ba por en­con­trar o ca­mi­nho da emo­ção e da re­con­ci­li­a­ção com o mun­do atra­vés da po­e­sia – que dar-se-á, ao fi­nal, quan­do o cir­co se­rá ar­ma­do pa­ra uma úl­ti­ma ho­me­na­gem ao de­ca­no (que vem a fa­le­cer) da tru­pe e à mu­lher do pai de fa­mí­lia (que re­lu­ta em dei­xá-la “ir em­bo­ra”).

Pe­que­no e en­can­ta­dor, “So­na­ta Si­len­ci­o­sa”, iné­di­to no Bra­sil, é o se­gun­do fil­me da Es­lo­vê­nia – país que mal ou­vi­mos fa­lar, e me­nos ain­da so­bre sua ci­ne­ma­to­gra­fia – que o pro­je­to exi­be es­te ano. O pri­mei­ro, “Uma Vi­a­gem”, de Nejc Gaz­vo­da, foi a “ses­são sur- pre­sa” do ani­ver­sá­rio de 12 anos do pro­je­to, em 17 de no­vem­bro. É o in­di­ca­do es­lo­ve­no pa­ra uma va­ga no Os­car de Me­lhor Fil­me Es­tran­gei­ro, mas di­fi­cil­men­te de­ve ser um­dos­fi­na­lis­tas. Tan­to“Uma­Vi­a­gem” quan­to “So­na­ta Si­len­ci­o­sa” par­tem de epi­só­di­os trau­má­ti­cos pa­ra en­con­trar, por fim, alen­to e re­den­ção­no­a­fe­to­e­na­co­ra­gem.

Na Eu­ro­pa do eu­ro, na sua fa­mi­ge­ra­da crise, de aus­te­ri­da­de e gra­du­al pro­ces­so de es­fa­ce­la­men­to econô­mi­co, po­lí­ti­co e hu­ma­ni­tá­rio, os dois fil­mes não dei­xam de ser um be­lo exem­plo de es­pe­ran­ça e con­fi­an­ça. No ho­mem. “So­na­ta Si­len­ci­o­sa”, pa­ra en­cer­rar a pro­gra­ma­ção de 2012, se­rá exi­bi­do nes­te sá­ba­do ex­cep­ci­o­nal­men­te às 15h. O Pro­je­to Um Ou­tro Olhar vol­ta­rá com su­as ses­sões se­ma­nais no dia 5 de ja­nei­ro de2013, se­o­mun­do­não­a­ca­bar.

Divulgação

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.